Siga nossas redes

Geral

5 fatos para saber hoje: vendas do Dia das Mães caem 41%; e-commerce acelera

Vendas nos dias das mães caem, enquanto os consumidores migram para o comércio digital; e o aumento nos pedidos de seguro-desemprego.

Publicado

em

por

InvestNews
e-commerce

1 – Vendas do comércio para o Dia das Mães caem 41% ante 2019

As vendas do comércio nacional para o Dia das Mães recuaram 41% em 2020, na comparação com 2019, segundo levantamento do Boa Vista enviados ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. No ano passado, o resultado havia sido positivo em 1,7%. É o pior resultado desde 2008. Nesse período, a maior queda havia sido de 4,6% em 2016.

A instituição avalia que a queda abrupta nas vendas na segunda data comemorativa mais importante para o comércio no ano, perdendo apenas para o Natal, evidencia o cenário fraco para a atividade devido às restrições impostas pela pandemia de coronavírus.

“O fechamento de boa parte do comércio relevante para a data, como lojas de vestuário, cosméticos, eletrodomésticos, móveis e eletroeletrônicos e a restrição à circulação de pessoas, limitaram demasiadamente as possibilidades de compra dos consumidores”, diz a nota da Boa Vista.

2 – Com covid-19, e-commerce já é 48% maior que no mesmo período de 2019

A pandemia de covid-19 fez os números do e-commerce brasileiro explodirem. Uma pesquisa que traz os dados consolidados de 2019 no comércio eletrônico mostrou o quanto a quarentena já influenciou nos números dos primeiros meses de 2020. Em relação ao mesmo período do ano anterior (da segunda quinzena de março até o fim de abril), houve crescimento de 48,3%. Comparado ao período pré-covid (do início de fevereiro à primeira quinzena de março), o crescimento foi de 14,4%.

No consolidado de 2019, o e-commerce ultrapassou a marca de R$ 60 bilhões em faturamento e atingiu 148 milhões de pedidos. E de 1º de janeiro até 30 de abril de 2020, já foi atingido 32% do resultado de todo o ano anterior. Os dados integram a 41ª edição do Webshoppers, o mais amplo relatório sobre e-commerce do País elaborado semestralmente pela EbitNielsen – em parceria com a Elo.

No ano passado, o faturamento do e-commerce brasileiro cresceu 16,3%, para R$ 61,9 bilhões, impulsionado pelo aumento de 21% no número de pedidos. O aumento do número de pedidos foi acompanhado pelo maior número de novos consumidores: apenas no ano passado, 10,7 milhões de pessoas estrearam suas compras no ambiente online, alta de 9% sobre 2018.

3 – Pedidos de seguro ao desemprego sobem 22,1%

O número de pedidos de seguro-desemprego aumentou 22,1% em abril na comparação com igual mês de 2019, com 748.484 solicitações feitas pelos trabalhadores, informou na segunda-feira (11) o Ministério da Economia. Em abril do ano passado, foram 612.909 pedidos.

O aumento de cerca de 135 mil requerimentos em termos absolutos vem na esteira da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. O governo estima que ainda há até 250 mil requerimentos que ficaram represados entre março e abril por causa do fechamento de agências do Sine, que são de administração municipal e estadual e estão sem atendimento presencial para evitar risco de alastramento da covid-19.

Os trabalhadores demitidos sem justa causa têm até 120 dias para requerer o seguro-desemprego. O governo tem buscado orientar os cidadãos sobre a possibilidade de solicitar o benefício pela internet ou por aplicativo para smartphone.

Na primeira quinzena de abril, a quantidade de requerimentos pela internet chegou a 90,2%. Depois, houve uma redução com o aumento de atendimentos presenciais nos últimos dias do mês. No acumulado de janeiro a abril, foram contabilizados 2.337.081 pedidos.

4 – China isenta mais produtos dos EUA de tarifas punitivas

 O gabinete da China anunciou nesta terça-feira que vai isentar mais produtos dos EUA de tarifas punitivas impostas durante a disputa comercial entre os dois países, a partir da próxima terça-feira (19).

Bens americanos que ficarão isentos da tarifação extra incluem produtos químicos e têxteis, segundo comunicado divulgado pelo Ministério de Finanças chinês. Não está claro quantos dos 79 tipos de produtos incluídos na última lista de isenção da China foram importados no ano passado.

O corte de tarifas pode encorajar mais compras de produtos americanos pela China e sinaliza a disposição de Pequim de cumprir o acordo comercial “de fase 1” assinado com os EUA no começo do ano.

Em fevereiro, a China divulgou duas listas de produtos americanos que ficaram isentos de tarifas adicionais, incluindo equipamentos médicos necessários para combater o surto de coronavírus no âmbito doméstico. 

5 – Brasil tem 168 mil casos confirmados e 11,5 mil mortes

O Brasil chegou aos 168.331 casos confirmados e a 11.519 mortes pela covid-19. As informações – disponibilizadas ontem (11) pelo Ministério da Saúde no balanço diário da pasta sobre a pandemia do novo coronavírus – mostram que 69.232 pacientes estão recuperados.

Nas últimas 24h, foram 5.632 novos registros de pessoas infectadas, um aumento de 3,4% em relação a domingo, quando foram contabilizadas 162.699 pessoas nessa condição. Já as novas mortes na atualização somaram 396, um acréscimo de 3,5% em relação a ontem, quando o balanço trouxe 11.123 falecimentos por covid-19.

A taxa de letalidade ficou em 6,8%. Do total de casos confirmados, 82.344 estão em acompanhamento e 69.232 foram recuperados. O Ministério da Saúde não divulgou hoje as mortes em investigação, como vinha fazendo até a semana passada.

*Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Alavanque seus ganhos e tenha rentabilidades altíssimas! Negocie Contratos de Índice pela Easynvest.

Anúncio Patrocinado Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente. Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente.

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.