Siga nossas redes

Geral

Compra de vacinas da AstraZeneca vai custar R$ 59,4 milhões ao país

O governo pretende receber em janeiro ingrediente para fabricar outras 210,4 milhões de unidades do mesmo imunizante.

Publicado

em

por

Estadão Conteúdo
Lote da AstraZeneca chega hoje ao Brasil
Frascos rotulados como de vacina contra Covid-19 em frente a logo da AstraZeneca em foto de ilustração 31/10/2020 REUTERS/Dado Ruvic

Cada unidade de um lote de 2 milhões de doses prontas da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e a farmacêutica AstraZeneca vai custar US$ 5,25 – ou seja, R$27,90, informou a Fiocruz na terça-feira, 5. No total, o negócio será de cerca de R$ 59,4 milhões.

Leia mais: Vacina da AstraZeneca pode ser 90% eficaz contra Covid-19, mostra teste

Além de importar 2 milhões de doses prontas, o governo pretende receber em janeiro ingrediente para fabricar, na Fiocruz, outras 210,4 milhões de unidades do mesmo imunizante ao longo de 2021. O laboratório brasileiro assinou um contrato de “encomenda tecnológica” com a AstraZeneca. As doses concluídas no Brasil devem ser entregues a partir de fevereiro. Em média, o governo pagará US$ 2,3 (R$ 12,25) pelo ingrediente necessário para fabricar cada unidade da vacina.

O imunizante da Pfizer, cuja cumpra também é negociada pelo governo federal, custa cerca de US$ 20 (R$ 106,52) por unidade. O valor entre a empresa e o Ministério, porém, é desconhecido. A Pfizer já disse que deve ser menor, pois o Brasil participou da pesquisa clínica de desenvolvimento da vacina contra a covid-19. Ela tem eficácia média de 95%, mas exige temperatura de armazenamento de -70 graus.

No escuro

A negociação para comprar doses prontas da vacina de Oxford foi feita no fim de 2020, com o governo pressionado para antecipar o calendário de imunização. Apesar de usar a falta de registro na Anvisa como justificativa para negar a compra imediata de doses da Coronavac (chinesa) e da Pfizer (americana), o ministério aceitou a importação de doses da AstraZeneca, mesmo sem conhecer o valor do negócio.

Em 29 de dezembro o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, esteve com representantes da AstraZeneca, que ofereceram o produto pronto para a importação. Em 31 de dezembro, a Fiocruz pediu à Anvisa o aval para trazer as doses. Horas mais tarde, o Ministério ainda questionava o laboratório brasileiro e a AstraZeneca sobre qual o valor de cada dose do produto. Procurada, a pasta não se manifestou sobre a importação.

Investir é mais fácil do que você imagina. Aqui tem o investimento ideal para o seu perfil. Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!