Siga nossas redes

Análise

Morning Call: IBOV com recorde histórico de fechamento, forte fluxo estrangeiro

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje, os destaques de ontem e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Destaques (José Falcão Castro):

  • Hoje, o principal indicador do dia, o payroll deve mostrar (10h30) uma situação ainda difícil do emprego nos EUA, em dezembro, mas Wall Street só tem olhos para a ajuda mais robusta que Biden conseguirá para a pandemia tendo agora a maioria democrata no Senado;
  • Conforme comportamento das bolsas ontem, os mercados não estão nem aí para as tensões com Trump. As bolsas em NY continuam a bater recorde e levam junto o Ibovespa, que já marca 122 mil pontos com forte fluxo estrangeiro e cabendo aos juros e dólar carregarem os riscos fiscais que continuam preocupar os investidores no longo prazo;
  • Com a superliquidez esperada com a onda azul, revisão positiva de projeções pelo JP Morgan indica agora PIB de 5,3% no 4TRI21 nos EUA (antes, 3,8%);
  • Futuros de NY estendem ganhos antes do indicador mais importante da semana, o payroll de dezembro (10h30), que deve mostrar forte impacto da covid; Dow Jones futuro avança 0,25%, S&P 500 (+0,27%) e Nasdaq (+0,35)%;
  • A boa do dia: vacina da Pfizer é eficaz contra as mutações do coronavírus, diz estudo, isso é bom para o petróleo, que sobe ainda mais;
  • Mais cedo, taxa de desemprego na zona do euro em novembro veio melhor que o esperado (8,3% x projeção de 8,5%); as bolsas europeias operam mistas: Londres (-0,05%) e Madri (-0,06%) andam de lado, e Lisboa cai (-0,57%), Frankfurt avança 0,76% e lidera ganhos, Paris (+0,39%), Milão (+0,42%).

Análise Gráfica – IBOV:

  • Ao fechar acima do topo histórico, com novo recorde de fechamento, o IBOV segue em forte tendência de alta e alavancado por forte fluxo de capital estrangeiro; No curto prazo, o índice não possui resistências pela frente, mas seria natural correções após o forte movimento de alta iniciado em novembro, com suporte importante aos 115 mil pontos.

Cenário global e bolsa brasileira ontem (Murilo Breder):

  • A saga dos últimos dias pela nova máxima histórica terminou. Com a alta +2,76% nesta quinta-feira, o Ibovespa finalmente fechou acima dos 119.527 pontos. A alta foi tão expressiva que o principal índice de ações superou inclusive os 122 mil pontos;
  • Dois grandes motivos sustentam esta euforia. O primeiro deles é a confirmação da eleição de Joe Biden. Conforme citado inclusive no Fechamento de Mercado anterior, reforça o apetite ao risco do investidor internacional e melhora ainda mais o cenário para os dois setores de maior peso dentro do índice: commodities (aço e minério de ferro) e sistema financeiro tradicional (grandes bancos). Mas, além disso, algo que também ajudou no bom humor hoje foi o tuíte do assessor de Trump. Segundo ele, haverá uma transição harmoniosa em 20 de janeiro;
  • O outro grande motivo que sustenta a forte alta de hoje é o anúncio do resultado da eficácia da Coronavac, vacina contra Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceira com o Instituto Butantan. A eficácia é de 78% contra casos leves, acima do mínimo de 50% exigido para aprovação, segundo os parâmetros definidos pela OMS e seguidos pela Anvisa;
  • Na prática, a vacina evita internações e mortes já que as pessoas que receberam as vacinas não tiveram nenhum caso grave da doença, em comparação com as que não receberam a vacina;
  • No cenário corporativo, VALE3, GGBR4 e cia dão o tom e puxaram o Ibovespa em mais um dia favorável para as commodities. Em uma sequência de altas impressionante, a mineradora se beneficiou mais uma vez da alta do minério de ferro enquanto tem reunião com representantes do governo de Minas Gerais para buscar um acordo sobre Brumadinho. As ações VALE3 dispararam +7%, ultrapassando a marca dos R$ 100 por ação;
  • Destaque também para a nova entrante de janeiro na carteira Small Caps Easynvest Irani (RANI3). Fora do Ibovespa e do SMLL, as ações da small cap de papel e celulose dispararam +9,3% pegando carona no novo aumento de preços da celulose fibra curta imposta pela Suzano, maior alta do Ibovespa, para vendas no Sudeste Asiático e Oriente Médio;
  • Entre as maiores quedas do dia estão as empresas mais defensivas como as do setor elétrico. CVC e as aéreas Azul e Gol também figuraram entre as maiores quedas do Ibovespa.
Indicadores
Brasil:
FGV: IGP-DI de dezembro (8h)
FGV: IPC-S da 1ª quadrissemana de janeiro (8h)
IBGE: produção industrial em novembro (9h)
Anfavea: produção de veículos em dezembro e em 2020 (10h)
EUA:
Relatório de empregos (payroll) em dezembro (10h30)
Estoques no Atacado em novembro (12h)
Baker Hughes: atividade de petróleo (15h)
Europa:
Zona do euro/Eurostat: taxa de desemprego em novembro (7h)

* Esse é um conteúdo de análise de um especialista de investimentos da Easynvest, sem cunho jornalístico. 

Compre ações através da melhor plataforma do mercado: Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado BDR BDR

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.