Siga nossas redes

Análise

Morning Call: bolsas globais tentam recuperação nesta sexta

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Destaques:

  • Na agenda de indicadores dos EUA, dois dados de peso serão divulgados, vendas no varejo e a produção industrial. Mas o sentimento de cautela continua com segunda onda da covid-19 e a disputa presidencial do dia 3/11, que está travando novos estímulos à economia; após as quedas de ontem, os índices futuros de NY e as bolsas europeias tentam uma recuperação na abertura do dia; S&P 500 futuro (+0,20%); Frankfurt (+0,75), Londres (+1,30%), Paris (+1,45%);
  • Aqui, as eleições municipais também atrasam as reformas que podem aliviar a situação fiscal, enquanto o fracasso no leilão das LFTs de prazo mais curto, nesta 5ªF, amplia os alertas para a crise da dívida pública; basicamente o Tesouro Nacional está com dificuldades de buscar financiamentos com uma taxa de juros baixa e risco fiscal alto.  

Cenário global e bolsa brasileira ontem:

  • Nos EUA, as bolsas fecharam em baixa, com pedidos semanais de seguro-desemprego que voltaram a subir acima da projeção (898 mil) e o índice de atividade industrial Empire State caindo abaixo da previsão, para 10,5 em outubro;
  • Além disso, a novela sobre o pacote de estímulos, sem definições, deixou os investidores com poucas esperanças no curto prazo. Por fim, os casos de coronavírus em ascensão, sobretudo na Europa, preocupa os mercados;
  • Aqui, a notícia ruim foi o IBC-Br, que subiu apenas 1,06% em agosto ante julho, abaixo da previsão (+1,70%) e mostrou forte desaceleração em relação aos dois meses anteriores;
  • O Ibovespa fechou em queda de 0,28%, aos 99.054,06 pontos, com giro financeiro de R$ 23,5 bilhões.

Análise Gráfica – IBOV:

  • No gráfico semanal do Índice Bovespa, tudo indica para uma segunda semana consecutiva de alta. O viés do IBOV, de curto prazo, ficou positivos ao conseguir se segurar acima dos 99 mil pontos em um dia de realização nos mercados globais. No contexto de padrão gráfico, o IBOV está consolidando ainda mais o fundo formado no dia 29 de setembro aos 93.400 pontos e ao conseguir romper o nível dos 98.300 segue para testar os 100 mil pontos, novamente;
  • Para consolidar ainda mais este movimento de recuperação, o índice conseguiu fechar pelo quinto pregão consecutivo acima das médias móveis de curto e longo prazo (21 e 200 períodos);
  • Se os mercados globais continuarem sendo impactados pelos fatos mencionados acima, no Morning Call, a bolsa brasileira pode ser contaminada e seria natural uma correção até a média móvel (97.000), nos próximos dias, antes de tentar buscar o nível dos 100 mil pontos;  
  • Suporte: 93.400 (mínima de 29 de setembro)
  • Resistência: 98.300 (média móvel de 21 períodos)
Indicadores
Brasil:
IGP-10 (FGV)
IPC-S Q2 (FGV)
Indicador do Comércio Exterior (FGV)
EUA:
Confiança do Consumidor preliminar (Universidade de Michigan)
Poços de petróleo em atividade (Baker Hughes)
Produção Industrial
Vendas do Varejo
Zona do Euro: Balança comercial / Inflação (IPC)

* Esse é um conteúdo de análise de um especialista de investimentos da Easynvest, sem cunho jornalístico. 

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.