Siga nossas redes

Análise

Morning call: Petrobras, Vale, Bradesco e Selic são as protagonistas do dia

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Destaques:

  • Dando continuidade nas quedas de ontem, hoje as bolsas globais iniciam o dia operando em forte baixa com incertezas sobre a eleição presidencial americana e segunda onda da pandemia; nos EUA foi constatado um recorde de 70 mil novos casos de covid na média diária; na Europa há possibilidade da França, Alemanha e Reino Unido anunciarem novas restrições, assim como, Itália e Espanha; desta forma fica mais complicada a retomada econômica e as bolsas sofrem; há instantes, Dow Jones futuro (-1,59%), Frankfurt (-3,02%), Londres (-1,53%) e Paris (-2,65%);
  • Aqui os ruídos políticos voltaram à cena ontem, que traz insegurança ao avanço das reformas e deixa o investidor atento a fragilidade fiscal e pressões inflacionárias. Mas o mercado está de olho no pós-fechamento, com o Copom, que deve manter a Selic em 2% ao ano e os balanços de três pesos pesados: Bradesco, Vale e Petrobras.

Cenário global e bolsa brasileira ontem:

  • Os crescentes casos de coronavírus nos Estados Unidos e na Europa continuam a machucar a renda variável, que piora pelo fato de as novas vacinas ainda não possuírem uma previsão, no curto prazo;
  • Com o temor da doença, a confiança do consumidor americano em outubro (Conference Board) caiu a 100,9 pontos, abaixo da expectativa;
  • O ambiente político no Brasil, voltou aos seu normal. A base do governo anda obstruindo votações por ela considerada indesejáveis e causou divergências com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; daí, o Ibovespa piorou, perdeu os 100 mil pontos, para fechar em baixa de 1,40%, aos 99.605,54 pontos, com giro financeiro de R$ 24,1 bilhões;
  • O balanço do Santander, tão esperado, teve diferentes interpretações, com analistas elogiando os resultados e outros apontando fragilidades, como a provisão para devedores duvidosos. A Unit do banco (SANB11) fechou em baixa de 4,73% e arrastou todo o setor, que publicará balanços nos próximos dias.

Análise Gráfica – IBOV:

  • No gráfico diário, conforme comentamos durante toda a semana passada:
  • Se a bolsa brasileira for contaminada por movimentos externos ou até mesmo a volta de ruídos políticos no Brasil, seria natural uma correção até 97.700, porém sem comprometer a tendência atual de alta. 
  • É exatamente este movimento que aconteceu nos últimos três pregões de queda e o momento é de paciência para esperar as confirmações e tomar decisões coerentes.  
  • Suporte: 97.700 (mínima de 15 de outubro)
  • Resistência: 102.200 (máxima de 23 de outubro)
Indicadores
Brasil:
Copom (decisão de política monetária para taxa Selic)
Fluxo cambial semanal  
Sondagem da Indústria e Construção (CNI)
Balanços: Gerdau (antes da abertura); Bradesco, Cesp, Pão de Açúcar, Multiplan, Odontoprev, Tupy, Petrobras e Vale (após o fechamento) 
EUA:
Estoques de petróleo (DOE)
Estoques no atacado (Departamento do Comércio)
Índice de pedidos de hipotecas 
Balanço: Boing, GE, GM, Heineken, Mastercard, Ford, Visa

* Esse é um conteúdo de análise de um especialista de investimentos da Easynvest, sem cunho jornalístico. 

Ganhar dinheiro com Ações pode ser bem mais fácil que parece. Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado Black Novermber 2020 Black Novermber 2020

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.