Siga nossas redes

Cafeína

Mercado brasileiro representa 3% do mercado americano. Como diversificar?

Samy Dana e Dony De Nuccio fazem um raio-x das bolsas americanas e como se expor ao ativos negociados nelas.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 2 minutos

Os Estados Unidos respondem por quase metade do valor de mercado de todos os ativos do mundo. Já o mercado brasileiro representa apenas 3% da fatia do mercado americano. O dado mostra a pujância de Wall Street em comparação não apenas com o mercado latino, mas com o asiático, europeu, e outras nacões.

Não obstante, a parcela de americanos investidores supera os 54% da população. Ou seja: mais da metade da população da maior potência econômica do mundo – apesar da queda registrada nos últimos anos.

Já no Brasil, a parcela da população que investe ou já investiu diretamente em ações é de menos de 2%. Porém, este número já foi menor.

Enquanto no Brasil é normal encontrar investimentos em renda fixa que retornem dez por cento ou mais ao ano aos cotistas, nos Estados Unidos a realidade é outra. Com taxas de juros significativamente mais baixas, muitos investimentos mais seguros parecem render muito pouco.

Porém, no Brasil, a inflação corrói o poder de compra. Logo, se as taxas de juros são altas, a inflação também é, o que torna o retorno obtido no investimento muito menor.

Neste Cafeína, Samy Dana e Dony De Nuccio fazem um raio-x das bolsas americanas (NYSE e Nasdaq) e como se expor ao ativos negociados nelas.

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

Inclua Amazon, Tesla, Netflix, Apple e Facebook nos seus investimentos sem pagar taxa de corretagem! Conheça os BDRs

Anúncio Patrocinado Super Week Temporada de balanços Super Week Temporada de balanços
ANÚNCIO PATROCINADO      Conheça a carteira recomenda de dividendos

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Carteira Top 10