Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: certificado de governança da Petrobras; rede social de Trump

A Trump Media & Technology Group ainda não lançou o aplicativo e pretende arrecadar US$ 1 bilhão com venda de ações.

Publicado

em

Donald Trump
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou na terça-feira não sancionar um projeto de alívio ao coronavírus . REUTERS/Cheriss May/File Photo

1- Petrobras recebe certificação de governança IG-Sest

A Petrobras (PETR3; PETR4)recebeu nesta quarta-feira certificação no indicador de Governança da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (IG-Sest) do Ministério da Economia, alcançando o melhor nível do índice, conforme comunicado.

O objetivo dessa classificação é incentivar que as empresas ampliem suas ações para além dos requisitos legais, disse a petroleira citando que é a quinta vez que a companhia recebe este reconhecimento.

“Para a Petrobras, esta certificação é uma oportunidade de avaliar seus processos em um novo patamar de qualidade e reafirmar o seu compromisso com a contínua melhoria de sua governança corporativa“, disse em nota.

2- Negócio de mídia social de Trump busca levantar US$1 bi, dizem fontes

O novo empreendimento de mídia social do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump está tentando levantar até US$ 1 bilhão com a venda de ações, disseram duas pessoas familiarizadas com o assunto.

O Trump Media & Technology Group, que ainda não lançou o aplicativo de mídia social que diz desenvolver, deve receber US$ 293 milhões se seu negócio, a ser listado em Nova York, por meio de uma fusão com a firma de cheque em branco Digital World Acquisition for concluído.

O negócio avaliou a Trump Media em US$ 875 milhões, incluindo dívidas. A Trump Media está buscando levantar mais US$ 1 bilhão, o que lhe daria uma avaliação de cerca de US$ 3 bilhões, disseram as fontes.

Pesando sobre o apelo do negócio está a relutância de muitos investidores em se associarem com Trump após ele ter sido banido das principais plataformas de mídia social por encorajar seus apoiadores a participarem do ataque de 6 de janeiro ao Capitólio dos Estados Unidos. A ofensiva foi baseada em alegações infundadas de fraude generalizada nas eleições presidenciais do ano passado.

Trump disse que está lançando seu próprio aplicativo de mídia social para se levantar contra as empresas que o barraram de suas plataformas. Ele tinha 89 milhões de seguidores no Twitter, 33 milhões no Facebook e 24,5 milhões no Instagram na época em que foi bloqueado.

3- Biden projeta inflação moderada e se diz otimista quanto ao impacto da ômicron

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que as pressões inflacionárias que afetam a economia do país irão moderar à medida que os desafios enfrentados durante a retomada da crise da covid-19 são superados. Entre eles, o mandatário destacou os problemas na cadeia de suprimentos global.

Segundo Biden, sua administração usou todos os dispositivos ao seu alcance, como a liberação de reservas de petróleo em coordenação com outros países, para conter a alta inflação nos EUA. Ele ainda destacou que o fenômeno nos preços é global, durante discurso nesta quarta-feira.

Perguntado se teme que a variante ômicron do coronavírus pode piorar os fatores que impulsionam a inflação, Biden disse estar otimista e ressaltou que, até agora, não há motivo para crer que isso vai acontecer. Para ele, a cepa é um causa para preocupação, mas não pânico.

Biden também fez novas defesas à sua agenda econômica, nomeada Build Back Better e que inclui investimentos em infraestrutura, sociais e aumento de impostos a grandes empresas e à parcela mais rica dos americanos.

O presidente dos EUA disse que o plano econômico não vai aumentar as pressões inflacionárias, mas sim moderá-las no longo prazo, além de reduzir o déficit fiscal do país em cerca de US$ 100 bilhões.

4- Com previsão de melhora nas chuvas, governo limita ativação de usinas térmicas

Com início do período úmido e previsão de chuvas nos próximos meses, o governo decidiu limitar a geração de energia por usinas termelétricas e importação de energia a 15 mil megawatts médios (MWmédios) ao longo deste mês. Até então, por conta da grave escassez nos reservatórios, todas as usinas, até mesmo as mais caras, foram acionadas para atender a demanda e evitar falhas no serviço prestado à população.

A decisão foi tomada em reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) nesta quarta-feira, 1º. O colegiado é vinculado ao Ministério de Minas e Energia (MME) e presidido pelo ministro Bento Albuquerque.

Em nota, o Comitê informou que a decisão “busca otimizar o custo total da operação de energia”, já que a produção das térmicas é bem mais cara em relação à geração das hidrelétricas. Para bancar os custos dessa e outras medidas emergenciais, o governo criou a “bandeira escassez hídrica”, que representa cobrança de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kWh), e prepara um empréstimo de cerca de R$ 15 bilhões, que será diluído nas contas de luz.

“A medida privilegia o uso dos recursos mais baratos, conforme necessidade, concomitantemente à esperada recuperação do armazenamento dos principais reservatórios do País ao longo da estação chuvosa em curso”, informou o MME em nota.

Contudo, o órgão foi cauteloso em relação à situação. Considerando o início dos armazenamentos nos reservatórios das hidrelétricas, as restrições relativas aos usos múltiplos da água e as incertezas intrínsecas associadas à evolução chuva em 2022, a decisão foi manter medidas excepcionais para o atendimento à carga e garantia do fornecimento de energia no próximo ano. A aplicação das ações será reavaliada periodicamente.

5- Banco Pan e Creditas acirram briga no segmento

O C6 Bank tem entre seus concorrentes o Banco Pan (BPAN4), o ex-banco tradicional Panamericano, que era muito focado em financiamento de veículos e se digitalizou no início de 2020. Agora apenas em versão digital, quer impulsionar sua atuação no financiamento online e, em setembro, adquiriu 80% da Mobiauto, uma grande plataforma digital para comercialização de veículos.

Outra que buscou reforço similar foi a fintech Creditas, que fez parceria com a Kavak para oferecer crédito aos clientes da startup que atua na compra e venda online de automóveis.

(*Com informações de Reuters, Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Veja também

Investimento seguro, com boa rentabilidade e liquidez. Bora investir em CDB hoje? Invista agora!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!