Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: conta de energia mais cara; restrição de videogames na China

Nova regra proíbe crianças e adolescentes de jogarem por mais de três horas por semana.

Publicado

em

Mão de uma mulher jogando videogame
Foto: Pixabay

1- Tarifa média de energia deve subir mais 6,78%

A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (Creg) determinou nesta terça-feira que a agência reguladora Aneel implemente a bandeira tarifária “Escassez Hídrica”, que trará aumento adicional de 6,78% na tarifa média dos consumidores regulados, informou o Ministério de Minas e Energia em nota.

O novo patamar da bandeira, segundo a pasta, terá valor de R$ 14,20 a cada 100 kWh consumidos, com vigência de 1º de setembro de 2021 a 30 de abril de 2022.

“A nova bandeira é fruto do custo mais elevado para geração de energia”, pontuou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, durante coletiva de imprensa para detalhar medidas do governo que visam garantir o abastecimento elétrico do país em meio à maior crise hídrica em reservatórios de hidrelétricas em mais de 90 anos.

2- Pais nos EUA reagem a restrições a videogames na China

Raleigh Smith Duttweiler estava dobrando a roupa lavada em sua casa no Estado de Ohio enquanto seus filhos jogavam o game Minecraft no andar de cima, quando escutou uma reportagem no rádio sobre novas regras na China que proíbem crianças e adolescentes com menos de 18 anos de jogarem videogame por mais de três horas por semana. 

“Oh, está aí uma ideia”, pensou Duttweiler, que trabalha na área de relações públicas em uma organização sem fins lucrativos. “Meu instinto de americana me diz: esse é um tipo de restrição de direitos e ninguém tem o direito de dizer o que fazer dentro de nossas casas”. 

“Por outro lado, não é muito bom para as crianças jogarem tanto quanto mesmo os meus filhos jogam. E eu acredito sim que seria muito mais fácil desligar o jogo se aquilo não significasse uma discussão com a mãe, mas fosse algo na linha de “foi a polícia que mandou”. 

Para Duttweiler e para muitas famílias fora da China, as notícias dessa rígida medida de intervenção social no país – que, segundo o governo chinês, era necessária para frear um vício crescente no que já foi descrito como um “ópio espiritual” – ressalta um desafio para regular o uso de videogames dentro de suas próprias casas, especialmente durante a pandemia. 

A agência reguladora chinesa afirmou que as novas regras eram uma resposta às crescente preocupações de que os games possam afetar a saúde física e mental das crianças, um temor compartilhado por pais e especialistas nos Estados Unidos e outros países.

Paul Morgan, um pai de dois adolescentes e professor da Universidade Penn State que pesquisa o uso de dispositivos eletrônicos, vê falhas na proibição, ao mesmo tempo em que reconhece o desafio de controlar o tempo de tela das crianças. “Os dispositivos eletrônicos são onipresentes”, disse Morgan. “É hora de afastar as crianças deles”.

3- Parecer da reforma administrativa preserva estabilidade de todos os servidores, diz relator

O relator da reforma administrativa, deputado Arthur Maia (DEM-BA), afirmou nesta terça-feira que seu parecer preserva direitos adquiridos de servidores e mantém a estabilidade para os atuais e os novos funcionários.

Com votação prevista para ocorrer entre os dias 14 e 15 de setembro na comissão especial onde tramita, o texto apresentado por Maia rejeita a tese do Executivo extinguir, com o tempo, o atual sistema administrativo e iniciar um novo modelo do zero.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma administrativa originalmente encaminhada pelo governo vinha enfrentado resistências entre parlamentares. Temas como a flexibilização da estabilidade no serviço público traziam desconforto a parlamentares, em um ambiente já contaminado pelo período pré-eleitoral.

“Nós estamos mantendo a estabilidade de todos os servidores públicos”, disse Arthur Maia, referindo-se ao tema como um “ponto de inflexão desse debate”.

“Outra condição preliminar era que não houvesse a quebra de qualquer tipo de direito adquirido”, afirmou o relator, garantindo que seu parecer mantém até mesmo expectativas de direitos como futuros subsídios e gratificações.

4- PF prende investigado por ataques ao site do STF

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira um homem envolvido na invasão cibernética ao site do Supremo Tribunal Federal (STF), informou a PF em comunicado, citando que a detenção é decorrência da segunda fase da operação Leet, deflagrada no último dia 11.

A prisão em caráter preventivo foi cumprida em Fortaleza.

Segundo a PF, a análise do material que tinha sido apreendido anteriormente identificou a participação do investigado nos ataques assim como demonstrou que ele tinha por hábito praticar outros crimes cibernéticos contra instituições públicas e privadas.

O investigado vai responder pelos crimes de invasão de dispositivo de informática e associação criminosa, ambos do Código Penal.

5- Biden tenta afastar críticas sobre saída dos EUA do Afeganistão

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assumiu nesta terça-feira a responsabilidade pela tumultuada saída das forças norte-americanas do Afeganistão, afirmando que era a melhor opção disponível, após um importante rival republicano descrever o episódio como uma ferida autoinfligida que tornou os EUA menos seguros.

Mais cedo durante o dia, o Taliban celebrou sua vitória sobre os norte-americanos, disparando tiros para o ar, desfilando caixões revestidos com bandeiras da Otan e dos Estados Unidos e aplicando suas próprias regras após a retirada das últimas tropas estrangeiras do Afeganistão.

Em sua primeira declaração após a saída, Biden disse que 90% dos norte-americanos que queriam sair conseguiram, e que Washington tinha poder de negociação sobre os militantes islâmicos para garantir que outros 100 ou 200 consigam deixar o país se quiserem.

“Eu assumo a responsabilidade”, disse, acrescentando que os Estados Unidos estão longe de encerrarem seu envolvimento com o a Afeganistão, e especialmente com os combatentes do Estado Islâmico no país.

(*Com informações de Reuters)

Veja também

Invista de um jeito simples, sem economês. Aproveite a plataforma mais simples do mercado. Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!