Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: CoronaVac vai bem nos testes; Bolsonaro na cúpula do Brics

Vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa, Sinovac, induz menor produção de anticorpos do que as concorrentes.

Publicado

em

por

InvestNews
Jair Bolsonaro/Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de sanção do projeto de lei (PL 1.095/2019) que aumenta pena para crimes de maus-tratos a animais.

1 – CoronaVac induz rápida resposta imune, aponta estudo

CoronaVac, vacina experimental contra Covid-19 da chinesa Sinovac, induziu uma rápida reposta imune, mas o nível de anticorpos produzidos foi menor do que o visto em pessoas que se recuperaram da doença, mostraram dados preliminares dos testes clínicos com a vacina na quarta-feira (horário local da China).

Embora os testes em estágios inicial e intermediário não tenham sido desenvolvidos para determinar a eficácia da CoronaVac, os pesquisadores disseram que ela pode fornecer proteção suficiente, com base na experiência com outras vacinas e em dados de estudos pré-clínicos em macacos.

O estudo vem após notícias animadoras neste mês das farmacêuticas norte-americanas Pfizer e Moderna, que mostraram que suas vacinas experimentais são mais de 90% efetivas com base em dados preliminares de estudos amplos em estágio avançado.

A CoronaVac está sendo testada em estudo em estágio avançado de Fase 3 no Brasil pelo Instituto Butantan. Outras quatro candidatas a vacina desenvolvidas pela China também estão em testes de estágio avançado para determinar sua eficácia.

2 – Brasil vai revelar países que importam madeira ilegal da Amazônia, diz Bolsonaro em cúpula dos Brics

O presidente Jair Bolsonaro usou seu discurso na abertura da Cúpula do Brics –grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul— para afirmar que nos próximos dias irá revelar quais países estariam importando madeira ilegal da Amazônia e contribuindo para o desmatamento da floresta.

No início de seu discurso na Cúpula –que neste ano acontece online por causa da pandemia de coronavírus–, falando de improviso, Bolsonaro voltou a acusar países críticos do seu governo de estarem importando madeira retirada ilegalmente da Amazônia. Segundo Bolsonaro, a Polícia Federal desenvolveu uma tecnologia que permitirá identificar a localização de madeira apreendida e também exportada.

“Então revelaremos nos próximos dias o nome dos países que importam essa madeira ilegal nossa, através da imensidão que é a região Amazônica, porque aí sim estaremos mostrando que esses países, muitos desses que nos criticam, em parte têm responsabilidade nessa questão“, afirmou o presidente.

Segundo o presidente, boa parte dos países que criticam o Brasil pelo desmatamento da Amazônia fazem parte dessa lista que importa ilegalmente madeira brasileira.

3 – Amapá volta a registrar blecaute; governo fala em “instabilidade” no sistema

O Amapá voltou a ficar sem energia elétrica na noite de terça-feira, quando o Estado da Região Norte sequer havia se recuperado totalmente de um blecaute iniciado em 3 de novembro que chegou a cortar 90% da carga local.

O novo incidente, no entanto, não teve a mesma origem que o anterior, iniciado após incêndio em um transformador de uma subestação, disseram o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e as elétricas que atuam na região. O governo federal afirmou que houve “instabilidade” na rede.

O ONS disse que registrou “novo desligamento” no Amapá às 20h31 da terça-feira, mas ressaltou que “o transformador da subestação Macapá não apresentou problema”. Em nota na noite de terça-feira, o ONS afirmou que trabalhava “para restabelecer a totalidade das cargas no Estado o mais breve possível”.

O Ministério de Minas e Energia disse que “o sistema elétrico apresentou instabilidade e as causas estão sendo investigadas“, acrescentando que a luz estava sendo retomada “gradualmente”.

4 – Atacado pressiona e IGP-M acelera alta a 3,05% na 2ª prévia de novembro, diz FGV

Os preços das commodities voltaram a pressionar a inflação ao produtor e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) registrou alta de 3,05% na segunda prévia de novembro, sobre avanço de 2,92% no mesmo período do mês anterior, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

LEIA MAIS: O Brasil vai ter hiperinflação de novo?

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral, subiu 3,98% no período, ante alta de 3,75% no segundo decêndio de outubro.

“O IPA, índice de maior peso no IGP, segue influenciado pelo comportamento das matérias-primas brutas (4,77% para 5,22%), onde estão as commodities, cujo aumento de preços vem influenciando mais a cadeia produtiva”, explicou em nota André Braz, coordenador dos índices de preços.

5 – Com transmissão novamente em alta, Brasil tem 35.294 novos casos de coronavírus

O Brasil registrou nesta terça-feira 35.294 novos casos da doença provocada pelo novo coronavírus, com o total de infecções confirmadas atingindo 5.911.758, informou o Ministério da Saúde, no momento em que a taxa de transmissão volta a subir no país.

Também foram notificados 685 novos óbitos em decorrência da Covid-19, o que eleva o total de mortes pela doença no país a 166.699, acrescentou a pasta.

Segundo o Imperial College de Londres, em dados publicados nesta terça-feira, a taxa de contágio da Covid-19 no Brasil atingiu 1,1 nesta semana, após permanecer por diversas semanas abaixo da marca de 1.

A taxa de 1,1 significa que cada 100 pessoas com o vírus contaminam outras 110, o que representa um aumento da disseminação da doença. Uma taxa abaixo de 1 representa uma desaceleração do contágio.

*Com Agência Reuters

Ganhar dinheiro com Ações pode ser bem mais fácil que parece. Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado BDR BDR

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.