Siga nossas redes

Geral

5 fatos para saber hoje: deduções do IR ou Renda Brasil?; Fundeb aprovado

Pela sua natureza liberal, o ministro da economia tem cercado o presidente para condicionar novos gastos a aumentos de receita.

Publicado

em

por

InvestNews
Paulo Guedes e Bolsonaro

1 – Para Renda Brasil chegar a R$ 300, é preciso cortar deduções do IR, diz Guedes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ao presidente Jair Bolsonaro que para o benefício médio do Renda Brasil chegar a R$ 300, como quer o presidente, é preciso cortar as deduções de saúde e educação do Imposto de Renda.

LEIA MAIS: Ibovespa cai 0,18% puxado por incertezas com pacote econômico do governo

Como mostrou o “Estadão”, Bolsonaro achou pouco o valor médio de R$ 247 para o novo programa pensado pelo governo para substituir o Bolsa Família. Hoje, o valor médio pago pelo programa criado pela gestão petista é de R$ 190. A criação do Renda Brasil está atrelada a uma reformulação de programas considerados “ineficientes” pela equipe econômica, como abono salarial (benefício de um salário mínimo voltado para quem ganha até dois pisos) e seguro-defeso (pago a pescadores artesanais no período de reprodução dos peixes, quando a pesca é proibida), entre outros.

Nesta terça-feira (25), Bolsonaro disse a parlamentares que deseja manter valor do Renda Brasil igual últimas parcelas previstas do auxílio emergencial de R$ 300. Com isso, o governo quer evitar que o programa de assistência social para substituir Bolsa Família comece com o desgaste de um valor menor do que o benefício pago atualmente a informais para enfrentar a crise provocada pela pandemia. O auxílio emergencial é visto como um dos fatores que fizeram o presidente atingir a maior índice de popularidade desde o início do governo.

2 – Senado aprova PEC do Fundeb, que segue para promulgação

O Senado aprovou ontem (25), em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) de número 26 de 2020, que torna permanente o Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). A PEC foi aprovada por unanimidade e segue para promulgação – prevista para ocorrer em sessão solene do Congresso hoje (26), às 11h. A aprovação em definitivo da PEC, que já havia passado pela Câmara, ocorre no dia da Educação Infantil.

O Fundeb atende todas as etapas anteriores ao ensino superior e representa 63% do investimento público em educação básica. Os recursos do fundo são destinados às redes estaduais e municipais de educação, conforme o número de alunos matriculados na educação básica.

A proposta aumenta de forma gradativa a participação da União no Fundeb passando dos atuais 10% até chegar, em 2026, a 23%. Isso ampliará o investimento na educação do país. Segundo o relator da matéria no Senado, Flávio Arns (Rede-PR), em 2026 o investimento chegará a R$ 5,5 mil por aluno. Hoje, esse investimento é de R$ 3,6 mil.

3 – Diogo Mac Cord é nomeado secretário especial de Desestatização

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes confirmaram no Diário Oficial da União (DOU) a nomeação de Diogo Mac Cord de Faria para exercer o cargo de secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia. Diogo Mac Cord assume o posto no lugar do empresário Salim Mattar, que deixou o governo por estar insatisfeito com o ritmo das privatizações.

Mac Cord já atuava na pasta da Economia, como secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura. A sua indicação para o novo cargo foi anunciada no último dia 13, quando também foi escolhido o agora ex-presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) Caio Mario Paes de Andrade para o cargo de secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital.

Caio Paes de Andrade, já nomeado semana passada, substituiu o economista Paulo Uebel, que saiu da equipe de Guedes junto com Mattar, também por discordâncias dentro do governo, neste caso sobre a estratégia de deixar a reforma administrativa parada.

4 – OCDE: PIB sofre contração recorde de 9,8% no 2º trimestre com impacto da covid-19

O Produto Interno Bruto (PIB) dos países que integram a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sofreu uma contração recorde de 9,8% no segundo trimestre ante os três meses iniciais de 2020, diante das medidas de isolamento motivadas pela crise do coronavírus, segundo dados preliminares citados em relatório publicado nesta quarta-feira, 26, pela OCDE.

Entre as sete maiores economia do mundo, o Reino Unido sofreu a queda mais dramática no período, de 20,4%, aponta a OCDE.

Em outras partes da Europa, os tombos da economia entre abril e junho foram de 13,8% na França, de 12,4% na Itália e de 9,7% na Alemanha, ressalta o documento. Na zona do euro e na União Europeia (UE), as perdas foram de 12,1% e 11,7%, respectivamente.

5 – Lei dos Portos passa por minirreforma e amplia capacidade operacional

Considerada uma “minirreforma” pelo Ministério da Infraestrutura, a Medida Provisória 955/2020 foi sancionada hoje pelo governo federal. O dispositivo altera a Lei dos Portos e torna a atividade portuária mais aberta para a realização de negócios. A lei também cria regras para o funcionamento dos portos durante a pandemia, além de definir normas de afastamento e de indenização de trabalhadores em grupos de risco.

LEIA MAIS: Governo e Congresso tentam acelerar novos marcos legais para a retomada

Segundo nota divulgada pela pasta, a flexibilização de contratos de arrendamento é uma das principais mudanças trazidas pela lei. Não há mais necessidade de licitação quando apenas um interessado em arrendamento portuário for inscrito no processo, e a contratação será feita por chamamento público.

De acordo com o ministério, a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) passa a ter competência para regulamentar outras formas de exploração de áreas e instalações portuárias não previstas na legislação. Atualmente, a agência dispõe apenas do contrato de arrendamento para a ocupação de instalações portuárias.

*Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Diversifique a sua carteira e deixe que um gestor especializado cuida pra você! EInvista em Fundos de Investimento!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.