Siga nossas redes

Geral

Turistas de Las Vegas processam grandes hotéis por altos preços

Grupo estaria cobrando mais caro dos hóspedes por meio de um algoritmo projetado para maximizar seus lucros.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Todo mundo sabe que você não pode quebrar a banca em Las Vegas, mas agora alguns visitantes dizem que você não pode nem aproveitar um hotel – e foram à justiça.

Os maiores hotéis de Las Vegas, incluindo o Bellagio, o Caesars Palace e o Wynn, estão em conluio para cobrar mais dos hóspedes pelos seus quartos por meio de um algoritmo projetado para maximizar seus lucros, de acordo com um processo, aberto em um tribunal federal de Nevada.

Las Vegas
Las Vegas. Crédito: Pixabay

Os réus são: MGM Resorts, Caesars Entertainment, Wynn Resorts e Treasure Island; os queixosos, dois visitantes frequentes de Las Vegas que alegam ter pago caro demais por seus quartos como resultado de um esquema anticompetitivo. Também foram processados o Cendyn Group e sua subsidiária Rainmaker Group, fornecedores dos algoritmos de preços.

O processo é o mais recente de uma onda crescente de casos antitruste visando modelos algorítmicos ou serviços de corretagem de dados supostamente usados para facilitar a coordenação de preços em todo um setor. As alegações ecoam dezenas de processos recentemente movidos contra os principais locatários do país com reivindicações semelhantes.

Algoritmos ditando os preços de hotéis

As operadoras de hotéis costumavam tentar preencher todos os seus quartos, mesmo que isso significasse oferecer descontos em suas diárias. Com a adoção dos algoritmos de precificação, os hotéis aumentam os preços dos quartos, enquanto aceitam a perda de receita das acomodações não alugadas, de acordo com o processo.

Em um mercado competitivo, isso nunca funcionaria, e “uma operadora de hotel com quartos vazios e superfaturados acabaria falindo”, escreveram os advogados dos queixosos no processo.

Mas não é isso que está acontecendo, dizem eles.

Em vez disso, as operadoras processadas alegaram aumentos de receita de até 15% enquanto usam os produtos do Rainmaker Group, de acordo com a denúncia. Agora, cerca de 90% das operadoras de hotéis na faixa usam os produtos, disseram os queixosos.

Diária mais cara da história de Las Vegas

A Travel Weekly descobriu que os visitantes de Las Vegas “pagaram a diária média mais alta” da história da cidade em setembro, “uma tendência que provavelmente continuará”, escreveram os advogados.

Há cerca de 30 hotéis na avenida mais famosa de Las Vegas, a Las Vegas Boulevard – Strip -, e as operadoras processados controlam pelo menos 20 deles, de acordo com a denúncia.

Um porta-voz da MGM negou qualquer irregularidade em um comunicado na quinta-feira.

“As reivindicações contra o MGM Resorts são factualmente imprecisas e pretendemos nos defender vigorosamente”, disse o porta-voz, chamando as alegações de “sem mérito”.

Representantes de Wynn e Cendyn declinaram pedidos de comentário. Caesars e Treasure Island não responderam imediatamente aos pedidos de comentário.

Como funciona a coleta de dados

O Rainmaker Group coleta uma série de dados, incluindo informações sobre preços, detalhes de cada reserva ou tentativa de reserva, até mesmo a identificação de visitantes individuais, classificando-os com base no valor que provavelmente gastarão visitando os cassinos, de acordo com a denúncia.

O algoritmo então faz uma recomendação de preço para o hotel, que o Rainmaker afirma ser aceito 90% das vezes, escreveram os advogados.

Isso significa que o algoritmo, “não as forças normais do mercado”, define os preços, disseram eles.

O caso é Gibson x MGM Resorts International 23-cv-140, Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Distrito de Nevada (Las Vegas).

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.