Siga nossas redes

Perfis

Chieko Aoki

Chieko Aoki

Descubra a biografia da "dona da hotelaria" no Brasil e da Blue Tree Hotel, além de sua idade, formação e mais.

Biografia de Chieko Aoki


Quem é Chieko Aoki

Chamada de “a dama da Hotelaria no Brasil”, Chieko Aoki nasceu em 16 de setembro de 1948 em Fukuoka, norte da ilha Kyushu, no sudoeste do Japão. Há quase 27 anos é presidente do Blue Tree Hotels. Em 2013, ela foi nomeada pela revista Forbes como a segunda mulher mais poderosa do Brasil. Ela ficou atrás de Graça Foster, então presidente da Petrobras. Chieko ganhou relevância no mundo empresarial quando ainda se falava pouco em protagonismo feminino. 

Caso prefira, confira o conteúdo abaixo em áudio:

 

Formação

 

Chieko nasceu no Japão e se mudou para o Brasil aos 6 anos. A família Nishimura aceitou o convite de uma tia viúva, com dois filhos, que morava em Bastos, no interior de São Paulo. Os pais iriam trabalhar numa propriedade dessa parente. 

 

A empresária, quando criança, estudou em escolas públicas. O ensino médio foi feito em São Caetano do Sul. E o curso de secretariado, na Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), no centro da capital paulista. Uma das primeiras ocupações foi como secretária, na Ford. 

 

Formada em direito pela Universidade de São Paulo, ela trabalhou na Europa, Ásia e Estados Unidos, onde também fez cursos de pós-graduação: a empresária estudou Administração na Universidade de Sofia, no Japão, e Administração Hoteleira na Universidade Cornell, nos Estados Unidos.

 

Crise na economia japonesa e AVC

 

A experiência hoteleira de Chieko Aoki começou quando ela se casou com o empresário japonês John Aoki. Ele tinha negócios nas áreas de construção e hotelaria, com os Hotéis Caesar Park, que estavam também no Brasil. Como Chieko tinha se naturalizado brasileira, podia dar apoio aos negócios. Foi um pulo para se tornar, em 1982, diretora de marketing e vendas da rede em São Paulo. E depois assumiu a presidência do Caesar Park Hotels e Resort, assim como da companhia hoteleira Westin Hotel & Resorts, adquirida pelo grupo do marido. Na década de 1980, portanto, aproximadamente 80 hotéis em mais de 19 países eram de responsabilidade dela.

 

Mas, na década de 1990, a economia do país, em recessão, entrou em crise. Os problemas financeiros da empresa de seu marido, levaram ao sucesso “solo” da empresária.

 

Em 1997 Chieko Aoki decidiu criar a bandeira Blue Tree, que significa “árvore azul”, em português, e “aoki” (sobrenome de Chieko) em japonês. A ideia era oferecer qualidade, bom atendimento e estilo próprio de serviços a preços mais acessíveis, com relação aos cobrados no mercado. 

 

John Aoki sofreu um AVC e ficou com a saúde prejudicada até sua morte, em 2012. Com isso, Chieko resolveu vender os hotéis. 

 

O Caesar Park foi para as mãos da rede mexicana Posadas, e a Westin, para o Starwood Capital Group. A Aoki Corporation passou a se chamar Asunaro Aoki Construction, em 2004, depois que foi incorporada pela Asunaro Construction. Em 1997 ela inaugurou a bandeira Blue Tree.

 

Início da companhia Blue Tree Hotel

 

Chieko usou toda a experiência acumulada para ser uma empreendedora no ramo hoteleiro. O Blue Tree começou com alguns hotéis da Caesar Towers que ela não vendeu. No início eram 20 colaboradores, número que se mostrou suficiente para a empresa mostrar crescimento. 

 

Nos anos 2000, a rede Blue Tree tinha unidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Florianópolis, Salvador e Porto Alegre. 

 

Pandemia e a vacina

 

Um dos setores mais afetados pela pandemia do novo coronavírus foi o de turismo. Chieko usou todos os ensinamentos para prevenção, comuns no Japão (o país é um dos mais suscetíveis a catástrofes naturais e um dos mais preparados para enfrentá-los) para lidar com os desdobramentos da doença.

 

À época, quando o vírus apareceu na China e começou a surgir pelo mundo, até chegar por aqui, a empresária disse, em uma entrevista, que a rede tinha uma cultura de prevenção de riscos. O equilíbrio financeiro foi perseguido pela equipe do Blue Tree. Mas os cortes na equipe tiveram que ser feitos.

 

Apenas três unidades da rede, que ficavam perto de hospitais, ficaram abertas no início da fase de quarentena. Cada uma das unidades tinha 350 quartos – e uma parte da equipe se revezava para manter tudo limpo.

 

Os procedimentos do Blue Tree, colocados à disposição para que outros hotéis os adotassem, foram batizados de “Hospitalidade Segura”. Um médico foi contratado para que criasse protocolos de segurança sanitária, que logo foram implementados.

 

Para que a vacina chegasse ao Brasil, Chieko decidiu tomar a frente de um grupo de empresários ligados ao Unidos pela Vacina. O movimento começou com o Grupo de Mulheres Brasil, liderado pela empresária Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza. 

 

Chieko, representando a iniciativa privada, pressionou a diplomacia de alguns países para trazer vacinas ao Brasil. Os Estados Unidos mandaram três milhões de doses remanescentes ao governo brasileiro. 

 

Aos poucos os negócios foram voltando ao normal. E os funcionários demitidos foram chamados de volta. 

  • Confira: Quem é Luiza Trajano? Conheça a história da dona da Magazine Luiza

Como Chieko Aoki está hoje

O futuro mostrou que ela estava no caminho certo. A rede registrou, em 2022, alta de 191% na receita da rede, com relação ao fechamento do ano anterior. As reservas por meio do site da companhia cresceram 79% no período.

 

A empresária continua à frente dos negócios. Além disso, em seu LinkedIn pessoal, Chieko detalha que gosta de colaborar com o fortalecimento dos laços de amizade, negócios e de cultura entre os países, principalmente entre Brasil e Japão, que “conhece bem como o ‘verso e reverso’ pelas diferenças culturais e que se complementam como uma só. Ela participa ainda de grupos de mulheres executivas com o objetivo de aprender e de trocar experiências.

 

 A empresa conta atualmente com 22 hotéis em operação.

 

Vida pessoal e família 

 

A empresária tem 1,50 metro “de salto”, como costuma dizer. Ela afirma que a cultura japonesa ensina a não dizer as coisas, ou seja, “segurar”. Mas isso seria positivo, apesar do estresse – tudo na vida passa, as coisas boas e as dores também, ensina ela. 

Um dos passatempos prediletos de Chieko é cantar Elvis Presley e Frank Sinatra no karaokê. Chieko é viúva de John Aoki, que morreu em 2012 e não tem filhos. Um sobrinho dela está à frente de negócios na rede.

 

Indicações

Chieko tem preferência por obras que falam sobre gestão. Entre os autores que mais aprecia, estão Jim Coleens e Peter Druker, além de Daniel Pink. Ela gosta de citar algumas frases do livro Paradoxo Global, de John Naisbitt, para dizer que, ao mesmo tempo em que a globalização avança, criando padrões universais, os países não podem perder a sua identidade.  

Frases

Seu lema, no trabalho, é uma frase de Madre Teresa de Calcutá:

 

 “Não deixe jamais que alguém que se achegou a ti vá embora sem sentir-se melhor ou mais feliz”.

Perfil de Chieko Aoki


Nome Completo Chieko Aoki
Nascimento 06/09/1948
Local de Nascimento Fukuoka, Japão
Nacionalidade Brasileira
Formação Direito e Administração
Ocupação Presidente da rede Blue Tree
Estado Civil Viúva
Site oficial https://www.bluetree.com.br/
Redes Sociais