Siga nossas redes

Análise

Morning Call: dados de emprego nos EUA são aguardados; Ibovespa ignora o PIB!

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Cenário global e bolsa de valores

Hoje, no cenário externo, o dia começa com os mercados atentos e preocupados com a economia chinesa após dados que confirmam a desaceleração do crescimento, mas é provável que a China aumente os gastos fiscais e disponibilize mais crédito. Os investidores esperam que qualquer medida de afrouxamento monetário de Pequim seja bem direcionada, à medida que o Federal Reserve se prepara para reduzir seu próprio estímulo. Além disso, há expectativa em torno da criação de vagas de trabalho nos Estados Unidos (payroll) que será divulgado nesta sexta-feira e pode vir abaixo do esperado, depois de dados decepcionantes de criação de vagas no setor privado da ADP, que apontou a abertura de 374 mil empregos em agosto, ante 330 mil em julho, mas longe do consenso de 613 mil. 

As bolsas europeias subiam nesta quinta-feira, puxadas por ações de empresas de viagens e montadoras, mas conforme comentamos anteriormente, dúvidas sobre as perspectivas de política monetária e sinais de desaceleração do crescimento global limitavam ganhos maiores, apesar do índice europeu Stoxx 600 se manter próximo da máxima histórica mostrando que as bolsas europeias estão fortes. O viés estrutural é positivo, mas hoje, os investidores adotam mais cautela antes de dados de empregos dos Estados Unidos, de sexta-feira, que podem influenciar o posicionamento do Federal Reserve sobre o aperto da política monetária americana e que impacta direta e indiretamente as economias globais.

O futuro do S&P 500 subia 0,15%, a 4.528 pontos; O índice pan-europeu STOXX 600 tinha alta de 0,15%, a 473,84 pontos; Em LONDRES, o índice Financial Times recuava 0,10%, a 7.142 pontos; Em FRANKFURT, o índice DAX caía 0,03%, a 15.819 pontos; Em PARIS, o índice CAC-40 .FCHI ganhava 0,03%, a 6.760 pontos; O petróleo tipo Brent em Londres avançava 0,68%, a 72,08 dólares por barril; Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,33%, a 28.543 pontos; Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,24%, a 26.090 pontos; Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,84%, a 3.597 pontos.

Cenário no Brasil

Depois do PIB negativo no segundo trimestre, que traz revisões em baixa para o crescimento, o destaque de hoje é a produção industrial de julho (9h), com previsão de queda. As projeções de inflação sobem, em consequência do tarifaço de energia, e traz mais pressão para o Banco Central no ajuste total da Selic. Isso acaba impactando todas as classes de ativos diretamente, com destaque para ações e fundos imobiliários que perdem fluxo de investimentos. Como de costume no país, o cenário político sempre tem protagonismo e no Senado, o governo teve derrotas ontem à noite com a rejeição da MP trabalhista e a mudança nas regras dos planos de saúde das estatais. Já na Câmara, passou a reforma do Imposto de Renda, com forte apoio da oposição.

Ibovespa

O PIB mais fraco do que o esperado e o ambiente de ruído fiscal não impediram o Ibovespa de subir 0,52% e testar novamente os 119 mil pontos no primeiro pregão de setembro, após dois meses seguidos de perdas, refletindo o quadro externo favorável, além de ajustes de posições tradicionais de começo de mês. O giro ficou na média em R$ 29,7 bilhões. Além do ambiente de negócios positivo de NY, o rali das elétricas com a nova bandeira tarifária da Aneel foi determinante para sustentar o Ibovespa. No acumulado de agosto, o investidor estrangeiro ingressou com R$ 7,35 bilhões; no ano, o saldo é positivo em R$ 47,11 bilhões. Pelo lado vendedor na bolsa brasileira, estão os investidores domésticos, institucionais e pessoas físicas, ajustando suas posições em um cenário de juros em alta. 

Indicadores econômicos e eventos
Fipe: IPC de agosto projeta mediana de 1,42%, na margem (5h)
Zona do euro / Eurostat: PPI de julho e Núcleo do PPI (6h)
FGV: IPC-S Capitais de agosto (8h)
IBGE: Produção Industrial de julho projeta (9h)
EUA / Deptº do Comércio: Balança comercial de julho (9h30)
EUA / Dpto Trabalho: Pedidos de auxílio-desemprego da semana até 28/08 (9h30)
EUA / Depto. do Comércio: encomendas à indústria de julho (11h)
Japão / IHS Markit / Banco Jibun: PMI de serviços de agosto (21h30)
China / Caixin: PMI composto de agosto e PMI de serviços (22h45)

Quer segurança e rentabilidade acima da poupança para seus investimentos? Invista em CDB!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!
ANÚNCIO PATROCINADO   Confira a carteira com as 10 ações recomendadas para Janeiro

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!