Siga nossas redes

SO$ Finanças

IGPM, INCC ou TR: qual o melhor índice para financiar o imóvel pela construtora?

Especialistas respondem a dúvidas dos leitores sobre seu dinheiro; envie sua pergunta.

Publicado

em

por

Carlos Caporal*
imóvel

Pergunta do leitor: Qual é o melhor indexador para corrigir o financiamento de um imóvel pela construtora: IGP-M, INCC ou TR?

Resposta de Carlos Caporal*

Se você pretende comprar um imóvel direto com a construtora, considere conhecer os índices de reajustes das parcelas. Como você está negociando algo que ainda não existe, a construtora não cobra juros sobre o valor financiado durante o período de construção do empreendimento, costuma oferecer prazos mais flexíveis, além de estabelecer um valor mais baixo do que seria cobrado pela mesma unidade pronta, para compensar os riscos.

Já os bancos são mais burocráticos na aprovação do crédito e, por isso, a construtora vê como vantagem competitiva facilitar a concessão.

Na outra ponta está o momento atual da economia, que deve ser levado em consideração. Esse tipo de transação está atrelado a juros variáveis, com parcelas reajustadas por índices de inflação. Faça uma comparação com outras taxas de financiamentos para avaliar se esse ponto pode ser uma desvantagem.

Normalmente, os contratos já vêm com os seus índices financeiros definidos e especificados no momento de fechar o negócio. Com um pouco de conhecimento a respeito dos diferentes indicadores, é possível ter um bom embasamento para questionar o índice escolhido ou propor uma referência diferente para o contrato, quando for cabível. É importante ter cuidado com este detalhe porque, uma vez assinado o contrato, é incomum a troca de índice durante sua vigência.

Conheça os índices aplicados:

INCC

Criado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) o INCC, como é conhecido o Índice Nacional de Custo da Construção, acompanha a variação de custos na construção de unidades habitacionais, ou seja, ele estima a evolução dos valores envolvidos na área da construção. É utilizado para corrigir as parcelas de imóveis na planta ou em construção, até que estejam prontos.

O reajuste é feito para atualizar o valor pago pelo cliente, de acordo com a variação do preço dos materiais de construção e os salários pagos para os trabalhadores da construção civil. Este indicador é utilizado como referência para reajuste de contratos de compra e venda de imóveis, tanto em construção quanto na planta.

Após pronto o imóvel, o indexador que corrige os valores das prestações é o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado)

IGP-M

Também calculado pela Fundação Getúlio Vargas, o Índice Geral de Preços de Mercado é calculado levando em consideração outros índices de custos comuns, como o Índice de Preço por Atacado, o Índice de Preços ao Consumidor e o próprio INCC. Assim, ele é um dos índices financeiros mais utilizados como base para reajuste de diversos contratos, como a própria conta de luz.

TR

O TR, ou Taxa Referencial de Juros, é um dos índices financeiros mais importantes para quem está considerando fazer um financiamento imobiliário. Ele é o mesmo indicador aplicado na correção dos depósitos das cadernetas de poupança, sendo utilizado também nos contratos de crédito imobiliário do Sistema Financeiro de Habitação como indexador de prestações.

Seu valor é definido todo mês pelo Banco Central de acordo com a remuneração média das aplicações bancárias.

A correção monetária não deve ser confundida com os juros cobrados nos financiamentos. A função da correção monetária é fazer a atualização do valor do bem para recuperar os efeitos da inflação.

Qual índice escolher?

Vale alertar que, levando-se em consideração os índices atuais (da TR e do IPCA), em contratos com sistema de amortização SAC, o valor do saldo devedor tem uma redução mais acelerada, no caso da TR.

Para os contratos corrigidos pela TR, a vantagem é a previsibilidade da prestação que ela oferece, já que a parcela será praticamente a mesma em todos os meses contratados. Não sendo corrigido pela inflação geral.

Porém, com o IPCA, a taxa de juros é bem mais baixa, mas as parcelas não serão fixas e poderão sofrer alterações de acordo com as variações desse índice.

É importante entender que a melhor opção sempre é aquela que se adequa ao seu perfil. Dessa maneira, você consegue estabilizar sua renda, adequar o financiamento ao que é mais fácil para você e garantir maior estabilidade em suas movimentações financeiras.

*Carlos Caporal é planejador fiduciário da Fiduc.

As informações neste artigo são de inteira responsabilidade do autor e não do InvestNews e das instituições com as quais ele possui ligação. Envie sua pergunta para [email protected]


Com CDB, quem empresta dinheiro para o banco é você! Invista já!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.