Siga nossas redes

Economia

Crise imobiliária chinesa é muito pior do que dados mostram

Especialistas dizem que os índices oficiais provavelmente estão subestimando a profundidade do problema.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 3 minutos

A julgar pelas estatísticas oficiais da China, o mercado imobiliário do país tem se mostrado notavelmente resistente diante do crescimento econômico morno e da inadimplência recorde das incorporadoras.

Os preços de imóveis novos deslizaram apenas 2,4% em relação à máxima de agosto de 2021, segundo dados do governo, enquanto os de imóveis usados caíram 6%.

Mas o quadro pintado pelas corretoras imobiliárias e provedoras de dados privados é muito pior.

Esses números mostram que os preços dos imóveis usados afundaram pelo menos 15% nos bairros nobres das principais áreas metropolitanas, como Xangai e Shenzhen, bem como em mais da metade das cidades de segunda e terceira linha da China. Imóveis residenciais usados perto da sede do Alibaba, em Hangzhou, despencaram cerca de 25% em relação às máximas do final de 2021, segundo corretoras locais.

Bandeira da China em Hong Kong 01/10/2022 REUTERS/Tyrone Siu

Embora seja difícil traçar comparações, especialistas do setor e economistas dizem que os índices oficiais de preços de imóveis na China provavelmente estão subestimando a profundidade da crise, em parte por causa de uma metodologia antiga que não capta as viradas do mercado.

Isso aumenta a preocupação entre os investidores sobre os dados econômicos na China, onde o acesso a algumas informações fica cada vez mais restrito sob o governo do presidente Xi Jinping. Também coloca em dúvida o quanto os próprios formuladores de políticas têm uma compreensão precisa do mercado quando elaboram medidas para sustentar a demanda.

Outro risco é que os compradores de imóveis cautelosos recuem, esperando que as quedas de preços apareçam nos dados oficiais antes de fechar negócios.

Dados maquiados?

Analistas dizem que a metodologia empregada, que se baseia em parte em pesquisas em vez de dados de preços de transações, ajuda as autoridades a suavizar as tendências e evitar grandes oscilações. Nos EUA, indicadores conhecidos usam dados de preços de imóveis coletados em cartórios de registro de escrituras em todo o país.

O departamento de estatísticas da China disse em uma explicação online que os dados brutos sobre preços de imóveis novos são baseados em todas as vendas e compras registradas nos órgãos locais de transações imobiliárias.

Os dados dos usados, no entanto, são baseados nas vendas de projetos-chave e em pesquisas, disse. O órgão disse à Bloomberg que usa o índice de preços de Laspeyres, uma fórmula comum usada em todo o mundo, para calcular seu indicador de preços de imóveis residências em 70 cidades. 

Os observadores do mercado dizem que a metodologia de amostragem e cálculo do índice permanece ambígua.

Dados baseados em pesquisas “servem a um propósito de evitar flutuações extremas”, disse Alicia Garcia Herrero, economista-chefe para Ásia-Pacífico da Natixis, em Hong Kong. “Mas quando as pessoas desconfiam que os preços estão caindo mais e, portanto, não compram, essa abordagem frustra seu próprio propósito.”

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.