Siga nossas redes

Economia

Economistas preveem juros do Fed a 5% em 2023 e recessão global

As projeções do Federal Reserve divulgadas na reunião de setembro mostravam os juros chegando a 4,6% no próximo ano.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 2 minutos

O Federal Reserve (FED) provavelmente manterá sua postura agressiva e estabelecerá as bases para que os juros cheguem a 5% em março de 2023, o que deve levar os EUA e o mundo a uma recessão, segundo economistas consultados pela Bloomberg.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) aumentará a taxa básica dos EUA em 0,75 ponto percentual pela quarta reunião consecutiva na próxima quarta-feira (2), segundo a pesquisa.

Os economistas projetam mais meio ponto em dezembro, e altas de um quarto nas duas reuniões seguintes. As projeções do Fed divulgadas na reunião de setembro mostravam os juros chegando a 4,4% este ano e 4,6% no próximo, com cortes em 2024.

Os Economistas veem um Fed determinado a não mudar a direção da política monetária cedo demais diante da inflação mais alta em 40 anos. 

Fed

A estimativa de uma taxa de pico mais alta reflete números mais altos do que o esperado para o núcleo do índice de preços ao consumidor nos últimos dois meses. A pesquisa com 40 economistas foi realizada de 21 a 26 de outubro.

“As pressões inflacionárias permanecem intensas e o Fed deve subir 75 pontos-base em novembro”, disse James Knightley, economista-chefe internacional do ING, em uma resposta à pesquisa. “Atualmente, estamos prevendo um aumento mais suave de 50 pontos-base em dezembro, devido a um cenário econômico e de mercado enfraquecidos”, mas os riscos pendem para uma quinta alta de 75 pontos-base, disse.

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse que o banco central está fortemente comprometido em restaurar a estabilidade de preços. Ele alertou que o processo será doloroso.

Powell e seus colegas não perderam a esperança de conseguir um pouso suave para a economia. Mas pela primeira vez nas pesquisas antes da reunião do FOMC, a maioria dos economistas — três quartos — vê uma recessão como provável nos próximos dois anos, e a maioria dos restantes vê um pouso forçado com um período de crescimento zero ou negativo à frente.

O risco de que o banco central americano aumente juros demais e cause danos desnecessário à economia é maior do que o de apertar de menos, segundo 75% dos economistas.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.