Siga nossas redes

Economia

Ranking do PIB: Brasil piora desempenho na comparação com outros 30 países

A queda de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) colocou o Brasil em 26º lugar em um ranking com 30 países.

Publicado

em

PIB
Consumidores fazem compras em supermercado do Rio de Janeiro 02/09/2021 REUTERS/Ricardo Moraes

A queda de 0,1% da economia no 3º trimestre colocou o Brasil em 26º lugar em um ranking do PIB com 30 países, atrás de vizinhos como Peru e Chile. Além disso, uma comparação com as listas dos trimestres anteriores mostra que o Brasil vem piorando sua colocação, na medida em que a economia perde força em meio a obstáculos como a alta da inflação

O levantamento é feito pela Austin Rating com os resultados trimestrais já divulgados até esta quinta-feira (2). 

Piora ao longo do ano

Com base nos levantamentos feito pela Austin no primeiro, no segundo e no terceiro trimestre deste ano, o InvestNews comparou o posicionamento do Brasil nas três listas. Para isso, foram considerados apenas os países que apareceram nos três levantamentos. 

O resultado mostra que, numa lista com os mesmos 30 países, o PIB do Brasil ficou em 11º lugar no primeiro trimestre, depois caiu para 23º no segundo e ficou em 25º no terceiro – sem considerar possíveis revisões de dados anteriores eventualmente feitas pelos outros países.

A posição do Brasil

Alex Agostini, economista-chefe da Austin Rating, comenta que, apesar de problemas conjunturais como crise hídrica e incertezas políticas, o Brasil tem questões estruturais que fazem com que, ao longo dos anos, o país esteja sempre “do meio da tabela para baixo” nesses rankings de comparação do PIB. 

“Esse ‘do meio da tabela para baixo’ que é o ponto. Isso reforça o quanto o Brasil tem problemas domésticos”, diz. “Quando a gente olha, por exemplo, ao longo da última década,  o PIB do Brasil de 2011 a 2020 cresceu em média ao ano 0,7%. Então, só por esse número a gente já compreende um pouco por que o Brasil está ali sempre abaixo. O problema não é só agora, já vem de longa data.”

Entre os problemas estruturais, Agostini cita o “baixo nível de investimentos” e “um aparelho tributário que arrecada muito e gasta mal”. “São vários problemas da economia brasileira que fazem com que a gente fique na rabeira do crescimento.”

Sobe e desce de países

Vista do porto de San Antonio, Chile 29/03/2019 REUTERS/Rodrigo Garrido

Agostini comenta que a economia mundial “ainda está em fase de acomodação da pandemia” e, por esse motivo, os levantamentos têm mostrado um certo “revezamento” entre os líderes do ranking do PIB. Enquanto o topo da lista foi ocupado por países asiáticos no primeiro trimestre e europeus no segundo, agora os países produtores de petróleo e alguns sul-americanos se saíram melhor. 

“No caso desse ranking, a gente vê que lá na frente são os países que têm petróleo. E tem os sul-americanos ali no meio. Por quê? Uns é a questão do petróleo, e outros é a da base de comparação, que foi muito fraca lá atrás e agora cresceu muito, como o Brasil em algum momento do tempo também teve uma boa colocação”, comenta Agostini. 

Veja abaixo o ranking do PIB do 3º trimestre

RANKINGPAÍSPIB (3º tri x 2º tri)
Arábia Saudita5,8%
Colômbia5,7%
Chile4,9%
Noruega3,8%
Filipinas3,8%
Peru3,6%
França3,0%
Turquia2,7%
Itália2,6%
10ºEstados Unidos2,1%
11ºEspanha2,0%
12ºHolanda2,0%
13ºAlemanha1,8%
14ºBélgica1,8%
15ºSuécia1,8%
16ºSuíça1,7%
17ºIndonésia1,6%
18ºCanadá1,3%
19ºCingapura1,3%
20ºReino Unido1,3%
21ºChina0,8%
22ºIsrael0,6%
23ºTaiwan0,6%
24ºCoreia do Sul0,3%
25ºHong Kong0,1%
26ºBrasil-0,1%
27ºMéxico-0,2%
28ºJapão-0,8%
29ºTailândia-1,1%
30ºAustrália-1,9%

Veja também

  • Números do PIB do 3º tri podem ser sinal negativo para os próximos meses
  • PIB contrai 0,1% no 3º tri e país entra em recessão técnica
  • PIB: o que é, para que serve, como funciona e como é calculado?
  • Com IPCA acima 10% em 12 meses, risco de estagflação fica mais forte? Entenda

Invista sem precisar pagar Imposto de Renda! Invista em CRI e CRA!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!