Siga nossas redes

Finanças

Ano será bom para ações de valor, dizem estrategistas do Goldman

Após desempenho inferior às badaladas ações de crescimento, papéis com múltiplos de preço baixos se saíram bem em 2022.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 3 minutos

As chamadas ações de valor podem brilhar novamente este ano, com bancos centrais firmes no aperto monetário e investidores com receio de ações de tecnologia caras, segundo estrategistas do Goldman Sachs.

Depois de anos com desempenho inferior às badaladas ações de crescimento, os papéis com múltiplos de preço baixos se saíram bem em 2022, quando os principais bancos centrais aumentaram juros para conter a inflação. 

“Essa tendência ainda vai mais longe à medida que as gigantes de tecnologia sofrem mais pressão sobre as margens, os preços das commodities sobem e as taxas de juros reais permanecem mais altas”, disseram estrategistas liderados por Peter Oppenheimer.

Cautela com big techs

Os estrategistas do Goldman não são os únicos que parecem cautelosos em relação aos papéis de tecnologia e outras ações de crescimento, que lideraram o pior colapso das bolsas americanas desde 2008 no ano passado. 

Savita Subramanian, do Bank of America, disse nesta quarta-feira que os investidores devem evitar segmentos do mercado como grandes empresas de tecnologia. Michael Wilson, do Morgan Stanley, uma das vozes mais pessimistas de Wall Street, também avisou que as margens de lucro das empresas de tecnologia provavelmente sofrerão um impacto este ano.

Efeito dos juros elevados

Juros mais altos tendem a prejudicar particularmente as ações de crescimento com múltiplos de preço mais inflados, incluindo tecnologia, porque corroem o valor presente dos lucros futuros estimados que costumam atrair os investidores em períodos de expansão. Embora os múltiplos tenham caído no ano passado, Oppenheimer, do Goldman, disse que esses setores continuam caros, enquanto os setores financeiro e energético estão relativamente baratos.

O MSCI World Growth Index é negociado a quase 21 vezes o lucro estimado para os próximos 12 meses, acima da média de 18 vezes nos últimos 20 anos, de acordo com dados compilados pela Bloomberg. O indicador para ações de valor, por outro lado, é negociado ligeiramente abaixo da média de longo prazo, mostram os dados. A diferença de desempenho das ações de valor em relação às de crescimento no ano passado foi a maior desde 2000.

Com a sinalização do Fed de que as taxas de juros provavelmente permanecerão elevadas até que haja novos sinais de arrefecimento da inflação, a perspectiva de lucros “será crucial” à medida que os múltiplos de preço caírem ainda mais, disse Oppenheimer. O crescimento econômico também precisará atingir o fundo do poço antes que uma recuperação sustentada nos mercados de renda variável em geral ocorra, alertou.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.