Siga nossas redes

Finanças

As 5 piores e 5 melhores ações da semana

Com sinais de reabertura econômica, Ibovespa segue humor das bolsas internacionais

Publicado

em

por

Katherine Rivas
B3 Bolsa Ibovespa
Crédito: Shutterstock

Com a economia norte-americana pronta para uma reabertura gradual, segundo anunciou o presidente Donald Trump, o Ibovespa tem acompanhado o desempenho positivo do cenário internacional. A Bolsa, encerrou esta sexta-feira (17), em alta de 1,51% aos 78.990 pontos. No acumulado da semana, o Ibovespa avançou 1,68%.

Segundo Murilo Breder, analista da Levante, o Ibovespa tem forte interdependência com outras bolsas estrangeiras, especialmente EUA, Europa, Alemanha e Londres. “Enquanto a pandemia continuar, a bolsa brasileira vai seguir o humor das bolsas internacionais e sentir os impactos deste cenário no curto prazo”, explica Breder e acrescenta que reformas estruturais devem ficar em segundo plano “Agora isso não vai durar para sempre, depois que a pandemia passar o Brasil será obrigado a olhar para as próprias mazelas, com fortes gastos fiscais, fazendo com que o mercado recue”, defende.

Destaques da semana

Seguindo o cenário externo positivo, o Ibovespa avançou 1,68%. O destaque negativo foi da Cielo (CIEL3), que no acumulado da semana recuou 6,21%. Para Breder, a perda da companhia teve o impacto direto da redução das vendas do varejo. “Segundo dados divulgados em março, o varejo perdeu 11,7%, paralisando os comércios, em consequência isso afetou a Cielo”, diz.

Além da Cielo, entre as cinco maiores quedas da semana estão: Telefônica (VIVT4), Petrobras Distribuidora (BRDT3), Cia Hering (HGTX3) e Ambev (ABEV3)

Breder avalia que a queda da Vivo está relacionada a uma inversão de fluxo de mercado, para um ativo que é considerado defensivo. Desta forma, quando a bolsa vai mal a Vivo vai bem e vice-versa. Já a Petrobras Distribuidora é impactada pelo acordo da Opep, que o mercado não vê como suficiente para fazer o petróleo deslanchar.

A situação da Hering, estaria relacionada a dificuldade que a empresa tem com as vendas. “A Hering já passava por dificuldades, agora com as lojas físicas fechadas vai ter que se virar para vender online. A situação deles ficou ainda pior”, afirma o analista.

Um fluxo similar ocorre com a Ambev, cujo foco de vendas era em bares e baladas. Com os estabelecimentos fechados restaram as compras em supermercado. “Quando você vai ao mercado fica de olho nos preços, o que pode diminuir a margem da Ambev e abrir espaço para os concorrentes”, defende.

Confia as cinco maiores quedas da semana:

Ação Queda
CIELO (CIEL3) -6.21%
TELEF BRASIL (VIVT4) -5.77%
Petrobras Distribuidora (BRDT3) -5.20%
CIA HERING (HGTX3) -5.19%
AMBEV (ABEV3) -4.13%

O destaque positivo da semana foi da Braskem (BRKM5) que subiu 28,91%. Ainda entre as cinco maiores altas estavam: a Via Varejo (VVAR3), IRB Brasil Resseguros (IRBR3) , Natura (NTCO3) e Gerdau (GGBR4)

Segundo Breder os destaques positivos da semana foram aqueles que perderam muito valor por causa do coronavírus, uma espécie de recuperação do mercado. É o caso da Via Varejo que perdeu ao fechar muitas lojas, ou a IRB Brasil que chegou ao fundo do poço.

Já a Gerdau estaria se beneficiando pelo cenário internacional onde economias como a China, Europa e Itália começam a reabrir comércios e retomar atividades.

A Braskem deu um golpe de sorte após receber a recomendação da Morgan Stanley, que em um único dia fez as ações da companhia subirem 15%. “Não tem como negar que isso influenciou na alta da semana. Outro fator é que os rumores de que a Braskem pode entrar no novo mercado continuam, o que faz dela uma empresa segura”, conclui Breder. A companhia foi a maior alta da semana com crescimento de 28,91%

Confira as cinco maiores altas da semana:

Ação Alta
GERDAU (GGBR4) 14.95%
NATURA (NTCO3) 15.04%
IRB Brasil Resseguros (IRBR3) 18.02%
Via Varejo (VVAR3) 25.83%
BRASKEM (BRKM5) 28.91%

Seja sócio das maiores empresas do Brasil com corretagem ZERO! Invista em Ações

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!