Siga nossas redes

Finanças

Ataques aos 3 Poderes vão afetar bolsa e ativos de risco, prevêem analistas

Agentes do mercado financeiro acreditam que desdobramentos deste domingo (2) terão efeito negativo na B3.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

As invasões a prédios da sede dos Três Poderes que resultaram em depredação do patrimônio público e em intervenção federal decretada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva neste domingo (2) devem repercutir na abertura dos negócios da bolsa brasileira, a B3, e nos demais ativos de risco nesta segunda-feira (9), segundo agentes do mercado financeiro.

Os ataques aos prédios dos Três Poderes ocorreram dois anos e dois dias após apoiadores do então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, terem invadido o Capitólio, sede do Congresso americano, em uma tentativa de impedir Joe Biden de assumir a presidência do país.

Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro invadem prédio em Brasília 08/12/2023 REUTERS/Adriano Machado

O economista da Infinity Asset, Jason Vieira, declarou nas redes sociais que, para o mercado, “o sinal é péssimo”, especialmente àqueles que muitas vezes respondem por metade do fluxo [das negociações do mercado financeiro].

“O 8 de janeiro vai ter o mesmo efeito, com caça às bruxas, eventos de ordem jurídica com e sem razão, fortalecimento do discurso do judiciário e tal atitude anti-democrática vai criar novas atitudes anti-democráticas, ao invés de criar um oposição forte com tudo que conquistou”, afirmou Vieira.

Crise institucional e efeito nos mercados

Segundo escreveu o economista André Perfeito, uma crise institucional está se instalando no país e isso deve ter efeito sobre o preço dos ativos financeiros, uma vez que autoridades do Distrito Federal foram responsabilizadas por não garantir a ordem e por sugerir “insubordinação”.

“Para além da imagens fortes com a destruição de todos os prédios públicos da República cumpre notar que estes manifestantes não vão “sumir” do dia para a noite, logo a dispersão destes de Brasília irá tomar dias”, declarou Perfeito.

Na visão do economista, o silêncio dos militares não passa sem ser notado e se não se posicionarem, “uma espada ficará sobre a cabeça do presidente e ele não pode tolerar isso”.

“Neste cenário é razoável supor que a percepção de risco se eleva e assim juros devem subir com efeitos na bolsa e outros ativos. Provavelmente a situação será superada, mas serão dias tensos nos mercados e na nação até que o Planalto restabeleça a ordem e que os militares se posicionem de vez”, avaliou Perfeito.

Invasão aos 3 Poderes

Imagens mostraram manifestantes furando o bloqueio de segurança e invadindo os prédios do Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal e Palácio do Planalto neste domingo (2). Centenas de pessoas foram vistas depredando os espaços, quebrando vidros, móveis e portas das sedes dos Três Poderes.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva decretou intervenção federal para conter novos atos antidemocráticos até 31 de janeiro. Ele classificou os atos como “barbárie” a invasão à sede do governo nacional e a Suprema Corte.

Os principais veículos da imprensa internacional repercutiram com destaque os desdobramentos das invasões em Brasília neste domingo (2), entre eles o jornal “The News York Times” e “The Guardian”.

Pelo menos 150 pessoas haviam sido presas por depredação ao patrimônio público (ano menos 30 no Senado Federal), após invasão ao prédio do Congresso, segundo informações da Rede Globo e da CNN Brasil.

*Com Reuters

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.