Siga nossas redes

Finanças

Dólar fecha a R$ 4,20 e Bolsa cai mais de 1% com epidemia na China

Ações da Gol e Azul tiveram fortes perdas diante de temores de que turistas podem cancelar viagens nos próximos dias.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

bolsa brasileira b3
Crédito: Shutterstock

O Ibovespa, principal indicador de ações da B3, fechou em forte queda nesta terça-feira (21), contagiado pelo clima de cautela no exterior. O mercado ficou temeroso com as mortes relacionadas a um vírus na China, o que ajudou a ofuscar declarações de líderes mundiais no Fórum Econômico Mundial.

O índice recuou 1,54%, aos 117.026 pontos, pressionado pela forte baixa nas ações de Vale, Petrobras, Bradesco e Itaú Unibanco. Os papéis das companhias aéreas do setor aéreo Gol e Azul tiveram fortes perdas de 2,96% e 2,78%, diante de temores de que muitos turistas desistam de viajar nos próximos dias.

O dólar comercial fechou negociado a R$ 4,2060, em alta de 0,40%.

A doença contagiosa causada por um novo tipo de coronavírus, identificado inicialmente na região central da China e com um caso confirmado até o momento nos EUA, foi a vilã do dia.

As bolsas de Nova York foram às mínimas da sessão após o Centro para Controle e Prevenção de Doenças nos EUA ter confirmado que um cidadão americano, de volta da China, foi diagnosticado com o vírus em Seattle, segundo relato da agência AP.

O temor se espalhou desde cedo, dos mercados da Ásia para os da Europa e dos EUA, de forma geral em terreno negativo ao longo do dia, com perdas mais fortes no Oriente, onde a Bolsa de Hong Kong fechou em queda de 2,81%.

A onda de aversão ao risco ganhou força na medida em que a eclosão da doença, na cidade de Wuhan, ocorre às vésperas do início do feriado pela passagem do Ano Novo Lunar, quando a folga prolongada leva milhões de chineses a se deslocarem pelo país, alavancando a chance de disseminação do vírus.

A MCM Consultoria avalia que os problemas causados pelo coronavírus podem reduzir gastos de produtos mais caros. O último caso de saúde pública na China que impactou os mercados foi a Sars em 2002-2003, lembra a MCM. “Ativos de risco recuam por conta de notícias diversas: fracos resultados corporativos na zona do euro e problemas de saúde pública na China.”

O Ibovespa acompanhou as bolsas europeias e de Nova York, que também operaram em queda, após superar seu recorde de fechamento na segunda (20), quando subiu 0,32% a 118.861 pontos, superando o recorde do dia 2 de dezembro de 2019.

O principal índice da B3 também foi conduzido pela cautela internacional e ainda por notícias internas consideradas desfavoráveis, pelo menos até os investidores ouvirem mais palavras do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O ministro da Economia participa de um painel no Fórum Econômico Mundial sobre a América Latina em Davos, para tentar melhorar a imagem econômica do Brasil e atrair mais investidores no exterior.

Em seu primeiro dia em Davos, Paulo Guedes afirmou que o inimigo do meio ambiente é a pobreza, e que “quem desistir do Brasil vai ganhar menos”. O ministro ainda informou que o Brasil vai aderir ao acordo de compra governamental do qual a Europa, Estados Unidos, China e Japão já fazem parte.

Com informações do Estadão Conteúdo

Ganhe dinheiro com as variações cambiais enquanto seu patrimônio fica protegido. Invista em Dólar!

Anúncio Patrocinado Probabilidades Samy Dana Probabilidades Samy Dana
ANÚNCIO PATROCINADO      Carteira de Dividendos Agosto

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Cripto no App Nu