Siga nossas redes

Finanças

Dezembro registra recuo de 2% em investimentos

Setor da construção civil recuou 3,7%, máquinas e equipamentos tiveram retração de 1,7%

Publicado

em

por

Agência Brasil
Fachada da B3

Investimentos recuaram 2% em dezembro de 2019 no Brasil, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O recuo, em relação a novembro, foi verificado no chamado Indicador Ipea Mensal de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), que mede os investimentos em aumento da capacidade produtiva da economia e na reposição da depreciação do seu estoque de capital fixo.

O mesmo comportamento foi observado no acumulado do quarto trimestre de 2019, que fechou com retração de 2,7%. Em dezembro, os investimentos de máquinas e equipamentos tiveram retração de 6,8%. A construção civil teve variação negativa de 1,6% e os outros ativos fixos, queda de 1,2%.

A comparação refere-se aos números dessazonalizados, ou seja, excluindo-se a influência de determinados fatores de épocas do ano na economia. Com isso, é possível comparar os resultados obtidos em meses distintos. O FBCF é calculado pelo investimento feito em três segmentos: máquinas e equipamentos, construção civil e outros ativos fixos.

Acumulado

No acumulado em doze meses, os investimentos encerraram o ano de 2019 com avanço de 2,1% e a demanda interna por máquinas e equipamentos com alta de 3,1%. Os investimentos por meio de construção civil fecharam o ano passado com alta de 0,5%, esse foi o primeiro resultado positivo nessa base de comparação desde 2013.

Na comparação com dezembro de 2018, o FBCF registrou queda de 2,2%. Na avaliação por segmento, na comparação com dezembro de 2018, o desempenho negativo foi bastante disseminado. Enquanto a construção civil recuou 3,7%, máquinas e equipamentos tiveram retração de 1,7%. Apenas os outros ativos fixos tiveram desempenho positivo: cresceram 1,7%.

*Com Agência Brasil

Seja sócio das maiores empresas do Brasil com corretagem ZERO! Invista em Ações

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!