Siga nossas redes

Finanças

Dólar vira e fecha em alta; bolsa sobe com Petrobras em destaque

Cenário interno segue gerando volatilidade.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 4 minutos

dólar

O principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa, fechou em alta nesta segunda-feira (10), em dia de alta das ações Petrobras. Já o dólar mudou de direção e terminou o dia em alta em relação ao real.

O Ibovespa subiu 0,97%, aos 118.812 pontos. Já o dólar subiu 0,81%, a R$ 5,7204. Veja mais cotações.

“Mesmo como bolsa em alta, o mercado ficou tenso e refletiu no câmbio a notícia de que o governo estuda propor uma PEC para ações contra covid, o que abriria espaço para emendas parlamentares no orçamento de 2021”, comenta João Beck, economista e sócio da BRA Investimentos.

O mercado doméstico segue volátil em meio ao noticiário político. A taxa de câmbio já vem enfraquecida pela escalada do risco político-fiscal nas últimas semanas devido ao atrito sobre o Orçamento – malvisto pelo mercado.

“Do jeito que o orçamento está, pode piorar bastante a percepção dos agentes de investimento em relação a garantia de que o Brasil vai pagar essa conta”, comenta Jansen Costa, sócio-fundador da Fatorial Investimentos.

Agora, o mercado vê a CPI da covid no Senado como mais uma preocupação. A avaliação é que esses eventos distraem ainda mais o foco da equipe econômica, do governo e do Congresso da agenda de reformas, cujo cronograma é tido como apertado à medida que no segundo semestre o tema das conversas em Brasília deve se voltar para a eleição de 2022.

Para Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, a determinação de instalação da CPI da covid-19 e as pressões do centrão em relação ao Orçamento podem se multiplicar, o que pode trazer um problema “muito grave” ao governo.

“Um problema de ter de aprovar uma peça de Orçamento que pode trazer o impeachment do presidente Bolsonaro e colocá-lo na mão do centrão mais uma vez”, disse.

Destaques da bolsa

As ações da Petrobras (PETR3 e PETR4) subiram 1,02% e 1,01%, respectivamente, com a alta do petróleo no exterior e a aprovação de acordo com o governo para compensação à companhia no caso de licitação dos volumes excedentes da cessão onerosa nos campos de Sépia e Atapu. Também no radar está assembleia geral extraordinária da estatal para eleger o conselho de administração.

ENEVA (ENEV3) e PETRORIO (PRIO3) valorizavam 4,63% e 2,56%, respectivamente, também beneficiadas pela elevação dos preços do petróleo no mercado externo.

Já a ação da Oi (OIBR3), que não está no Ibovespa, caiu 4,08%. A empresa aceitou a proposta vinculante apresentada pelo Grupo BTG para a aquisição parcial da InfraCo, a divisão especializada em fibra óptica da operadora. A proposta faz parte do processo de recuperação judicial da Oi, que tem leiloado seus ativos.

Bolsas globais

Os índices S&P 500 e Dow Jones encerraram em queda nesta segunda-feira, com investidores à espera de sinais da próxima temporada de balanços corporativos e de um importante número de inflação a ser divulgado na terça.

  • O índice Dow Jones caiu 0,16%, a 33.745 pontos
  • S&P 500 perdeu 0,019618%, a 4.128 pontos
  • O índice de tecnologia Nasdaq recuou 0,36%, a 13.850 pontos

O mercado acionário europeu recuou nesta segunda de máximas recordes uma vez que os investidores realizaram lucros antes da temporada de resultados corporativos trimestrais, enquanto duas empresas francesas de serviços públicos saltaram com a noticia de acordo de fusão após meses de disputa.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,39%, a 6.889 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,13%, a 15.215 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,13%, a 6.161 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,11%, a 24.457 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,39%, a 8.532 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,21%, a 5.006 pontos.

Os índices acionários da China recuaram nesta segunda-feira, pressionados por ações de matérias-primas e transporte, com as preocupações sobre aperto da política monetária persistindo diante de expectativas de dados econômicos fortes neste mês.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,77%, a 29.538 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 0,86%, a 28.453 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,09%, a 3.412 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,74%, a 4.947 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,12%, a 3.135 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 0,03%, a 16.859 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,33%, a 3.173 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,30%, a 6.974 pontos.

* com informações da Reuters

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.