Siga nossas redes

Finanças

Rial sobre Americanas: ‘eu extraía a conta-gotas informações do dia a dia’

Ex-presidente-executivo da Americanas, Sérgio Rial, afirmou em comissão no Senado que a gestão anterior à sua na varejista criou dificuldades para a sucessão e a divulgação de informações

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 2 minutos

O ex-presidente-executivo da Americanas (AMER3) Sérgio Rial afirmou nesta terça-feira (28), em comissão no Senado que a gestão anterior à sua na varejista criou dificuldades para a sucessão e a divulgação de informações sobre a real situação da companhia.

“Eu extraía a conta-gotas as informações do dia a dia… Não havia uma predisposição de explicar como isso aconteceu”, disse Rial aos senadores sobre os motivos para a Americanas acumular problemas contábeis da ordem de pelo menos R$ 20 bilhões, que acabaram levando e empresa a apresentar um pedido de recuperação judicial neste ano.

Rial foi convidado para falar sobre a crise na varejista na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), em uma sessão para a qual também foram chamados o atual presidente-executivo da Americanas, Leonardo Coelho Pereira, e o presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Isaac Ferreira, entre outros.

Sergio Rial no senado falando sobre caso Americanas

Segundo Rial, que pediu demissão da presidência-executiva da Americanas em janeiro, cerca de 10 dias após ser empossado no cargo, o presidente anterior da companhia, Miguel Gutierrez, não quis que o executivo participasse de reunião de fechamento do ano da companhia.

“As informações eram muito controladas por ele (Gutierrez) e por sua diretoria”, disse Rial aos senadores. “Até o dia 26 de dezembro não se sabia prospectivamente qual seria o resultado das Americanas em 2022… até hoje não se sabe.” Gutierrez não se pronunciou de imediato.

Na semana passada, a Americanas anunciou que resolveu adiar a publicação de seu balanço contábil de 2022, que estava previsto para o final deste mês. A varejista entregou na noite de segunda-feira (20) a primeira versão de seu plano de recuperação judicial na 4ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Estado do Rio de Janeiro.

A companhia protaganizou um dos maiores pedidos de recuperação judicial da história recente do país após revelar problemas contábeis na casa de bilhões.

Com Reuters

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.