Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: Pix em fase restrita; autonomia do BC na pauta do Congresso

Um grupo restrito de clientes vai poder usar o Pix para pagar ou receber aportes, enquanto o serviço faz a migração do ambiente de testes.

Publicado

em

por

InvestNews
PIX

1 – Fase restrita de pagamentos pelo Pix começa hoje

Um grupo limitado de clientes poderá pagar e receber recursos pelo Pix, novo sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central (BC), a partir de hoje (3). A ferramenta entra em fase restrita de funcionamento, para ajustes e correções de eventuais problemas, enquanto o BC faz a migração do serviço do ambiente de testes para o ambiente real.

CAFEÍNA: O que muda com o PIX? Será o fim dos cartões de débito e crédito?

O Pix funcionará em horários determinados para um grupo de 1% a 5% dos clientes de cada instituição financeira aprovada para operar a ferramenta. Os clientes autorizados a participar da fase restrita já foram comunicados pela instituição correspondente.

O novo sistema entrará em operação para todos os clientes no próximo dia 16. Na fase restrita, o Pix funcionará das 9h às 22h, de segunda a quarta-feira. Às quintas, o serviço reabrirá às 9h e só terminará de funcionar às 22h das sextas-feiras, para permitir o teste durante a madrugada.

2 – Sessão do Senado vai debater autonomia do BC

Uma das promessas do presidente Jair Bolsonaro durante a sua campanha, o projeto que dá autonomia ao Banco Central, está na pauta do Senado Federal. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), convocou sessão deliberativa remota para esta terça-feira (3), às 16h, para debater três projetos, entre eles o que estabelece autonomia formal para os diretores do BC, um assunto que é discutido há três décadas, sem avanços.

Na pauta, está prevista a apreciação do projeto de lei complementar do senador Plínio Valério (PSDB-AM), que buscará definir requisitos para nomeação e demissão do presidente e dos diretores da instituição e também definir os pontos que vedariam candidatos aos cargos. O PLP foi incluído em ordem do dia no início de março. O consenso é de que o BC já atua hoje com autonomia para definir a política monetária, mas o PLP oficializaria essa situação.

Pelo texto, o BC deixaria de ser vinculado ao Ministério da Economia e passaria a ser uma autarquia especial, sem qualquer ligação direta com outra área do governo. O projeto define que os mandatos dos diretores sejam de quatro anos, com uma recondução permitida.

3 – Fundo Garantidor lança aplicativo para facilitar resgates

O cliente que depositou ou investiu em bancos e instituições que quebraram ganhou uma ferramenta para facilitar os resgates. O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) lançou um aplicativo que evita a ida às agências bancárias para dar entrada no procedimento.

LEIA MAIS: CDBs: qual é o melhor para investir? Conheça as vantagens e riscos

Disponível nas lojas de aplicativos dos sistemas Android e iOS, o aplicativo FGC aumenta a agilidade e a comodidade no pagamento de garantias. Na primeira versão, o aplicativo será exclusivo para pessoas físicas com depósitos ou investimentos em instituições liquidadas ou sob intervenção do Banco Central (BC). Nos próximos meses, o aplicativo ganhará novas funcionalidades.

Criado em 1995 e gerido por uma entidade privada sem fins lucrativos, o fundo é formado por contribuições das instituições financeiras associadas e pela rentabilidade desses recursos e cobre até R$ 250 mil por conta, CPF ou CNPJ caso uma instituição financeira sofra intervenção, seja liquidada ou tenha a falência decretada pelo BC.

4 – BB Seguridade tem lucro líquido ajustado de R$ 1,09 bi no 3º tri

A BB Seguridade, holding de seguros do Banco do Brasil, registrou lucro líquido de R$ 1,096 bilhão no terceiro trimestre, alta de 1,4% em relação a igual período do ano passado e de 11,6% na comparação com o trimestre anterior, segundo balanço publicado nesta terça-feira (3) pela companhia.

Entre os negócios da holding, a BB Corretora teve resultado operacional positivo de R$ 57,5 milhões, explicado pela alta nas receitas de corretagem, de 12%, decorrente do aumento nas vendas e melhora da margem operacional.

A Brasilprev também ajudou a impulsionar os números, com resultado positivo de R$ 16,5 milhões, justificado por incremento nas receitas com taxas de gestão, de 5,8%, melhora do índice de eficiência e evolução do resultado financeiro. A Brasilcap também ajudou, com resultado positivo em R$ 10,5 milhões.

5 – Bolsas de NY fecham em alta apoiadas por dados, após perdas recentes

Os mercados acionários de Nova York fecharam nesta segunda-feira (2) em alta, apoiados por sinais positivos da indústria dos Estados Unidos. A disputa eleitoral da terça-feira no país, porém, concentrava parte das atenções e impunha certa cautela, com investidores atentos também aos riscos da covid-19.

O índice Dow Jones fechou em alta de 1,60%, em 26.925,05 pontos, o S&P 500 avançou 1,23%, a 3.310,24 pontos, e o Nasdaq subiu 0,42%, a 10.957,61 pontos.

A LPL Research apontou que investidores pareciam majoritariamente olhar para além da eleição e dos riscos com a covid-19 hoje, no mercado acionário americano, concentrando-se mais em oportunidades de compras após as perdas da semana anterior.

*Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil

Invista seu dinheiro no investimento mais seguro do mercado a partir de R$ 36. Invista em Tesouro Direto!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!