Geral

Ficou sabendo? Reino Unido quer ser hub de criptos; cervejaverso e fundo de NFTs

Cervejaria cria NFTs de rótulos de cerveja para serem negociados ou trocados.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Reino Unido quer se transformar em hub de criptomoedas

O governo do Reino Unido anunciou  uma série de iniciativas que visam transformar o país em um centro global de tecnologia e investimento em criptomoedas.

As etapas iniciais, de acordo com as declarações do ministro do Tesouro da nação na Cúpula de Finanças Globais, será levar as stablecoins para a estrutura de pagamentos do Reino Unido. Isso introduziria no país um regime regulatório para as stablecoins.

Em 2019, a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA, na sigla em inglês) publicou em relatório sua “Orientação sobre criptoativos”. O texto estabelece que as empresas de criptomoedas com ativos digitais para pagamentos internacionais poderiam estar sujeitas às regulações de serviços de pagamento, mas os próprios tokens não seriam regulamentados.

Agora, o órgão que criar legislação para reconhecer as stablecoins como veículos legítimos para pagamentos.

‘Cervejaverso’

Chega ao mercado brasileiro ainda este mês a primeira cerveja brasileira colecionável inspirada em criptomoedas e na tecnologia blockchain. Batizada de CriptoBeer, a bebida oferece uma experiência no metaverso.

Cada lata de 473 mL contém uma etiqueta única holográfica com a identificação da edição, o tema e o número da lata – o que atesta sua originalidade. Com a oferta de rótulos exclusivos e limitados relacionados ao mercado cripto, serão criados NFTs da cerveja que poderão ser usados, trocados ou negociados.

“CriptoBeer é uma IPA produzida por uma renomada cervejaria tipicamente brasileira”, destacou em nota à imprensa Paulo Aragão, cocriador da CriptoBeer e cofundador do CriptoFácil. “A cerveja nasceu com o propósito de homenagear a criação da evolução do sistema financeiro global proporcionada pelas criptomoedas, em especial, pelo bitcoin.

Fundo de NFTs na B3

Estreou hoje na B3 o primeiro ETF do mundo que investe em NFTs (Non-Fungible Tokens ou Tokens não fungíveis), o NFTS11. O fundo gerido pela Investo, gestora especializada no mercado de criptoativos, agora pode ser negociado com o ticker NFTS11.

Os NFTs são ativos negociados em Metaverso, um universo acessível apenas por meio de dispositivos digitais. Eles funcionam como produtos, que vão de obras de arte a terrenos dentro deste ambiente e podem ser intercambiáveis com outros NFTs ou negociados com criptomoedas exclusivas do meio dos jogos, as gamecoins.

O índice de referência do fundo é o MVIS CryptoCompare Media & Entertainment Leaders, que possibilita acesso ao desempenho das principais gamecoins, como a Decentraland, The Sandbox, Axie Infinity Shards, Gala, Basic Attention Token, Chiliz e Enjin Coin. Desta forma, o investidor consegue entrar para um mercado ligado aos NFTs por meio de um ETF, ampliando a diversificação de carteira sem sair do ambiente regulado, e com um baixo valor de aporte inicial.

Veja também

Mais Vistos