Siga nossas redes

Negócios

Finais da NBA acirram disputa além das quadras: os direitos de transmissão

Estão em negociação para renovação de contrato para a próxima década Walt Disney e Warner Bros; licença é estimada em R$ 5 bi anuais.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 4 minutos

As finais da NBA começam nesta quinta-feira (1) com Denver Nuggets e Miami Heat disputando o título em uma série de sete jogos que se estende até 18 de junho. No entanto, a maior batalha está acontecendo além das quadras: quem vai levar o direito de detenção das transmissões dos jogos na próxima década? O preço estimado para a licitação está em mais de US$ 5 bilhões por ano, segundo a Bloomberg.

Crédito: NBA.com

Estão em negociação para renovação do contrato Walt Disney (que tem sob o guarda-chuva ESPN e ABC) e Warner Bros. Discovery Inc. (dona da TNT). Como os acordos atuais expiram em 2025, os executivos de ambas empresas aguardam que a liga decida quais pacotes de jogos serão vendidos. Porém, outras empresas de mídia e tecnologia estão rondando entrar na negociação assim que a janela de exclusividade se fechar.

Quanto Disney e Warner pagam?

Juntas, as gigantes Disney (DISB34) e Warner pagam cerca de US$ 2,7 bilhões por ano para transmitir os jogos da NBA. Mas com uma demanda maior pelo novo contrato, o preço para os próximos 10 anos aumentou consideravelmente.

Segundo a Bloomberg, a audiência dos playoffs (finais dos jogos) foi a mais alta em anos, e com as transmissões esportivas ao vivo mantendo o negócio de TV a cabo, o contrato de mídia da NBA será o último grande acordo esportivo em disputa. É que NFL (National Football League), MLB (Major League Baseball) e NHL (National Hockey League) já renovaram seus contratos.

É esperado que a liga venda os direitos para duas empresas simultaneamente com um adicional de incluir direitos internacionais ou até da transmissão de jogos que já foram ao ar. Isso atrairia o maior número de torcedores com jogos sendo exibidos em emissoras gratuitas, como ABC, NBC, Fox e CBS.

De acordo com entrevistas com executivos de mídia esportiva, Gerry Smith, da Bloomberg, compilou avaliações sobre as empresas interessadas em entrar na disputa.

Quem ganha o direito de transmissão da NBA?

A Disney seria a favorita para manter os direitos por ter justamente um conjunto completo a oferecer, desde transmissão por TV a cabo a streaming por meio da ABC e ESPN. Somado a isso, o CEO da Disney, Bob Iger, é fã de NBA e mantém amizade com o comissário da liga Adam Silver há pelo menos 30 anos, segundo a Bloomberg.

disney
Créditos: Adobe stock

Porém, embora a ESPN queira colocar jogos no ESPN+ a fim de aumentar a audiência e base de assinantes, a liga pode pressionar para que os jogos estejam em canais de streaming com maior alcance.

Já sobre a Warner, que também tem um relacionamento próximo com a NBA, seu CEO, David Zaslav, disse em uma conferência recente organizada pelo MoffettNathanson, que estava esperançoso para fechar um acordo, mas que este provavelmente seria “um pouco diferente”.

A justificativa seria de que executivos da NBA querem priorizar estações de transmissão gratuitas – algo que a Warner Bros. Discovery não poderia oferecer. Segundo executivos, o serviço de streaming da empresa ainda não provou que pode transmitir um grande evento esportivo ao vivo. 

Além disso, como a empresa tem dívidas, há questionamentos se ela pode pagar bilhões de dólares a mais pelos jogos da temporada. Sendo assim, observadores acreditam que a Warner vai tentar ir por outros caminhos, renovando com a liga – mas transmitindo menos jogos, o que a faria economizar dinheiro.

No entanto, um outro rival pode tirar tanto Warner como Disney da jogada: a Amazon.

Pat Riley, ex técnico do Los Angeles Lakers. Foto: NBA.com

A empresa provou recentemente que pode transmitir exclusivamente uma temporada de jogos da NFL (National Football League) sem grandes percalços.

No ano passado, os telespectadores tiveram de fazer uma conta no streaming da Prime Video para assistir o “Thursday Night Football ” – campeonato em que a companhia fechou acordo exclusivo de transmissão por 11 anos ao custo de US$ 13 bilhões .

Esta foi a primeira vez que um serviço de streaming obteve direitos exclusivos de uma temporada para os jogos da NFL nos Estados Unidos, o que representa um grande desafio para as grandes redes que dominam os esportes televisionados há gerações. 

Se a Amazon (AMZO34) pode atrair os milhões de telespectadores e anunciantes de prestígio que o futebol geralmente atrai, outras ligas, como a NBA, podem estar dispostas a oferecer licenças para suas transmissões online.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.