Siga nossas redes
Michael Burry

Perfis

Michael Burry

Descubra a história do investidor de "A Grande Aposta" e como ele construiu a sua fortuna com a crise Imobiliária de 2008.

Perfil de Michael Burry


Nome Completo Michael James Burry
Nascimento 19/06/1971
Local de Nascimento San Jose, Califórnia, EUA
Filhos 2
Nacionalidade Norte-americano
Formação Medicina
Ocupação Investidor, médico e gestor da Scion Asset Management
Estado Civil Casado

Biografia de Michael Burry


Quem é Michael Burry

Michael James Burry é um médico norte-americano que trocou a profissão pelo mercado financeiro e previu a crise do subprime entre 2008 e 2009. Ele ficou famoso por ter sido interpretado por Christian Bale no filme A Grande Aposta. 

Da medicina à Scion Capital

O californiano Burry nasceu em 19 de junho de 1971 em San José, e teve uma infância difícil. Quando ele tinha aproximadamente dois anos de idade teve que ser submetido a uma cirurgia por conta de um câncer originário das células da retina (retinoblastoma) e perdeu o olho esquerdo.

 

O garoto teve que usar uma prótese de vidro. Burry, fez uma analogia com a característica e sua personalidade. Ele sempre deu preferência a atividades individuais, como natação. Ele tinha dificuldade para fazer amizades. 

 

Quando adolescente, ele cursou a Santa Teresa High School. Depois disso, ao entrar na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, se dividiu entre a economia, o inglês e o curso preparatório para cursar medicina. Ele se formou em economia, mas não abriu mão da área da saúde. Burry decidiu cursar medicina na Universidade de Vandebilt, em Nashville, Tennessee.

 

Apesar de achar a profissão “entediante” e até “repugnante”, Burry chegou a fazer residência, de volta à Califórnia, no Hospital da Universidade Stanford. Ele escolheu neurologia e patologia. E a dificuldade de se relacionar com as pessoas estava presente na vida adulta. 

 

O médico ficava com um olho na profissão e outro nos fóruns de discussão, na internet, sobre mercado financeiro. Do hobby nasceu um blog, em que Burry detalhava as operações no mercado financeiro. Mas, com o tempo reduzido por conta da residência, o blog era abastecido entre os plantões, geralmente de madrugada – e até chegou a ser expulso de uma cirurgia, pelo médico, por ter adormecido durante o procedimento. 

 

Burry citava seu talento: o hobbie em value investing, que era identificar, com muita pesquisa, os papeis de companhias que poderiam ter bons resultados, com ações baratas em algum momento. Ou seja, sinônimo de ganho. Para ele, o bom investidor cria as próprias regras, que, por muitas vezes, “brigam” com a opinião geral. 

 

O blog começou a fazer sucesso e Burry chamava a atenção de investidores. Ele decidiu abandonar a residência, no terceiro ano. Voltou para San Jose e passou a se dedicar ao mercado financeiro em tempo integral. O trabalho dele era baseado, principalmente, na obra Security Analysis, de 1934. Os autores, Benjamin Graham e Davidd Dodd, eram professores da Columbia Business School. Burry deixava claro que a escolha de ações era totalmente baseada no conceito de uma margem de segurança.

 

As finanças pessoais eram um problema nessa época. Burry tinha na conta US$ 40 mil e dívidas que totalizavam US$ 145 mil em financiamento estudantil. A família deu apoio para a abertura da primeira empresa: a mãe entrou com US$ 20 mil e os três irmãos, com US$ 10 mil cada um. E assim nascia o fundo Scion Capital, no ano de 2000, em Cupertino, Califórnia. 

 

O nome da empresa foi inspirado no livro do escritor norte-americano Terry Brooks, que se chamava The Scions of Shanara, ou Os Herdeiros de Shanara, que falava, numa série de fantasia, sobre a Terra no futuro. 

A grande aposta sobre o mercado imobiliário

Michael Burry foi um dos primeiros investidores a reconhecer e investir contra a iminente crise de hipotecas chamadas de subprime.

Solitário e fechado em sua sala, Burry se debruçava em relatórios financeiros e balanços. Os lucros da Scion começaram a aparecer. Em um ano de existência, a empresa registrou um lucro de 55% aos investidores, enquanto a S&P 500 caiu 11,88%, movimento que continuou no ano que se seguiu. Em 2002, o ex-médico tinha em suas mãos, para administrar, mais de US$ 600 milhões em ativos. 

 

E, em 2005, já prevendo o problema no mercado imobiliário norte-americano, Burry começou a investir em créditos de risco, ou os chamados sub-prime. E foi aí o pulo do gato. Em 2007, quando o mundo todo se desesperava por conta do colapso, Burry, percebia o lucro.  

 

A história do médico que largou a profissão para se dedicar ao hobby, com ganhos invejáveis impactou tanto, que virou filme. 

 

Em 2010, Burry lançou um livro A Jogada do Século. A obra virou um best-seller e virou roteiro de um filme, A Grande Aposta, que chegou aos cinemas em 2015. O ator Cristian Bale fez o papel de Burry. 

 

Michael Burry: as novas apostas do investidor

 

Burry está na ativa e priorizando o risco. Notícias recentes dão conta de que ele assumiu participações em bancos regionais norte-americanos no primeiro trimestre deste ano. Na lista está o First Republic Bank, antes de a instituição (falida) ter sido adquirida pelo J.P. Morgan. 

 

A Scion comprou 150 mil ações, no valor de cerca de US$ 2 milhões no final do primeiro trimestre, de acordo com registros regulatórios. Mas os papeis do banco caíram mais de 97% em 2023, antes de ser apreendido pelos reguladores e vendido ao J.P. Morgan em maio. 

 

O fundo de Burry também adquiriu 250 mil ações do PacWest Bancorp. As ações da instituição financeira registraram queda de 79% neste ano. A Scion também comprou 125 mil ações do Western Alliance Bancorp, que tiveram queda de 48% no período. 

 

A carteira de Burry

 

Atualmente Burry está apostando mais de 90% da carteira em uma desaceleração do mercado. Em janeiro, com uma mensagem enigmática, ele usou o twitter para escrever “vender”. No fim de março, porém, ele parece ter se arrependido e voltou atrás, postando “eu estava errado em dizer ‘vender'”. 

 

A aposta de Burry e equipe: aproximadamente 6% da carteira de ações são de longo prazo. No segundo semestre, a exposição aos setores de viagens e de saúde aumentou. O investidor comprou US$ 4,7 milhões da Warner Bros. e US$ 3,3 milhões na varejista The Real Real.

 

Vida pessoal e família

 

Michel Burry é casado pela segunda vez, tem dois filhos e segue vivendo na Califórnia. Um dos filhos dele, Nicholas, então com quatro anos, teve o diagnóstico de síndrome de Asperger, uma condição psicológica do espectro autista, caracterizada por dificuldades significativas na interação social e na comunicação não-verbal, além de padrões de comportamento repetitivos e interesses restritos. Diante disso, Burry fez um autodiagnóstico: ele deveria ter também uma forma leve do transtorno. 

 

Ele atribuiu a isso o grande interesse de estudar o mercado financeiro a fundo e percebendo detalhes que especialistas não levaram em conta. 

 

As lições sobre investimento de Michael Burry

 

Burry tem uma história intrigante e impactante. Ele creditou aos problemas de saúde o seu sucesso e virou fonte de inspiração para muitos investidores. A grande lição é perceber os detalhes, estudar o mercado financeiro a fundo e não ter medo de virar o jogo e apostar na atividade que pode trazer satisfação.