Siga nossas redes

Análise

Morning Call: autonomia do Banco Central e cenário político estão no radar hoje

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Cenário global e bolsa de valores

Hoje, no mercado externo, serão destaques da agenda internacional o pedido de auxílio-desemprego e PIB nos EUA. Porém, o foco principal é amanhã com as expectativas de que o Fed não surpreenderá com o anúncio do tapering (redução de estímulos) no simpósio de Jackson Hole e os investidores se mostram confiantes de que pelo menos até o final do ano, por precaução, o banco central americano manterá os estímulos diante do avanço da variante Delta de Covid e recente desaceleração do crescimento econômico global.

Na Ásia, o mercado acionário da China interrompeu três pregões consecutivos de alta e fechou em baixa nesta quinta-feira, com as ações de tecnologia recuando após forte recuperação nos últimos dias, enquanto a desaceleração induzida pelo governo no mercado imobiliário do país aprofundava as preocupações com a saúde econômica da região. As bolsas europeias operam com viés negativo nesta quinta-feira, depois que dados apontaram queda no sentimento do consumidor alemão em meio ao salto nos casos de Covid-19, enquanto preocupações sobre as perspectivas da política monetária afetam ainda mais o sentimento dos investidores. As ações de mineração, viagens, lazer e varejo apresentavam algumas das maiores perdas neste início de manhã. 

O e-mini do S&P 500 caía 0,07%, a 4.489 pontos; O índice pan-europeu STOXX 600 tinha queda de 0,38%, a 470,06 pontos; Em LONDRES, o índice Financial Times FTSE recuava 0,32%, a 7.127 pontos; Em FRANKFURT, o índice DAX caía 0,59%, a 15.766 pontos; Em PARIS, o índice CAC-40 perdia 0,35%, a 6.653 pontos; Em MILÃO, o índice Ftse/Mib tinha desvalorização de 0,50%, a 25.930 pontos; Em MADRI, o índice Ibex-35 registrava baixa de 0,62%, a 8.921 pontos; Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizava-se 0,23%, a 5.338 pontos; petróleo tipo Brent em Londres recuava 0,84%, a 71,64 dólares por barril; Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,06%, a 27.742 pontos; Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,08%, a 25.415 pontos; Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,09%, a 3.501 pontos.

Cenário no Brasil

No cenário doméstico, a política continua sendo protagonista nesta quinta-feira e será assim até 2022. Novamente o ministro da Economia, Paulo Guedes, ganha os holofotes do dia com duas participações em eventos. A partir das 10h, Guedes participa de reunião da Comissão Temporária da Covid-19, do Senado, e às 15h30 o ministro fala em evento da XP. As atenções também devem recair sobre o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), que adiou de ontem para hoje a continuidade do julgamento de ação movida pelo PT e pelo PSOL que questiona lei aprovada pelo Congresso Nacional que instituiu a autonomia do Banco Central, tema importante para que a autarquia desempenhe seu papel de guardiã da moeda e não tenha conflitos de interesses políticos, como aconteceu em governos passados. Além disso, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decidiu rejeitar e arquivar o pedido de impeachment apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Ibovespa

Ontem, o Ibovespa não se intimidou com os riscos fiscais, o impasse das reformas, o ambiente hostil entre os Poderes, uma crise hídrica, pressão inflacionária e a perspectiva de que o Brasil cresça menos de 2% no ano que vem e conseguiu uma virada na reta final do pregão. A bolsa brasileira fechou em alta na quarta-feira, na máxima da sessão e próximo aos 121 mil pontos, favorecida pelo cenário externo, com novas máximas em Wall St, embora persista o desconforto com a situação político-fiscal no país. O IBOV fechou em alta de 0,50% (120.817,71 pontos), com um giro financeiro de R$ 28,7 bilhões, abaixo da média. 

O IBOV começa a ameaçar a sua tendência de alta no longo prazo ao cruzar abaixo da média móvel de 200 períodos, porém um movimento de queda no curto prazo foi consolidado, após encontrar grandes dificuldades de seguir acima dos 130 mil pontos, em seguida romper abaixo dos 124 mil, 120 mil pontos e por último os 117 mil pontos, além disso segue se consolidando abaixo da média móvel curta (21 períodos). O Investidor estrangeiro retirou R$ 106,87 milhões da B3 em 24 de agosto, porém no acumulado de agosto, estrangeiro ingressou com R$ 7,25 bilhões líquidos; no ano, o saldo é positivo em R$ 47 bilhões.

Indicadores econômicos e eventos
STF prossegue com julgamento de autonomia do BC
Paulo Guedes participa da audiência na Comissão Temporária da Covid-19 (10h)
Caged projeta criação líquida de 300.000 postos de trabalho em julho (10h)
Ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, participa de coletiva sobre o Caged (10h30)
Paulo Guedes participa de painel na Expert XP (15h30)
Divulgação de votos do CMN (após as 18h)
Alemanha: BCE publica ata de sua última reunião de política monetária (8h30)
EUA / Dpto Trabalho: Pedidos de auxílio-desemprego até 21/08 (9h30)
EUA / Depto. do Comércio: PIB do 2TRI (2ª leitura) (9h30)

Veja também:

Invista em Previdência e não se preocupe lá na frente! Invista em Previdência Privada!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!