Siga nossas redes

Análise

Morning Call: com bolsas americanas fechadas, o foco passa para a Europa

Os principais fatos que podem impactar os mercados hoje e uma breve análise do índice Bovespa.

Publicado

em

Cenário global e bolsa de valores 

Hoje será um dia de menor liquidez com os mercados dos Estados Unidos fechados nesta quinta-feira devido ao feriado de Ação de Graças, e o foco passa para a Europa, onde um salto nos casos de Covid-19 está levantando a perspectiva de lockdowns na temporada de compras de Natal.

As bolsas da Europa operam em alta, sem a referência de NY e monitorando a formação de governo na Alemanha e a crise de covid. O investidor ainda acompanha a divulgação da ata da reunião de política monetária do BCE, às 9h30. Em relação à pandemia, ontem a Itália anunciou novas restrições e França e Holanda devem divulgar medidas amanhã. Entre os indicadores, o PIB alemão avançou 1,7% no terceiro trimestre na comparação com período anterior e na comparação anual, o PIB do país cresceu 2,5%. O sentimento do consumidor recuou a -1,6 para dezembro, de +1,0 em novembro, pressionado pela 4ª onda. 

As bolsas asiáticas fecharam sem direção única hoje; Xangai e Seul caíram; Tóquio e Hong Kong subiram. Na China, o índice Xangai cedeu -0,24%, em 3.548,18 pontos e a Bolsa de Shenzhen também recuou a -0,33%, fechando em 2.512,22 pontos. Analistas indicam maior cautela após ata do Fed mostrar que alguns dirigentes veem mais urgência para elevar juros nos EUA, diante do quadro de inflação. 

Futuros: Dow Jones (+0,22%), S&P 500 (+0,24%), Nasdaq (+0,33%); Petróleo: Brent a US$ 81,92 (-0,40%); WTI a US$ 78,03 (-0,36%); Ouro: +0,49%, a US$ 1.793,10 a onça-troy na Comex; Londres (+0,20%) a 7.300; Frankfurt (+0,43%) a 15.945; Paris (+0,31%) a 7.063; Madrid (+0,62%) a 8.846; Índice Stoxx 600 (+0,33%) a 481,30.

Cenário no Brasil 

O mercado nacional volta as atenções nesta quinta-feira para dados de inflação e medidas para estímulo ao crédito, em dia de feriado nos Estados Unidos. O IBGE informa às 9h os números de novembro do IPCA-15, com expectativa em pesquisa da Reuters de que tenha registrado alta de 1,10% no mês e de 10,65% em 12 meses. Às 9h30 o Banco Central informa os dados de outubro do setor externo, e o Ministério da Economia lança às 10h30 o Novo Marco de Garantias, medidas para estímulo de acesso ao crédito, com entrevista do secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida.

Ibovespa

O Ibovespa subiu na quarta-feira, em sessão volátil, puxado por ações de empresas relacionadas a commodities, em especial a Vale, e de bancos. O IBOV subiu 0,8%, a 104.514,19 pontos, com volume financeiro de R$ 26,8 bilhões. O IBOV segue em uma tendência de baixa no longo prazo ao cruzar abaixo da média móvel de 200 períodos e formar topos e fundos descendentes, além disso, um movimento de queda no curto prazo já foi consolidado, após operar abaixo da média móvel curta (21 períodos) e romper o fundo formado no dia 20 de setembro aos 107.500 pontos. Qualquer movimento positivo neste momento será considerado um repique de alta, dentro da tendência principal de baixa, portanto é necessário mais tempo e mais confirmações para reverter esta tendência.

Indicadores econômicos e eventos
FGV: INCC-M de novembro (8h)
FGV: Confiança da construção (8h)
IBGE: IPCA-15 de novembro (9h)
Câmara vota MP do Auxílio Brasil (9h)
BC: conta corrente de outubro e IDP (9h30)
BCE: ata de decisão de política monetária (9h30)
Reunião do CMN (15h)

Fique livre do Imposto de Renda na hora de investir! Invista em LCI e LCA!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!