Siga nossas redes

Carteira de ações Recomendada Small Caps

Pequenas empresas, grandes oportunidades. Por serem empresas de menor porte, além de ter oportunidades de crescimento maiores quando comparadas com as grandes empresas da Bolsa, muitos ativos ficam de fora do radar dos investidores. Sob a ótica da análise fundamentalista, nosso analista selecionou as small caps que acredita ser uma boa escolha para o médio e longo prazo.

Ações selecionadas

Cotação em tempo real
(Delay 15 min)

Retorno desde entrada na carteira
 

  • ENEVA ON NM (ENEV3) +35.01%
  • BRASILAGRO ON NM (AGRO3) +11.13%
  • IRANI ON ED NM (RANI3) +21.13%
  • FERBASA PN N1 (FESA4) +34.27%
  • COPEL PNB N1 (CPLE6) +2.72%
  • TOTVS ON NM (TOTS3) +11.97%
  • SINQIA ON NM (SQIA3) -5.91%
  • TRISUL ON NM (TRIS3) -6.99%

Performance acumulada em 2021

  • Índice Small Cap (SMLL)
  • Carteira Easynvest  
  • Índice Small Cap (SMLL) -3.61%
  • Carteira Easynvest +3.56%

Substituição da semana: HAPV3 POR ENEV3; B3SA3 POR AGRO3; FESA4 POR RANI3; ENEV3 POR FESA4; POR CPLE6; POR TOTS3; POR SQIA3; POR TRIS3

Objetivo

O objetivo desta carteira é superar o índice de Small Caps (SMLL) a longo prazo através de empresas de menor valor de mercado. Para isso, a equipe de análise da Easynvest se vale do uso da análise fundamentalista em busca de empresas com bom potencial pela frente e sempre visando a formação de um portfólio equilibrado em busca da melhor relação risco-retorno.

Perfil do investidor

Conservador Moderado Experiente

O investimento em ações para o longo prazo exige que o investidor tenha capacidade financeira e emocional de absorver as oscilações de curto prazo. Isto fica ainda mais evidente para as ações small caps já que o volume reduzido de negociação de alguns papéis pode acarretar em movimentações mais agudas.

Diferencial

Simplificação: alto retorno via uma seleção de poucos e excelentes ativos.

Potencial de valorização: por serem empresas de menor porte, as oportunidades de crescimento ainda são abundantes quando comparadas com as grandes empresas da Bolsa.

Diversificação: fora do radar da maioria dos investidores, as ações small caps costumam ser pouco correlacionadas com as empresas blue chips, o que traz uma excelente diversificação ao investidor de perfil mais arrojado.

EmpresaCódigoSetorAlocaçãoEntradaComprar até
BrasilAgroAGRO3Agronegócio 15%Out. 2020 R$ 30
EnevaENEV3Energia15%Out. 2020 R$ 74
Ferbasa FESA3Metalurgia 15%Fev. 2021 R$ 29
Irani RANI3Papel & Celulose 15%Jan. 2021 R$ 7
Kepler WeberKEPL3Agronegócio 15%Out. 2020 R$ 55
TotvsTOTS3Tecnologia10%Nov. 2020 R$ 38
TrisulTRIS3Construção5%Out. 2020 R$ 15
CopelCPLE6Energia5%Out. 2020 R$ 80
SinquiaSQIA3Tecnologia5%Out. 2020 R$ 30

Mudanças para o mês de março

Apesar de não termos um novo ativo em carteira, contamos com uma mudança importante para o mês de março em diante. A partir de agora, adotaremos o limite de 15% como alocação máxima em qualquer ativo. Até então, vínhamos trabalhando com 20%. Essa mudança é importante na nossa visão, pois reduz o risco de perda significativa no capital do investidor diante de eventos específicos que nem sempre podemos prever.

Dessa forma, BrasilAgro e Eneva, agora, têm suas respectivas alocações reduzidas de 20% para BrasilAgro e Eneva, agora, têm suas respectivas alocações reduzidas de 20% para 15% enquanto Ferbasa e Kepler Weber, agora, representam, cada uma, 15% do portfólio (10% anteriormente).

Em busca da antifragilidade

Pela terceira vez desde o começo da carteira Small Caps Easynvest, o índice SMLL tem um mês abaixo do esperado. E pela terceira vez consecutiva, a carteira se mostrou robusta e apresentou uma performance melhor do que a do benchmark. A novidade de fevereiro é que, desta vez, nossa performance foi bem superior. Poderia dizer que isso é um sinal de que a nossa carteira possui características de antifragilidade?

Aos que ainda não estão familiarizados com este conceito, trata-se de uma definição cunhada por Nassim Taleb em seu livro Antifrágil. Nele, o autor filosofa sobre coisas (muitas delas aplicadas ao mercado financeiro) que se beneficiam com o caos. Recomendo a leitura, inclusive.

Claro que contamos com a disparada de Kepler Weber, a boa performance das ações da Eneva e a manutenção do dólar alto que acabou contribuindo para a boa performance de Ferbasa e Irani. Não é sempre que tantos ativos da carteira performam tão bem assim. No entanto, apesar de ainda ser cedo para afirmar, já que ainda temos apenas cinco meses de histórico, os sinais têm sido promissores e vêm confirmando a resiliência dos ativos escolhidos.

Altas e baixas da carteira em fevereiro

O principal destaque positivo no mês de fevereiro foi a disparada de 22% de Kepler Weber. Conforme já mencionado na tese de investimento da companhia desde sua entrada na carteira, a eventual saída da Previ era algo que poderia destravar valor para as ações, pois simboliza o fim da presença estatal, trazendo mais agilidade na gestão, melhora de governança corporativa e ganho de liquidez.

Já a empresa com pior desempenho no mês foi a BrasilAgro ao recuar 12% no período. O mercado não reagiu bem ao follow-on (oferta subsequente) realizado com o intuito de captar recursos para auxiliar na compra de propriedades na Bolívia. Além disso, o fundo Autonomy, que era responsável pela parcela secundária da oferta, não conseguiu se desfazer de todas as ações da companhia que desejava. Dessa forma, é possível que esta pressão negativa sobre o papel no curto prazo permaneça, caso o fundo decida vender o restante de ações a mercado. Isto, no entanto, não altera em absolutamente nada a visão de longo prazo para a empresa.

Volta de interferência nas estatais federais afeta Copel?

Nessa altura do campeonato, imagino que todos tenham acompanhado os desdobramentos após Bolsonaro ter optado por alterar o presidente da Petrobras, além de suas seguintes declarações sugerindo a interferência do governo no comando das estatais. O resultado foi uma onda de revisões para baixo nas recomendações das corretoras, casas de análise e vários gestores se desfazendo de suas posições em empresas públicas diante de um ceticismo de se estar posicionado para o longo prazo nestas empresas.

O receio atingiu inclusive as estatais estaduais como Copel, que integra nossa carteira recomendada. No entanto, na minha visão, isso não faz sentido. A privatização não faz parte da nossa tese de investimento sobre a companhia. Portanto, nada muda em nossa tese e sigo recomendando as ações CPLE6.

Anúncio Patrocinado BDR

Sobre o Analista

Murilo Breder

Murilo Breder

Integrante da nova geração de analistas, possui passagens por instituições respeitadas como Banco Safra e a casa de análise independente Levante Ideias de Investimentos. Finalista em competições nacionais de mercado financeiro ainda durante a faculdade, é Engenheiro Civil de formação pela UFMG, com direito a um ano de intercâmbio nos Estados Unidos (Los Angeles e Nova York), e possui as certificações CGA e CNPI.

Este material foi preparado pela Easynvest – Título Corretora de Valores SA (“Easynvest”), tem caráter meramente informativo e não deve ser entendido como análise, solicitação de compra ou oferta por parte dos destinatários. As informações aqui apresentadas não pretendem conter todos os fatos relevantes que um investidor deve considerar e, dessa forma, representam apenas uma visão limitada do mercado.As informações fornecidas são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. A Easynvest não se responsabiliza por danos oriundos de erros, omissões ou alterações nos fatores de mercado nem pelo uso das informações aqui contidas. Antes de investir, analise atentamente os benefícios e riscos de cada aplicação. A responsabilidade pela decisão de investimento é do Investidor e não da Easynvest. Leia o Prospecto, o Formulário de Informações Complementares, a Lâmina de Informações Essenciais e o Regulamento antes de investir. A rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. Para a avaliação da performance de um fundo de investimento, é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses ou, caso o fundo de investimento tenha menos de 12 (doze) meses, análise de período desde a data de início de seu funcionamento até o último dia do mês anterior à composição desse material informativo.O efetivo investimento está condicionado à: (i) adequação do Produto ao perfil do Investidor; (ii) à atualização cadastral; e (iii) ciência dos riscos do investimento em tal produto. Os Fundos de Investimento não contam com a garantia do Administrador, do Gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou Fundo Garantidor de Créditos (FGC). O produto Tesouro Direto não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). O produto Debênture não conta com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC). Saiba mais em www.fgc.org.br/garantia-fgc/sobre-a-garantia-fgc. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Toda transmissão de ordem por meio digital está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. É vedada a cópia, distribuição ou reprodução total ou parcial deste material sem a prévia e expressa concordância da Easynvest. As carteiras apresentadas são meramente ilustrativas e procuram evidenciar propostas de alocação para os recursos financeiros dos investidores baseada no seu respectivo perfil de Suitability, estando sujeitas a mudanças sem aviso prévio. Não há garantia de resultado ou isenção de risco ao investidor. Ativos sujeitos a alterações ou disponibilidade de acordo com as condições de mercado, impossibilitando a composição das carteiras. As informações veiculadas, valores e taxas são referentes às datas e condições indicadas no material e não serão atualizadas pela Easynvest. Caso o índice comparativo de rentabilidade utilizado neste material não seja o benchmark descrito no regulamento do fundo, considere tal índice meramente como referência econômica e não como meta ou parâmetro de performance. Esta Instituição é aderente ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para Distribuição de Produtos de Investimento. Descrição do tipo ANBIMA disponível no formulário de informações complementares. Confira demais informações no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.