Siga nossas redes

MetaNews

O metaverso morreu? Entenda o momento da tecnologia

O desenvolvimento do metaverso é um processo em andamento e levará tempo para que as tecnologias, infraestruturas e ecossistemas sejam aprimorados e amadurecidos.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 5 minutos

Nuvem, informações, metaverso. Fonte: Freepik.

Não, o metaverso não morreu. O conceito de metaverso refere-se a um ambiente virtual compartilhado, onde as pessoas podem interagir entre si e com o ambiente virtual de forma imersiva. Embora o termo metaverso tenha sido popularizado recentemente, principalmente devido ao interesse de empresas de tecnologia como o Facebook (FBOK34), o conceito em si não está limitado a uma única empresa ou iniciativa.

Apesar de que ainda esteja em desenvolvimento, o metaverso continua sendo explorado e trabalhado por várias empresas e organizações. Grandes empresas de tecnologia, como Facebook (agora Meta), Google (GOGL34), Microsoft (MSFT34) e outras, estão investindo recursos significativos no desenvolvimento de tecnologias de realidade virtual, realidade aumentada e ambientes virtuais interativos.

É importante notar que o conceito de metaverso é uma visão futurista e evolutiva da internet, onde os usuários podem criar, interagir e explorar ambientes virtuais de maneiras que vão além das experiências online atuais. Embora ainda haja desafios técnicos, regulatórios e de adoção a serem superados, o metaverso continua sendo uma área de pesquisa e desenvolvimento ativa na indústria de tecnologia.

Mas por que algumas pessoas estão expressando opiniões negativas em relação ao metaverso?  Algumas das razões pelas quais as pessoas podem dizer que o metaverso “flopou” são as mesmas que acontecem todas vez que surge uma tecnologia nova.

Primeiro vem o “hype”, depois dá uma esfriada, mas ela continua evoluindo e num determinado momento domina todo o ambiente. É o que estamos vivendo agora com a inteligência artificial. Ela também teve a sua fase “patinho feio”, e mesmo hoje provando todo o seu aprimoramento, continua recebendo críticas. Mas alguns fatores são comuns quando uma nova tecnologia surge, como no caso do metaverso.

Expectativas exageradas

O metaverso tem sido retratado em filmes, livros e mídia popular como uma realidade virtual completamente imersiva e altamente avançada. No entanto, a tecnologia atualmente disponível ainda está em estágios iniciais de desenvolvimento e não corresponde totalmente às visões utópicas do metaverso.

Desafios tecnológicos

O desenvolvimento de um metaverso funcional requer avanços significativos em áreas como gráficos 3D, interação em tempo real, comunicação em rede e experiências imersivas. 

Alguns podem argumentar que a tecnologia atual ainda não está suficientemente avançada para oferecer uma experiência verdadeiramente convincente e imersiva. Alguns relatam experiências frustrantes, outros dizem que querem “viver” no metaverso de tão incrível que são as possibilidades. Vimos isso acontecer com o Second Life em 2007.

Barreiras de adoção

Para que o metaverso seja amplamente adotado, é necessário um ecossistema robusto que ofereça uma variedade de experiências e recursos atrativos. Além disso, questões de acessibilidade, como o custo de dispositivos de realidade virtual ou realidade aumentada, podem limitar a adoção em massa do metaverso. Com o tempo sempre o custo de hardware tende a cair, como foram com os computadores pessoais, celulares e videogames.

Preocupações com privacidade e segurança

À medida que o metaverso se torna mais presente, questões relacionadas à privacidade dos dados pessoais e segurança cibernética podem surgir. 

As pessoas podem estar preocupadas com a possibilidade de suas informações pessoais serem comprometidas ou exploradas no metaverso. Mas isso acontece com a sua conta bancária, redes sociais ou qualquer outro dispositivo conectado à internet. Até aqui, nenhuma novidade.

Quando vai acontecer de forma significativa?

É difícil prever com precisão quando o metaverso será implementado para uma parte significativa da população, pois isso depende de vários fatores, incluindo avanços tecnológicos, infraestrutura, adoção do mercado, regulamentações e preferências dos usuários. 

No entanto, alguns especialistas e empresas têm estimado que poderia levar de cinco a dez anos para que o metaverso atinja um nível de adoção mais amplo. Eu particularmente acredito que em até cinco anos vamos dar um enorme salto em relação à tecnologia. 

Não sabemos quem liderará essa jornada, pois várias empresas de tecnologia estão investindo significativamente no desenvolvimento do metaverso e podem desempenhar um papel importante em sua implementação. 

O ecossistema do metaverso provavelmente envolverá parcerias entre empresas de tecnologia, desenvolvedores de software, criadores de conteúdo, fabricantes de dispositivos de realidade virtual/realidade aumentada e outros atores relevantes.

A participação do governo também pode ser importante, pois a regulamentação e políticas relacionadas ao metaverso podem ter impacto significativo em sua adoção e uso generalizado.

No final, o desenvolvimento do metaverso é uma tarefa complexa e exigirá esforços colaborativos de vários setores, incluindo empresas de tecnologia, comunidade de desenvolvedores, pesquisadores, governo e usuários finais.

Nos vemos do outro lado!

As informações desta coluna são de inteira responsabilidade do autor e não do InvestNews e das instituições com as quais ele possui ligação. 

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.