Siga nossas redes

Primeira Marcha

VW Jetta GLI é exemplo de segmento que vai sumir nos próximos anos

Sedã esportivo tem mudanças pontuais e segue solitário em uma das categorias ofuscadas pelo sucesso dos SUVs.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

A popularidade dos SUVs não resultou apenas em uma enxurrada de lançamentos no mercado brasileiro. Alguns segmentos encolheram nos últimos anos – como o dos sedãs médios, no qual apenas três modelos disputam a liderança.

Dentro desse grupo existe um nicho ainda menor: o dos sedãs esportivos. Mesmo assim, a Volkswagen resiste com o Jetta GLI, que recebeu uma reestlização há alguns meses, mas só agora foi apresentado à imprensa especializada.

Por R$ 216.990, o modelo é trazido do México em versão única de acabamento. Além da atualização no design, o Jetta GLI traz novo volante e uma central multimídia de 10,1 polegadas. Bem equipado, ele tem itens como 6 airbags, controle de cruzeiro adaptativo e teto solar panorâmico.

O motor 2.0 turbo teve ganho de apenas 1 cv e agora entrega 231 cv, mas o torque máximo permaneceu em 35,7 kgfm. A maior alteração na parte mecânica está no câmbio de dupla embreagem, que agora tem sete marchas em vez de seis. Segundo a fabricante, o sedã precisa de 6,7 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h e atinge a velocidade máxima de 249 km/h.

Vitimas dos SUVs

O Jetta GLI não é o único modelo que reina solitário em uma categoria. Existem dois bons exemplos na linha de carros da Chevrolet.

O primeiro deles é o Cruze Sport6, que hoje é o único hatch médio vendido por uma fabricante nacional. A categoria já foi sinônimo de prestígio, a ponto de quase todas as grandes montadoras contarem com um representante em sua gama.

Hoje, o Cruze é a única opção, tanto é que é vendido apenas na versão RS. Apesar de investir no estilo esportivo, o carro traz o mesmo motor 1.4 turbo de até 153 cv que até pouco tempo atrás podia ser encontrado no restante da linha.

O segundo exemplo é a Spin. Lançada em 2012, a minivan completou uma década de existência, e se mantém em linha justamente por ser a única opção de carro com sete lugares abaixo dos R$ 200 mil. E olha que barata ela não é: algumas versões já passam dos R$ 120 mil. Mesmo assim,  a Spin ainda é bastante procurada por taxistas e frotistas, que ainda enxergam nela um bom negócio por conta do custo de manutenção.

Todos os modelos citados trazem algo em comum: o fato de terem sido ofuscados pelos SUVs, que conquistaram o coração do consumidor. Se tudo continuar assim, são grandes as chances desses modelos darem adeus em poucos anos.

*Vitor Matsubara é jornalista automotivo e editor do Primeira Marcha. Tem passagens por Quatro Rodas, de 2008 a 2018, e UOL Carros, de 2018 a 2020.

As informações desta coluna são de inteira responsabilidade do autor e não do InvestNews e das instituições com as quais ele possui ligação. 

Veja também

Ganhe dinheiro com as variações cambiais enquanto seu patrimônio fica protegido. Invista em Dólar!

Anúncio Patrocinado Probabilidades Samy Dana Probabilidades Samy Dana
ANÚNCIO PATROCINADO      Carteira de Dividendos Agosto

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.
Anúncio Patrocinado Cripto no App Nu