Siga nossas redes

Economia

Próximo passo do BCE é um corte, mas autoridades discordam quanto a momento

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 4 minutos

FRANKFURT (Reuters) – A próxima medida do Banco Central Europeu será um corte na taxa de juros, mas as autoridades de política monetária, em comentários desta segunda-feira, não falaram sobre o momento exato desse passo ou sobre o gatilho para realizá-lo.

O BCE manteve sua taxa básica inalterada em um recorde de 4% na última quinta-feira, mas pareceu confiante de que a inflação está sob controle, alimentando apostas já generalizadas no mercado de que a flexibilização da política monetária poderia começar em breve.

Todas as autoridades do BCE concordaram que as tendências da inflação são promissoras, mas chegaram a conclusões diferentes, com alguns defendendo uma ação mais rápida, enquanto outros argumentaram a favor de uma paciência contínua até que tenham mais confirmações de que a inflação está sob controle.

“O próximo passo será um corte, e ele está ao nosso alcance”, disse o membro do BCE Peter Kazimir em uma publicação em blog. “Estou confiante de que o momento exato, se em abril ou junho, é secundário em relação ao impacto da decisão. A segunda opção parece mais provável, mas não tirarei conclusões precipitadas sobre o momento”, disse Kazimir, chefe do banco central da Eslováquia.

Mario Centeno, presidente do banco central de Portugal, por sua vez, disse que prefere agir mais cedo do que mais tarde, pois isso permitiria que o BCE fosse mais gradual.

“Podemos reagir mais tarde e com mais força, ou mais cedo e de forma mais gradual”, disse Centeno em uma entrevista à Reuters.

“Sou totalmente a favor de cenários de gradualismo, porque temos que dar tempo aos agentes econômicos para se adaptarem às nossas decisões”, disse Centeno.

Embora os dois pontos de vista pareçam bastante diferentes, a diferença em termos de política monetária de fato é pequena. Quase ninguém espera um corte nas taxas em março e junho parece incontroverso, portanto o debate real é se o BCE deve cortar em abril ou esperar até a reunião seguinte, em junho.

Considerando que a política monetária funciona com uma defasagem de 12 a 18 meses, é provável que um desvio de seis semanas no primeiro movimento tenha um impacto insignificante sobre a economia real.

Ainda assim, os investidores agora veem cortes nas taxas de juros no valor de 1,40 ponto percentual este ano e uma chance próxima de 100% de que o primeiro movimento ocorra em abril.

Do lado dos conservadores, Kazimir argumentou que um corte muito cedo é um risco maior, pois a precipitação poderia inviabilizar a desinflação e, na verdade, prolongar o período de política monetária restritiva.

Klaas Knot, o influente chefe do banco central holandês, também pareceu apoiar uma abordagem mais paciente, argumentando que algumas peças do quebra-cabeça da inflação ainda não estão no lugar.

“Agora temos uma perspectiva confiável de que a inflação voltará a 2% em 2025. A única peça que está faltando é a convicção de que o crescimento dos salários se adaptará a essa inflação mais baixa”, disse Knot a uma TV holandesa no domingo.

Centeno, por sua vez, disse que já há muitas evidências de que a inflação está caindo de forma sustentável e que esperar pelos dados salariais do primeiro trimestre, que serão divulgados em maio, não é tão imperativo quanto alguns formuladores de políticas argumentam.

“Depender de dados não é depender de dados salariais… não precisamos esperar pelos dados salariais de maio para ter uma ideia sobre a trajetória da inflação”, disse ele

Luis de Guindos, vice-presidente do BCE, também falando nesta segunda-feira, manteve uma abordagem mais neutra, argumentando que um corte virá mais cedo ou mais tarde e que há um otimismo crescente sobre a inflação geral e as tendências subjacentes dos preços.

“Há boas notícias sobre a evolução da inflação e isso, mais cedo ou mais tarde, se refletirá em nossa política monetária”, disse De Guindos à rádio espanhola RNE.

(Por Balazs Koranyi, Sergio Goncalves, Andrei Khalip, Jesús Aguado e Emma Pinedo)

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.