Siga nossas redes

Finanças

Ação da Tesla dispara após entregas trimestrais acima das expectativas

A US$ 277, a ação já mais do que dobrou de valor este ano e subiu muito acima dos preços-alvo estabelecidos por analistas.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 3 minutos

As ações da Tesla (TSLA34) disparavam mais de 6% nesta segunda-feira (3), após entregas trimestrais melhores do que o esperado mostrarem que o plano do presidente-executivo, Elon Musk, de aumentar os volumes por meio de descontos estava funcionando.

A principal fabricante de veículos elétricos dos Estados Unidos pode registrar um aumento de US$ 50 bilhões em seu valor de mercado, para US$ 900 bilhões.

A US$ 277, a ação já mais do que dobrou de valor este ano e subiu muito acima dos preços-alvo estabelecidos por analistas, levando algumas corretoras a alertar que as margens sofrerão por causa dos descontos agressivos. Por volta de 10H35, porém, as ações já saltavam 6,5%, a US$ 278,82. 

25/08/2022 REUTERS/Adrees Latif

Os cortes de preço ajudaram a empresa a entregar 466.140 veículos no período de abril a junho, 10% a mais do que no trimestre anterior e 83% a mais que no mesmo período de 2022. A diferença entre quantos carros a Tesla produz e entrega também diminuiu para 13.560 no segundo trimestre, de 17.933 nos três meses anteriores.

“Os cortes de preços da Tesla estão funcionando muito bem”, disse Gene Munster, sócio na empresa de investimentos Deepwater Asset Management. “O crescimento médio das entregas nos últimos sete trimestres foi de 50%. Este (trimestre) marca um aumento mensurável no crescimento.”

Pelo menos oito analistas aumentaram seus preços-alvo para as ações, com vários dizendo que a meta de entregas anuais da Tesla de cerca de 1,8 milhão de veículos agora parece conservadora, já que a empresa entregou cerca de metade disso nos primeiros seis meses de 2023.

O preço-alvo médio do papel é de US$ 210, cerca de 20% abaixo do último preço de fechamento. A Tesla tem uma relação preço/lucro futuro de cerca de 62,9 vezes, muito acima da Ford, com 8,82 vezes, e próximo ao múltiplo de 62,66 vezes da Amazon.com.

“A questão-chave para os investidores é quais seriam as margens”, disse Toni Sacconaghi, analista da Bernstein, em nota.

“Continuamos acreditando que a Tesla precisará reduzir ainda mais os preços neste ano e/ou no próximo ano para atingir suas metas de volume, pressionando as margens de forma relevante.”

Toni Sacconaghi

A empresa reportou margem bruta total de 19,3% no primeiro trimestre. Wall Street espera que a medida caia para 18,6% quando a empresa divulgar os resultados do segundo trimestre em 19 de julho.

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.