Siga nossas redes

Finanças

As 5 ações que mais subiram e mais caíram na quarentena

Coronavírus no Brasil impactou diretamente o desempenho das companhias

Publicado

em

por

Katherine Rivas
bolsa de valores

O Ibovespa encerrou esta semana despencando 18,8%, o pior desempenho semanal desde 10 de outubro de 2008. Apenas na sexta-feira (20), a bolsa de valores fechou em queda de 1,85% aos 67.069 pontos.

Conhecida por muitos especialistas como a semana com mais volatilidade no mercado financeiro, o desempenho reflete os efeitos do Covid-19 no mundo ocidental, que antecipam uma desaceleração econômica na Europa e nos Estados Unidos. A União Europeia, por exemplo, anunciou que há grandes chances de enfrentar uma recessão pior do que em 2009. Já o Goldman Sachs apontou em relatório que a economia americana pode reduzir em 24% seu crescimento no segundo trimestre. Caso os EUA desacelerem, o Brasil deve sentir os impactos.

No cenário nacional, o Brasil passa por uma quarentena social e econômica, após o governo declarar Estado de Calamidade. Os impactos na economia, embora ferozes ainda são imensuráveis.

O destaque negativo da semana ficou na mão da companhia de milhas aéreas Smile Fidelidade (SMLS3), que recuou 59,72% no acumulado da semana. Entre as cinco empresas que mais caíram na semana também estavam: a Via Varejo (VVAR3), a CVC (CVCB3), a Azul (AZUL4) e a Brakem (BRKM5).

Para Pedro Carvalho de Mello, PHD em economia pela Universidade de Chicago e professor da ESAGS, o desempenho da Smile Fidelidade, Azul e CVC está relacionado ao impacto do coronavírus no setor aéreo e de turismo, que se encontram em uma posição vulnerável. Já o resultado da Braskem seria fruto de fatores internos da empresa, como a Odebretch e questões ambientais, que mesmo sem coronavírus provocariam uma crise nas ações. Contudo, a Via Varejo surpreende o economista. “As ações da Via Varejo não deveriam estar entre as maiores quedas da semana, especialmente porque é uma empresa que também possui venda on-line, setor que desde a quarentena tem se potencializado”, justifica Mello e acrescenta que o desempenho negativo da ação pode estar ligado a estratégias dos investidores para conseguir liquidez com a venda de ações.

Confira as ações que mais caíram na semana

AçãoDesempenho
Smiles Fidelidade (SMLS3) -59.72%
Via Varejo (VVAR3) -48.82%
CVC BRASIL (CVCB3) -46.51%
Azul SA (AZUL4) -44.15%
BRASKEM (BRKM5) -40.31%

Impactos da quarentena

O destaque positivo da semana ficou com o Atacadão (CRFB3) que subiu 18,01%. Mello atribui esta alta a quarentena por causa do coronavírus, onde mais famílias estariam estocando alimentos e produtos de limpeza.

Outras ações que se destacaram foram: Raia Drogasil (RADL3), RUMO SA (RAIL3), Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) e Telefônica Brasil (VIVT4). “Todas estas empresas estão relacionadas ao coronavírus, as pessoas compram mais remédios (Raia Drogasil), estocam produtos (Pão de Açúcar) e por estarem de quarentena utilizam mais serviços de internet ou telefônicos o que garante o desempenho da companhia”, explica Mello. Já no caso da Rumo SA, o economista acredita que alguns setores podem ser indiretamente impactados num cenário de crise.

Confira as ações que mais subiram esta semana

AçãoDesempenho
Atacadão (CRFB3) 18.01%
RAIADROGASIL (RADL3) 7.02%
RUMO (RAIL3) 5.50%
Companhia Brasileira de Distr. (PCAR3) 2.64%
TELEF BRASIL (VIVT4) 0.39%

A década da estagnação

Para Mello, o coronavírus era a cereja do bolo que faltava para condecorar o início de uma década de estagnação econômica, onde o mundo não consome como antigamente, a revolução tecnológica afeta alguns setores e a distribuição de renda é desequilibrada para o desenvolvimento. “De todas as crises nunca vivemos uma deflação global, os sinais estavam dados mesmo antes do coronavírus”, conclui.

Anúncio Patrocinado Dinheiro parado? Não mais! Invista e mudo o jogo! Dinheiro parado? Não mais! Invista e mudo o jogo!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.