Siga nossas redes

Finanças

As 5 ações que mais subiram e mais caíram na quarentena

Coronavírus no Brasil impactou diretamente o desempenho das companhias

Publicado

em

por

Katherine Rivas
bolsa de valores

O Ibovespa encerrou esta semana despencando 18,8%, o pior desempenho semanal desde 10 de outubro de 2008. Apenas na sexta-feira (20), a bolsa de valores fechou em queda de 1,85% aos 67.069 pontos.

Conhecida por muitos especialistas como a semana com mais volatilidade no mercado financeiro, o desempenho reflete os efeitos do Covid-19 no mundo ocidental, que antecipam uma desaceleração econômica na Europa e nos Estados Unidos. A União Europeia, por exemplo, anunciou que há grandes chances de enfrentar uma recessão pior do que em 2009. Já o Goldman Sachs apontou em relatório que a economia americana pode reduzir em 24% seu crescimento no segundo trimestre. Caso os EUA desacelerem, o Brasil deve sentir os impactos.

No cenário nacional, o Brasil passa por uma quarentena social e econômica, após o governo declarar Estado de Calamidade. Os impactos na economia, embora ferozes ainda são imensuráveis.

O destaque negativo da semana ficou na mão da companhia de milhas aéreas Smile Fidelidade (SMLS3), que recuou 59,72% no acumulado da semana. Entre as cinco empresas que mais caíram na semana também estavam: a Via Varejo (VVAR3), a CVC (CVCB3), a Azul (AZUL4) e a Brakem (BRKM5).

Para Pedro Carvalho de Mello, PHD em economia pela Universidade de Chicago e professor da ESAGS, o desempenho da Smile Fidelidade, Azul e CVC está relacionado ao impacto do coronavírus no setor aéreo e de turismo, que se encontram em uma posição vulnerável. Já o resultado da Braskem seria fruto de fatores internos da empresa, como a Odebretch e questões ambientais, que mesmo sem coronavírus provocariam uma crise nas ações. Contudo, a Via Varejo surpreende o economista. “As ações da Via Varejo não deveriam estar entre as maiores quedas da semana, especialmente porque é uma empresa que também possui venda on-line, setor que desde a quarentena tem se potencializado”, justifica Mello e acrescenta que o desempenho negativo da ação pode estar ligado a estratégias dos investidores para conseguir liquidez com a venda de ações.

Confira as ações que mais caíram na semana

AçãoDesempenho
Smiles Fidelidade (SMLS3) -59.72%
Via Varejo (VVAR3) -48.82%
CVC BRASIL (CVCB3) -46.51%
Azul SA (AZUL4) -44.15%
BRASKEM (BRKM5) -40.31%

Impactos da quarentena

O destaque positivo da semana ficou com o Atacadão (CRFB3) que subiu 18,01%. Mello atribui esta alta a quarentena por causa do coronavírus, onde mais famílias estariam estocando alimentos e produtos de limpeza.

Outras ações que se destacaram foram: Raia Drogasil (RADL3), RUMO SA (RAIL3), Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) e Telefônica Brasil (VIVT4). “Todas estas empresas estão relacionadas ao coronavírus, as pessoas compram mais remédios (Raia Drogasil), estocam produtos (Pão de Açúcar) e por estarem de quarentena utilizam mais serviços de internet ou telefônicos o que garante o desempenho da companhia”, explica Mello. Já no caso da Rumo SA, o economista acredita que alguns setores podem ser indiretamente impactados num cenário de crise.

Confira as ações que mais subiram esta semana

AçãoDesempenho
Atacadão (CRFB3) 18.01%
RAIADROGASIL (RADL3) 7.02%
RUMO (RAIL3) 5.50%
Companhia Brasileira de Distr. (PCAR3) 2.64%
TELEF BRASIL (VIVT4) 0.39%

A década da estagnação

Para Mello, o coronavírus era a cereja do bolo que faltava para condecorar o início de uma década de estagnação econômica, onde o mundo não consome como antigamente, a revolução tecnológica afeta alguns setores e a distribuição de renda é desequilibrada para o desenvolvimento. “De todas as crises nunca vivemos uma deflação global, os sinais estavam dados mesmo antes do coronavírus”, conclui.

Ganhar dinheiro com Ações pode ser bem mais fácil que parece. Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente. Não corra o risco de faltar dinheiro lá na frente.

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.