Siga nossas redes

Finanças

Totvs fecha em alta de 5,81%; siderúrgicas desabam mais de 5%

Empresa de software registrou lucro líquido consolidado de R$ 125,8 milhões no quarto trimestre de 2021, alta de 30,9% na comparação com o mesmo período de 2020.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 5 minutos

totvs
Reprodução

As ações da companhia de softwares Totvs dominaram as altas do principal indicador da B3, o Ibovespa, nesta quinta-feira (17). Os papéis da empresa de energia EDP também encerraram com valorização. As altas ocorrem na esteira da divulgação dos resultados trimestrais.

Na outra ponta do indicador, as siderúrgicas CSN e Gerdau ficaram com as maiores perdas, contribuindo para a forte queda do índice.

Fora do Ibovespa, a Kepler Weber, que atua com soluções para armazenagem agrícola, intensificou a alta depois de reportar números do quarto trimestre. Confira os destaques do dia:

Totvs

A TOTVS (TOTS3) teve alta de 5,81%, para R$ 32,22, liderando as altas do Ibovespa. A empresa comunicou que registrou lucro líquido consolidado de R$ 125,8 milhões no quarto trimestre de 2021, alta de 30,9% na comparação com o mesmo período de 2020. Em 2021, os ganhos somaram R$ 374,03 milhões, resultado 26,8% superior ao do ano anterior.

Mirela Oliveira, Lucca Brendim e Gustavo Tiseo, do Bank of America (BofA), afirmaram que a empresa apresentou resultados mais fortes do que o esperado principalmente na receita recorrente do segmento de gestão de softwares, que cresceu 24% no comparativo anual, contra previsão de alta de 20,5% do BofA.

A equipe do banco de investimentos enfatizou que uma empresa de tecnologia precisa crescer e que abrir mão de margens para acelerar o crescimento é algo visto como positivo. “No entanto, a TOTVS também manteve as margens em 24%”, afirmaram os analistas da casa ao justificarem a manutenção do preço-alvo das ações da empresa.

Em relatório, a Levante Investimentos também destacou como positivo o segmento de gestão de software, capaz de manter as renovações em patamares extremamente elevados (98%), e conseguindo por mais um trimestre aumentar o crescimento orgânico de receitas, sendo que desse crescimento 63% veio de novas assinaturas e 37% de reajustes de preços contratuais, pontuou a casa.

Dentre os destaques negativos do resultado, a Levante apontou uma desaceleração no crescimento orgânico de novas receitas no segmento de Business Performance, “entretanto, apesar dessa desaceleração, o segmento segue trabalhando com margens bastante saudáveis mostrando a escalabilidade do modelo”.

EDP

A elétrica EDP Energias do Brasil (ENBR3), da portuguesa EDP, subiu 3,63%, negociada a R$ 21,20. A empresa reportou lucro líquido de R$ 809 milhões no quarto trimestre, alta de 15,6% ante o mesmo intervalo em 2020. Em 2021, a a companhia alcançou um resultado recorde, com lucro de R$ 2,2 bilhões, avanço de 43,2% ante 2020.

Em relatório, Pedro Manfredini, Flavia Sounis e Bruno Vidal, analistas do Goldman Sachs, afirmaram que a empresa reportou resultados operacionais ajustados de R$ 774 milhões, 3% acima das previsões da casa e 10% acima do consenso.

“Enquanto os resultados nos negócios de distribuição e geração ficaram em linha com nossas expectativas, lembramos que foi um trimestre bastante ativo no negócio de transmissão com a reformulação do portfólio de transmissão (aquisição da CELG-T e venda dos Lotes 7, 11 e 24)”, escreveram os analistas.

Rafael Winalda e Matheus Bicalho, do Banco Inter, afirmaram em relatório esperar que a companhia siga apresentando evolução em seus resultados, “conforme o consumo de energia evolua, as condições climáticas favoreçam menor despacho térmico e melhor geração de energia hídrica, contribuindo positivamente para margens de volta ao patamar histórico”.

Kepler Weber

A Kepler Weber (KEPL3), que não está no Ibovespa, subiu 8,87%, para R$ 49,48. A companhia registrou lucro líquido de de R$ 154,6 milhões em 2021, 128% acima do contabilizado em 2020. Em relatório, a equipe da Ativa Investimentos disse que a companhia entregou resultados acima das expectativas, atingindo recorde histórico de receita líquida e Ebitda.

“Os bons resultados são, mais uma vez, decorrentes de boa conjuntura para o segmento do agronegócio, com patamares elevados dos preços internacionais das commodities agrícolas, e nível de câmbio também favorável para o segmento”, disse.

A Ativa também destacou que a empresa foi “exitosa” em seus esforços comerciais, com boa renovação da carteira de pedidos e eficiente gestão de custos, o que garantiu um lucro líquido acima das estimativas. “Os destaques positivos foram o segmento de armazenagem, exportações e reposição e serviços. O destaque negativo ficou com o segmento de movimentação de granéis, que teve contração de receita”.

Siderúrgicas e Vale

A ação ordinária da CSN (CSNA3) caiu 5,85%, para R$ 24,96, no topo das quedas do Ibovespa. Na sequência o papel preferencial da Gerdau (GGBR4) recuou 5,32%, negociado a R$ 25,99. A Vale (VALE3) também cedeu 4,30%, para R$ 85,65. A queda expressiva do preço do minério de ferro na China por conta dos altos estoques do produto no país foi o que derrubou os papéis das companhias no pregão desta quinta-feira.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.