Siga nossas redes

Finanças

Ibovespa cai 0,85%, em dia de corte de juros na China; dólar sobe a R$ 4,97

No Brasil, atenções seguem voltadas ao arcabouço fiscal.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 6 minutos

O Ibovespa fechou em queda nesta segunda-feira (21), após o banco central da China reduzir sua taxa de juros de um ano, enquanto, no Brasil, as atenções se voltam para a retomada das discussões sobre o arcabouço fiscal nesta semana. O dólar terminou o dia em alta sobre o real.

O Ibovespa recuou 0,85%, aos 114.429 pontos. O dólar subiu 0,22%, a R$ 4,9781.

Na sexta-feira, o Ibovespa fechou com sinal positivo pela primeira vez em agosto, quebrando uma sequência histórica de 13 pregões de baixa, mas a alta foi modesta, de apenas 0,37%, uma vez que permanecem incertezas sobre o crescimento global dos próximos trimestres.

Juros na China

A China surpreendeu os investidores globais com corte de juros menor que o esperado. A taxa de empréstimo primária de um ano (LPR) foi reduzido em 10 pontos base, para 3,45%, enquanto a LPR de cinco anos ficou em 4,20%.

Em uma pesquisa da Reuters com 35 observadores do mercado, todos os participantes previam cortes em ambas as taxas. O corte de 10 pontos na taxa de um ano foi menor que os 15 pontos esperados pela maioria dos entrevistados.

Prédio do Banco do Povo da China em Pequim 30/09/2022 REUTERS/Tingshu Wang

“Há muitos motivos que podem estar por trás desta decisão. Entre eles, a proteção do iuan, que recentemente sofreu novas pressões, e a estabilidade do sistema financeiro”, disse Eduardo Moutinho, analista de mercado da Ebury, em comentário enviado a clientes.

Se por um lado o estímulo monetário à economia chinesa foi menor que o esperado – o que em tese pesa sobre moedas de países exportadores de commodities – por outro a alta do petróleo no exterior traz certo suporte às divisas de exportadores da matéria-prima, como o real.

Considerando estes dois fatores, o dólar à vista passou a sustentar leves ganhos ante o real no início do dia, após abertura com viés negativo.

Cenário interno

No Brasil, o dia é de agenda esvaziada, mas o mercado está atento à reunião dos países que fazem parte dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) em Johanesburgo, de 22 a 24 de agosto. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou à capital da África do Sul na manhã desta segunda.

A expectativa é de que, em meio à pressão mais recente de alta para o dólar, os participantes da cúpula voltem a discutir o papel da moeda norte-americana como referência das transações globais.

Focus

A expectativa para a inflação neste ano subiu na pesquisa Focus que o Banco Central divulgou nesta segunda. Os analistas consultados pelo BC passaram a ver agora uma alta de 4,90% do IPCA em 2023, 0,06 ponto percentual a mais do que no levantamento anterior, depois de a Petrobras ter anunciado reajuste grande de combustíveis na semana passada.

O levantamento, que capta a percepção do mercado para indicadores econômicos, apontou ainda que não houve mudanças nas projeções para a inflação em 2024, 2025 e 2026 -respectivamente de 3,86%, 3,50% e 3,50%

Apesar desse ajuste, o Focus segue mostrando que a taxa básica de juros Selic deve terminar este ano a 11,75%. Para 2024 também segue a projeção de juros a 9%.

Bolsas mundiais

Wall Street

O índice de tecnologia Nasdaq encerrou em alta de mais de 1% e o índice S&P 500 também subiu nesta segunda-feira, após um salto dos papéis da Nvidia e com o avanço de outras ações relacionadas à tecnologia, em meio a otimismo antes da divulgação de balanços nesta semana.

Segundo dados preliminares, o S&P 500 ganhou 0,70%, para 4.400,13 pontos. O Nasdaq subiu 1,55%, para 13.497,42 pontos. O Dow Jones caiu 0,11%, para 34.463,26 pontos.

Europa

As ações europeias interromperam uma sequência de quatro dias de perdas nesta segunda-feira, com os setores de energia e mineradoras em alta, acompanhando o avanço dos preços globais de commodities, enquanto a farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk liderou os ganhos no setor de saúde.

  • Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,06%, a 7.257,82 pontos.
  • Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,19%, a 15.603,28 pontos.
  • Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,47%, a 7.198,06 pontos.
  • Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,81%, a 27.986,92 pontos.
  • Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,05%, a 9.262,80 pontos.
  • Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,27%, a 6.001,22 pontos.

Ásia e Oceania

As ações da China caíram para mínimas em cerca de nove meses nesta segunda-feira, com os investidores decepcionados com as medidas mais fracas do que o esperado das autoridades para aumentar a confiança na economia, com a recuperação lenta e os problemas no setor imobiliário mantendo o sentimento frágil.

A China cortou sua taxa básica de juros de um ano nesta segunda-feira, mas surpreendeu os mercados ao deixar a taxa de cinco anos inalterada, ficando aquém das expectativas do mercado de cortes em ambas.

Na sexta-feira, o regulador de valores mobiliários da China divulgou um pacote de medidas destinadas a revitalizar o mercado de ações, incluindo corte de custos de negociação, apoio a recompras de ações e incentivo a investimentos de longo prazo.

“O suporte do governo tem sido indiscutivelmente menor do que o indicado no início do ano”, disseram os economistas do UBS liderados por Tao Wang.

  • Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,37%, a 31.565 pontos.
  • Em HONG KONG, o índice HANG SENG caiu 1,82%, a 17.623 pontos.
  • Em XANGAI, o índice SSEC perdeu 1,24%, a 3.092 pontos.
  • O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, retrocedeu 1,44%, a 3.729 pontos.
  • Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,17%, a 2.508 pontos.
  • Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou baixa de 0,00%, a 16.381 pontos.
  • Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES desvalorizou-se 0,63%, a 3.154 pontos.
  • Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 recuou 0,46%, a 7.115 pontos.

(* com informações da Reuters)

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.