Siga nossas redes

Geral

3 fatos para hoje: Evergrande reduz prejuízo; Argentina no Brics; 123 milhas

Evergrande reduz prejuízo líquido e ações voltam ao pregão; Senacon avalia abertura de processo administrativo contra 123 milhas; Adesão da Argentina ao Brics

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 7 minutos

1- Evergrande reduz prejuízo líquido e ações voltam ao pregão

A chinesa Evergrande, considerada a incorporadora imobiliária mais endividada do mundo, perdeu 2,2 bilhões de dólares, ou 79% de seu valor de mercado, nesta segunda-feira, depois que suas ações voltaram a ser negociadas em bolsa. A companhia está no centro de uma crise no setor imobiliário da China, que tem visto uma série de calotes desde o final de 2021, e suas ações foram suspensas por 17 meses.

Ainda assim, a incorporadora reduziu significativamente seus prejuízos no primeiro semestre de 2023, principalmente devido à ausência de perdas por deterioração de investimentos.

O prejuízo líquido durante os seis meses encerrados em junho foi de 33,01 bilhões de yuans (US$ 4,53 bilhões), em comparação com 66,35 bilhões de yuans (US$ 9,1 bilhões) no mesmo período do ano passado, informou a empresa na noite de domingo (27).

Evergrande
Visãio externa do China Evergrande Centre em Hong Kong 26/03/2018. REUTERS/Bobby Yip/File Photo

A receita aumentou para CNY 128,18 bilhões (US$ 17,6 bilhões), em comparação com CNY 89,28 bilhões (US$ 12,2 bilhões) no mesmo período do ano passado, principalmente devido à maior contribuição do negócio de desenvolvimento imobiliário.

A incorporadora, que está em processo de obter aprovações de credores e tribunais para implementar um plano de reestruturação de dívida, disse nesta segunda-feira que adiará em um mês as assembleias de credores para dar mais tempo “para maximizar o envolvimento deles e apoiar a tomada de decisões informadas”.

A Evergrande precisa da aprovação de mais de 75% dos detentores de cada classe de dívida para aprovar o plano de resstruturação considerado um dos maiores e mais complexos do mundo.Ele visa oferecer aos credores uma cesta de opções para trocar a dívida por novos títulos e instrumentos vinculados a ações. São US$ 19 bilhões de dívidas offshore, como parte de uma tentativa de avançar nos planos para concluir uma

As ações listadas em Hong Kong fecharam em queda de 79%, atingindo 0,35 dólar de Hong Kong nesta segunda-feira. O valor de mercado encolheu para 4,6 bilhões de dólares de Hong Kong (586,29 milhões de dólares), de 21,8 bilhões de dólares de Hong Kong (2,78 bilhões de dólares) da última vez em que foi negociada. Em 2017, a empresa tinha um valor de mercado de 420 bilhões de dólares de Hong Kong, um recorde histórico para a Evergrande.

A repressão da China à alavancagem no setor imobiliário em 2021 prejudicou muitas incorporadoras, que sofreram quedas severas nas vendas de residência e acesso reduzido ao mercado de dívida. A Evergrande passou a dar calote à medida que os seus problemas de fluxo de caixa aumentaram, deixando-a incapaz de pagar construtores e fornecedores.

2 – Senacon avalia abertura de processo administrativo contra 123 milhas

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacom), órgão do Ministério da Justiça, está avaliando a abertura de um processo administrativo e até mesmo a aplicação de multa contra a 123 Milhas caso a empresa não devolva o dinheiro de consumidores afetados pela suspensão de pacotes de viagens já pagos. Se confirmada, a multa pode chegar a R$ 13 milhões.

“Mantemos a posição de que a empresa deve ressarcir em dinheiro o consumidor que assim queira”, afirmou o secretário nacional do consumidor, Wadih Damous, durante entrevista à CNN Brasil na tarde deste domingo, 27. Se não houver acordo, a Senacom também pode bloquear a continuidade da venda de pacotes de viagens pelas companhia.

A 123 Milhas respondeu à cobrança de esclarecimentos feita recentemente pela Senacom e também pediu uma audiência com o órgão para dar mais detalhes sobre a situação. O secretário disse que vai atender ao pedido de audiência, e que o encontro deve acontecer ainda nesta semana.

Turistas na Praia de Porto de Galinhas, em Ipojuca (PE). Crédito: Tatiana Santiago/InvestNews

“Nossa expectativa é que a 123 Milhas apresente um plano que ao menos mitigue, reduza a escala, dos prejuízos aos consumidores. Esse é o nosso objetivo, não multar, nem punir, Mas se houver necessidade, vamos fazer”, disse Damous.

Caso a empresa mantenha a posição de ressarcir os clientes com voucher para uso de outros serviços, em vez da devolução dos valores em dinheiro, a alternativa para os consumidores será a abertura de um processo judicial – que é a esfera com capacidade de obrigar a companhia a fazer o ressarcimento. “Da nossa parte, vamos até a abertura de processo administrativo e sanção por descumprimento do contrato, que é a multa”.

3 – Adesão da Argentina ao Brics

O ministro da Economia da Argentina, Sergio Massa, que concorre a presidente como o candidato do governo Alberto Fernández nas eleições de outubro, deve desembarcar nesta segunda-feira, 28, em Brasília, para um encontro com Fernando Haddad e com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A visita foi mencionada em um tuíte do ministro da Secretaria de Comunicação Social do governo, Paulo Pimenta, e confirmado por integrantes do governo.

A expectativa é que a agenda de Massa no Brasil se concentre nos temas da economia, por isso a agenda prioritária com Haddad. Mas há previsão de o argentino se encontrar também com Lula no Palácio do Planalto. O argentino vem agradecer o apoio de Lula à entrada do vizinho no Brics, ampliado na semana passada, em reunião de cúpula na África do Sul.

Massa representa o peronismo na eleição argentina. A corrida é liderada pelo libertário Javier Milei, considerado o “Bolsonaro argentino” por analistas do país vizinho por se vender como um outsider da política contra o fracasso do poder público frente a graves problemas econômicos.

Ainda assim, o governo brasileiro tenta evitar acenos explícitos à eleição no país vizinho, como fez Jair Bolsonaro ao defender o voto contrário a Alberto Fernández em 2019. No entanto, a simples aparição ao lado de Lula no meio da campanha eleitoral – a eleição é 22 de outubro – é um valioso ativo para o candidato peronista.

Massa vem ao Brasil também para tratar sobre a possibilidade de adotar yuans como garantia no comércio bilateral Brasil-Argentina, além de investimentos em gasodutos para atender ao mercado brasileiro. Na reunião dos Brics, Lula voltou a defender o uso de outras moedas, fora do dólar, no comércio entre os países do grupo.

Nota de cem pesos da Argentina sobre notas de dólares 17/10/2022 REUTERS/Agustin Marcarian

A Argentina foi convidada a integrar o Brics e o atual governo peronista tem interesse na iniciativa. A oposição, por outro lado, já sinalizou que a adesão não deverá ocorrer em caso de vitória e tem usado a negativa como elemento da campanha eleitoral.

Com escassez de reservas em dólares, a Argentina tem novamente limitado as compras do Brasil, por falta de moeda para honrar pagamentos, por isso o tema também interessa ao Brasil. O governo Lula negocia com a Argentina um sistema de garantias em yuans para dar segurança aos exportadores brasileiros que vendam ao vizinho.

Mas há outros interesses econômicos em jogo na relação atual dos dois países, como a proposta argentina de esticar os gasodutos Norte e Néstor Kirchner para exportar gás natural para o Brasil, contando com o apoio de financiamento do BNDES a empresas brasileiras que participem da empreitada.

No sábado, 25, Massa esteve em Córdoba, no centro-norte do País, para lançar a licitação de um trecho de obras. Segundo ele, o empreendimento “permitirá gerar uma economia anual de US$ 1,96 bilhão e exportar gás aos países da região”.

*Com Reuters e Estadão

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.