Siga nossas redes

Geral

5 fatos para hoje: leilão do 5G e preço dos combustíveis

Preços nos postos voltarão a ter apenas dois dígitos após a vírgula.

petrobras
Preços em posto de combustível no Rio de Janeiro REUTERS/Ricardo Moraes

1- Leilão do 5G rende, no primeiro dia, R$ 7 bi de outorga e deságio médio de 247%

No maior leilão da história do país, atrás apenas da licitação do pré-sal, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) conseguiu vender praticamente todos os lotes de frequências ofertadas do 5G. O governo conseguiu arrecadar R$ 7,089 bilhões, um ágio de 247% sobre o lance mínimo das faixas ofertadas nesta quinta-feira (4) de R$ 2,043 bilhões. Os números foram calculados pela Conexis, entidade que representa as maiores operadoras do País.

Foram 26 lotes licitados, e dois de abrangência nacional da faixa de 3,5 GHz, a principal do 5G, não receberam interessados. Também resultou num certame deserto a oferta do lote F04, destinado a oferecer tecnologia 4G na Região Nordeste, dentro da faixa 2,3 GHz. A Brisanet já havia arrematado o lote E4, na mesma faixa, para atender a região com 4G. A diferença entre os lotes tipo E e tipo F é que o primeiro conta com 50 MHz no bloco e, o segundo, 40 MHz.

As principais operadoras do país arremataram os blocos mais nobres, mas quatro empresas conseguiram entrar no mercado de telecomunicações e devem ampliar a concorrência no setor. O leilão continua na sexta-feira, 6, com a faixa de 26 GHz, que tem o compromisso de levar conectividade até as escolas públicas urbanas e rurais.

2- Preço dos combustíveis volta a ter dois dígitos após vírgula na bomba

O preço dos combustíveis nos postos voltará a ter apenas dois dígitos após a vírgula, facilitando o entendimento do consumidor. A determinação foi divulgada na quinta-feira (4), pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre outras medidas.

A medida aprovada foi submetida à consulta e audiência públicas. Ela vem sendo discutida pela ANP desde 2018, com o início da greve dos caminhoneiros. Na ocasião, a agência adotou um conjunto de medidas de flexibilização, excepcionais e temporárias, com o intuito de garantir o abastecimento.

Com prazo para entrada em vigor de 180 dias após a publicação da nova resolução, os preços por litro de todos os combustíveis automotivos comercializados deverão ser expressos pelos postos revendedores com duas casas decimais, em vez das atuais três casas decimais, no painel de preços e nas bombas medidoras, facilitando o entendimento dos consumidores.

3- Lenovo diz que escassez global de chips persiste

A chinesa Lenovo, maior fabricante mundial de computadores pessoais (PCs), disse que uma escassez global de chips persistirá no primeiro semestre do ano que vem, após reportar nesta quinta-feira aumento de 65% no lucro do segundo trimestre.

A empresa disse que foi capaz de superar o mercado garantindo maior fornecimento de componentes do que seus concorrentes, mas reconheceu que a escassez de chips está “causando atrasos no atendimento de pedidos e fornecimentos pendentes em PCs, smartphones e servidores”.

O presidente-executivo, Yang Yuanqing, disse à Reuters que sua previsão anterior de que a falta permaneceria sem solução pelo menos até o primeiro semestre de 2022 não mudou. “A escassez é impulsionada pela forte demanda, principalmente no setor de TI e no setor de veículos elétricos”, disse.

A Lenovo manteve o título de maior fornecedora mundial de PCs em remessas, embora seu crescimento tenha desacelerado após cinco trimestres consecutivos de crescimento de dois dígitos, disse a consultoria de pesquisa Gartner. No terceiro trimestre, a sua participação de mercado global cresceu 1,8%, a 23,7%.

4- Google vai investir US$1 bi na CME e fecha acordo de computação em nuvem

O Google (GOGL34), unidade da Alphabet, investiu US$ 1 bilhão na CME e fechou um acordo separado para mudar os sistemas de negociação de mercados futuros da operadora de bolsa de valores para a nuvem, disseram as empresas na quinta-feira.

De acordo com os termos da parceria de 10 anos entre o Google e a CME, a operadora de bolsa com sede em Chicago começará a mudar sua infraestrutura de tecnologia para o Google Cloud no próximo ano.

O acordo com a CME representa uma grande vitória para o negócio de nuvem do Google, que concorre com a Amazon.com e a Microsoft por contratos grandes e lucrativos com empresas blue-chips da Fortune 500. O acordo também dá ao Google uma posição segura no setor de serviços financeiros, que está começando a investir muito dinheiro em soluções de computação em nuvem.

O investimento de capital de US$ 1 bilhão do Google ocorreu na forma de ações preferenciais conversíveis sem direito a voto da CME, acrescentaram as empresas.

5- Senado tem senso de urgência, mas vai avaliar se PEC dos Precatórios é adequada, diz Pacheco

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse nesta quinta-feira que a Casa tem um senso de urgência com relação à busca da solução para a questão dos precatórios e de um programa social para as famílias necessitadas, mas ressaltou que os senadores vão avaliar se a PEC em tramitação na Câmara é o instrumento adequado.

“Nós temos em relação a isso um senso de urgência”, disse Pacheco a jornalistas, acrescentando que existe a possibilidade de a PEC dos Precatórios ser examinada diretamente no plenário do Senado, caso seja aprovada na Câmara.

Pacheco, no entanto, destacou que a urgência é com relação à busca de uma solução e não necessariamente quanto à Proposta de Emenda à Constituição dos Precatórios especificamente.

“Quando eu me refiro a senso de urgência é porque há um senso de urgência, não é necessariamente em relação à PEC, é em relação à solução que precisa ser dada à questão dos precatórios, e qual o é espaço fiscal para essa solução dos precatórios, à obrigação de todos nós de respeitarmos o teto de gastos públicos e, fundamentalmente, ao programa social que caiba no Orçamento”, disse.

(*Com informações de Reuters, Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Veja também

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.