Siga nossas redes

Geral

Quanto valem as obras de arte mais caras do mundo? Confira o ranking

Presidente da Sotheby’s Brasil explica como funcionam os leilões e como são calculados os preços iniciais dos artigos.

Publicado

em

Imagem ilustrativa | Unsplash

A arte acompanha as civilizações desde seu surgimento. É desenvolvida por pessoas que desejam expressar suas percepções, emoções e sensações, ela carrega forças ideológicas, políticas e tecnológicas da história. Sendo assim, com o desenvolvimento do capitalismo, as obras de arte ganharam um valor além do histórico, que é o monetário. Então, mesmo que as obras de arte sejam consideradas patrimônios culturais, elas ainda podem se tornar propriedade privada.

Normalmente, as obras de arte de grande valor histórico são comercializadas em leilões e costumam ser avaliadas em notáveis fortunas. Por isso, o mercado das artes se tornou um nicho de investimento para um número limitado de pessoas – já que nem todos podem pagar por esses tipos de artigos.

O fato é que a obra de arte mais cara leiloada em toda a história já ultrapassou o valor de US$ 400 milhões.

Confira abaixo quais foram as obras de arte mais caras leiloadas, segundo informações disponibilizadas pela Sotheby’s Brasil:

Quais são as obras de arte mais caras do mundo?

1 – Salvator Mundi

Este quadro, produzido por Leonardo da Vinci, que foi um polímata italiano da alta renascença, também muito conhecido pela pintura Mona Lisa, foi produzido por volta do ano 1500 e foi vendido por US$ 450.312.512 em novembro de 2017. Salvator Mundi é uma pintura que retrata jesus com um vestido renascentista azul, fazendo o sinal da cruz com a mão direita e segurando uma esfera de cristal com a mão esquerda, que representa, de algum modo, a esfera celestial dos céus.

2 – Les femmes d’Alger

A pintura do espanhol Pablo Picasso, considerado um dos artistas mais influentes do século XX e conhecido como co-fundar do movimento cubista, foi produzida no ano de 1955 e leiloada por US$ 179.364.992 em maio de 2015. Les femmes d’Alger foi inspirada no quadro Femmes d’Alger dans leur appartement, de Eugène Delacroix. Além disso, ela também faz parte de uma série de 15 pinturas e outros desenhos que Picasso produziu em homenagem aos artistas que admirava.

3 – Nu couché

O quadro de Amedeo Modigliani, pintor e escultor italiano que ficou conhecido por criar quadros de pessoas nuas, foi desenvolvido entre 1917 e 1918 e arrematado por US$ 170.404.992 em novembro de 2015. Nu couché faz parte de uma famosa série de nus que Modigliani pintou sob o patrocínio de seu negociante polonês Léopold Zborowski.

4 – Three Studies of Lucian Freud

O quadro de Francis Bacon, pintor figurativo britânico, muito conhecido por desenvolver obras da forma humana, foi criado no ano de 1960 e vendido por US$ 142.404.992 em novembro de 2013. Three Studies of Lucian Freud representa as ideias do artista Lucian Freud, amigo de Bacon.

5 – L’homme au doigt

A escultura de Alberto Giacometti, pintor, desenhista e gravador suíço, considerado um dos artistas mais importantes do século XX, influenciado por estilos artísticos como o cubismo e o surrealismo, foi produzida no ano de 1947 e leiloada por US$ 141.284.992 em maio de 2015. L’homme au doigt é uma escultura de bronze.

6 – Twelve Landscape Screens

O conjunto de painéis de pincel de Qi Baish, primeiro artista chinês a ingressar no clube de vendas de quadros no valor de US$ 100 milhões, foram pintados no ano de 1925 e arrematados por US$ 140.800.000 em dezembro de 2017. Estudiosos acreditam que as Twelve Landscape Screens foram criadas por Qi depois que ele viajou pela China e, por isso, a série retrata a beleza dos lugares por onde o artista passou.

7 – The Scream

O quadro de Edvard Munch, pintor norueguês, foi produzido no ano de 1895 e vendido por US$ 119.922.496 em maio de 2012. The scream é uma obra icônica da arte mundial e é vista como um símbolo da ansiedade da condição humana.

8 – Fillette à la corbeille fleurie

O quadro de Pablo Picasso foi produzido no ano de 1905 e arrematado por US$ 115.000.000 em maio de 2018. Fillette à la corbeille fleurie retrata uma menina de rua parisiense, chamada “Linda”, cujo destino é desconhecido.

9 – Meules

O quadro de Claude Monet, considerado fundador do impressionismo e defensor da filosofia do movimento da pintura ao ar livre, foi criado entre 1880 e 1891 e vendido por US$ 110.700.000 em maio de 2019. Meules faz parte da série impressionista Palheiros e retrata montes de feno nos campo.

10 – Untitled

A pintura de Jean-Michel Basquiat, artista americano que alcançou o sucesso durante o movimento neo-expressionista, foi produzida em 1982 e arrematada por US$ 110.487.504 em maio de 2017. Untitle é a representação das dimensões internas e externas de uma cabeça.

É importante salientar que essas foram as obras de arte mais caras já leiloadas. No entanto, negociações particulares podem ter superados esses valores, mas esses dados normalmente não são divulgados.

Como funciona um leilão de obras de arte?

Os leilões de artes comercializam obras de arte por meio da mediação de um leiloeiro. Esses eventos são organizados com bastante antecedência, pois antes da data marcada a organização responsável precisa publicar o catálogo das peças que serão vendidas.

Katia Mindlin, presidente da Sotheby’s Brasil, explica que a preparação desses eventos exige muita dedicação e cuidado, pois primeiro vem um processo de curadoria, depois a pesquisa e catalogação dos materiais e, por último, ainda é preciso confirmar a atribuição e dar uma garantia ao comprador.

Na história dos leilões, eles sempre aconteceram em lugares físicos, mas, devido à pandemia de covid-19, também passaram a ser realizados virtualmente. Nesse momento, com o controle da disseminação da doença, Mindlin disse que é indispensável que os eventos ocorram de forma híbrida, isso porque o formato digital possibilita a participação de mais pessoas de diversos lugares do mundo, além de ser um avanço para os negócios.

Normalmente, os eventos onde as obras alcançam recordes não são abertos para todos, porque os interessados em participar devem comprovar que têm condições de arcar com as obras leiloadas. Segundo Katia, essa triagem de público é muito importante para “evitar que uma pessoa que queira fazer uma disrupção ao leilão entre no pátio, compre uma obra e, depois, desapareça”.

Apesar disso, a presidente da Sotheby’s Brasil ressalta que a maioria dos leilões não são tão exclusivistas assim, pois há eventos de artigos com preços mais baixos, o que fica mais acessível para outros públicos.

Como é calculado o preço inicial das obras de arte em um leilão?

O valor de cada artigo é estipulado a partir de uma série de avaliações relacionadas ao mercado de arte, que vão muito além da estética, como a história da peça, a importância do artista, se o artigo já fez parte de alguma exposição importante, entre outros.

Mindlin explica que a estimativa de preço para cada obra deve considerar fundamentalmente a importância que ela tem – o que é determinado por um especialista –, mas que também seja conservadora o bastante para que os compradores a vejam como uma oportunidade.

Investir é mais fácil do que você imagina. Aqui tem o investimento ideal para o seu perfil. Vem pro Nu invest!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.