Siga nossas redes

Negócios

Empreendedorismo: Mães e filhos investem juntos no próprio negócio

Confira a história de mães e filhos que decidiram combinar suas habilidades para empreenderem juntos.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 6 minutos

A participação do empreendedorismo feminino vem crescendo no Brasil. De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no terceiro trimestre de 2022, o número de mulheres donas de seus próprios negócios no País atingiu um recorde: 10,3 milhões de pessoas.

Além disso, segundo o Sebrae, os negócios familiares representam 90% das empresas abertas no Brasil. Mas será que a parceria entre mães e filhos pode dar certo? Para muitos, trabalhar junto com a família é uma oportunidade de aprender lições e compartilhar desafios e conquistas ao lado pessoas próximas.

Neste Dia das Mães, confira a história de mães e filhos que decidiram unir forças para montarem juntos o próprio negócio.

Parceria em lojas de doces

Deborah Murback Galdino, 41 anos, é empresária e parceira da mãe, Tânia Cristina Bueno Murback, 58, em cinco negócios focados em doces. A empresária abriu sua primeira loja, em 2015, depois de um baque emocional. “Estava muito mal psicologicamente e financeiramente. Precisava de uma nova ocupação e uma fonte de renda”, conta Deborah.

A grande incentivadora dela foi sua mãe, que mesmo sem largar a profissão de dentista, na qual atua até hoje, decidiu que empreenderia ao lado da filha. Atualmente, elas têm cinco lojas juntas.

A última aquisição foi uma unidade da Nanica, rede de banofes que integra a SMZTO, empresa especializada em investimentos em franquias, na cidade de Bauru, em São Paulo.

Mãe e filha adoram trabalhar juntas e, assim, aproveitam mais o tempo que compartilham, conforme dividem as tarefas do dia a dia. Hoje, exatamente um ano depois da abertura da última unidade, Deborah nem considera deixar a mãe de lado no mundo dos negócios.

“Estou grávida e tenho uma menina de nove anos. Quero passar para ela todos esses ensinamentos da vida de empresária, que aprendi com a minha mãe”.

Deborah Murback Galdino, 41 anos

Crédito: Divulgação

Experiência em família

Alaíde Hernandez Galasso, 67 anos, já era empresária, mas tinha vontade de mudar o nicho em que empreendia. A filha, Renata Hernandez Galasso, 39, é dentista. Juntas, as duas viram uma possibilidade de conciliar a formação de Renata com a experiência de Alaíde.

Mãe e filha são paulistanas, mas se mudaram para Santa Catarina. Depois de alguns anos, decidiram abrir uma unidade da OrthoDontic, rede de ortodontia.

Com o passar do tempo, a família toda acabou se envolvendo no negócio. Alaíde comanda a gestão comercial e atua como interface com a franqueadora, Renata cuida da parte técnica e Rafael, também filho de Alaíde, trabalha no financeiro da empresa.

Para a empresária, a possibilidade de manter um negócio ao lado de seus filhos é um grande privilégio.

“A experiência de trabalhar em família é a base da confiança mútua. Estamos unidos e sempre em busca de resultados na solidificação de um negócio próprio. É tudo muito compensador”.

Alaíde Hernandez Galasso, 67 anos

Crédito: Divulgação

Filhos juntos no brechó

Arthur Mendonça de Almeida começou a vida profissional aos 20 anos como assessor de investimentos em um banco e cresceu rapidamente. Mas, com o tempo, percebeu que não estava feliz. Ele decidiu procurar os pais para complementarem o investimento necessário para abrir uma franquia.

Após pesquisar os modelos de negócio, Arthur listou 10 franquias que tinha interesse em investir. No fim, depois de uma sugestão da sua mãe, decidiu pela aquisição de uma unidade do brechó Peça Rara.

“Desde pequeno, sempre tive certeza de que queria ter meu próprio negócio”, conta.

Seu pai teve o papel de sócio investidor para complementar a renda, mas não trabalha na loja. Sua mãe é seu braço direito e também atua no negócio da família em tempo integral. Com a loja inaugurada há pouco mais de seis meses, Arthur, hoje com 24 anos, já pensa em expandir o negócio.

Crédito: Divulgação

Recomeço em parceria

Flávia Guimarães de Paula e Rafael André Iunis de Paula, mãe e filho, viram suas carreiras mudarem de rota na pandemia. Rafael, que é estudante de administração de empresas e fazia estágio em uma indústria química, foi desligado.

Flávia, que é formada em administração, também foi demitida. Mas foi a busca por novas oportunidades que acabou unindo mãe e filho em um negócio.

“Empreender sempre esteve nos meus planos. Já pensava nisso mesmo antes da pandemia, e a crise sanitária acabou dando um empurrãozinho”.

Flávia Guimarães de Paula

Mãe e filho abriram uma loja da Tintas MC em março de 2022, em São Paulo, no bairro do Paraíso.

Segundo Flávia, a escolha por uma franquia no segmento da construção civil se deu pela sua experiência no setor. Aos 16 anos, Flávia iniciou sua vida profissional na loja de material de construção do seu pai, no bairro do Gasômetro (SP).

“Voltar para esse setor foi como reviver muitas lembranças boas daquele período. E reviver ao lado do meu filho foi mais especial ainda, pois minha história profissional também começou assim”, diz ela.

A franquia faturou mais de R$ 1 milhão no seu primeiro ano e a meta, segundo a empresária, é crescer em 50% em 2023.

Crédito: Divulgação

Sonho realizado

Meire de Freitas Ferro sempre foi dona de casa e tinha uma vida que girava em torno de sua família. No entanto, tudo mudou quando, em 2005, a filha Ana Paula Ferro decidiu realizar o sonho de abrir o próprio negócio junto com ela e fundar a Emporium da Beleza, focada em tratamentos estéticos.

O começo não foi fácil. Enquanto Ana trabalhava em um banco no período da manhã, Meire segurava as pontas na clínica. Em 2022, a rede de franquias alcançou 100 unidades e faturou cerca de R$ 200 milhões.

Crédito: Divulgação

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.