Siga nossas redes

Negócios

Méliuz registra prejuízo líquido consolidado de R$ 6,3 mi no 2º trimestre

Resultado representa uma melhora de 73% ante o mesmo período de 2022.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

A Méliuz (CASH3), empresa especializada em cashback, reportou prejuízo líquido consolidado de R$ 6,3 milhões no segundo trimestre desse ano, uma melhora de 73% contra o segundo trimestre do ano anterior, quando apresentou prejuízo de R$ 23,3 milhões. No critério ajustado consolidado, o prejuízo foi de R$ 3,9 milhões, também uma melhora de 11,4% ante os R$ 4,4 milhões negativos de abril a junho de 2022.

O Ebitda consolidado (excluindo os números de Bankly) foi de R$ 14,1 milhões negativos, uma melhora de 69% quando comparado a igual intervalo do ano passado. “A melhora do Ebitda na comparação anual é resultado principalmente da redução de custos e despesas realizada entre os períodos”, diz o diretor de Growth da companhia, Gabriel Loures.

Excluindo os itens extraordinários, o Ebitda consolidado ajustado foi de R$ 11,7 milhões negativos no trimestre, contra R$ 27 milhões negativos no segundo trimestre do ano passado, uma melhora de 56,7%. “Essa queda do Ebitda é resultado principalmente da menor receita no Shopping Brasil em consequência da sazonalidade do período, que já era esperada”, afirma a empresa no release de resultados reportado nesta terça-feira, 8.

MELIUZ

Entre abril e junho de 2023, a receita líquida total atingiu R$ 72,2 milhões, aumento de 1% em relação aos R$ 71,7 milhões reportados um ano antes.

Já o GMV (valor bruto de mercadoria) somou R$ 1,195 bilhão, recuo anual de 7%. No release de resultados, a empresa destaca aumento da margem do Shopping Brasil em 53% entre os períodos, de R$ 13,0 milhões no segundo trimestre de 2022 para R$ 19,9 milhões no mesmo trimestre deste ano.

Em relação aos três meses do início do ano, a Méliuz apresentou uma queda de 6% no GMV, atribuída ao caráter do segundo trimestre do ano que é, na visão da empresa, um período com menor volume de vendas para o e-commerce Brasil. “Estamos otimistas com o resultado do e-commerce Brasil para o segundo semestre do ano, dado que sazonalmente se trata de um período com maior volume de vendas. Outras variáveis externas, como por exemplo o início da queda da taxa de juros no Brasil, devem impactar positivamente o setor no longo prazo”, diz ainda a empresa.

O net take rate (taxa líquida de serviço) da companhia ficou em 2,3%, 0,2 ponto porcentual acima da taxa da registrada um ano antes. O take rate ficou em 6,1%, queda de 0,2 p.p. Já o número total de contas totais subiu 11% ano contra ano, para 28,1 milhões.

Loures também destaca que, no trimestre, foram cumpridos importantes marcos com a parceria estratégica junto ao banco BV. “Em 1º de junho, foi realizada a assinatura do SPA (Shareholder Purchase Agreement) do Bankly, conduzindo a transação para aprovação do Bacen (Banco Central do Brasil) e do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a qual deve ser concluída em seis a doze meses”, observa o diretor.

Com isso, os resultados de Bankly foram eliminados dos resultados consolidados do segundo trimestre de 2023 e, para fins comparativos, dos demais períodos apresentados.

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.