Siga nossas redes

Negócios

Petrobras fará anúncio sobre política de preço na próxima semana, diz CEO

Segundo Jean Paul Prates, estatal poderá reajustar valores de alguns produtos.

Publicado

em

por

Tempo médio de leitura: 4 minutos

Petrobras (PETR3PETR4) fará um anúncio na próxima semana sobre como será a política de preços de combustíveis da petroleira na nova gestão e poderá reajustar valores de alguns produtos, afirmou nesta sexta-feira o presidente da companhia, Jean Paul Prates.

Para precificar os seus combustíveis, o executivo reiterou que a Petrobras continuará a seguir referências de preços internacionais e a levar em consideração a competitividade interna em cada mercado que a empresa participa.

O executivo frisou que a Petrobras não perderá venda e que não deixará de ter o preço mais atrativo para seus clientes e adiantou ainda que o critério a ser usado será de “estabilidade versus volatilidade”.

Jean Paul Prates, indicado para CEO da Petrobras 8/12/2022 REUTERS/Adriano Machado

Segundo Prates, o país não precisa “voltar ao tempo em que não houve nenhum reajuste o ano inteiro”, citando anos como 2006 e 2007. Mas ponderou que “também não precisamos viver dentro da maratona de 118 reajustes, isso para um combustível apenas, em 2017”, o que levou a uma crise, que culminou com a greve dos caminhoneiros, afirmou.

“Não vou dar data, mas na semana que vem vamos falar de preço. Se eu falar hoje, vou dar ‘spoiler’ da data, do assunto, e ninguém vai mais prestar interesse sobre o que estamos falando aqui”, disse Prates, durante coletiva de imprensa para comentar resultados trimestrais.

“Sim, há uma chance de que ao tratar desse assunto, na semana que vem, a gente faça uma variação em alguns combustíveis, mas como eu disse a gente não vai dar ‘spoiler’ hoje.”

O CEO não disse quais combustíveis poderiam ter reajuste ou a direção da mudança, se uma alta ou uma baixa.

Relatório da associação de importadores Abicom indica que gasolina e diesel da Petrobras estão mais caros no mercado interno do que no exterior, em 14% e 9%, respectivamente.

Isso, em tese, permitiria que os dois combustíveis tivessem redução de preços, considerando a política anterior da cotação da paridade de importação.

Política de contratação

Frentista abastece veículo em posto de combustíveis no Rio de Janeiro 08/07/2021 REUTERS/Amanda Perobelli

Também durante a coletiva, o diretor-executivo de Engenharia, Tecnologia e Inovação, Carlos Travassos, afirmou que a empresa está atuando para contribuir com o fortalecimento da indústria naval brasileira.

O executivo disse ainda que a Petrobras “reconhece a importância de uma política de conteúdo local” e que “desenvolver a indústria local também é um papel dessa companhia”.

Segundo ele, diversos países como EUA, Alemanha, Noruega, realizam políticas de conteúdo local para estimular setores.

“Então, é natural, esperado e correto que a gente tenha uma política de conteúdo local, seja para desenvolver temporariamente uma indústria, seja para estabelecer uma proteção para aquelas atividades econômicas, que são importantes a geração de emprego, na geração de riqueza para o país”, disse Travassos.

O executivo pontuou, no entanto, que é preciso que seja estabelecida uma estratégia vencedora, e que o conteúdo local não seja cobrado além do que a indústria consegue produzir naquele momento.

“Estamos chamando várias empresas que estavam fora do nosso radar, fora do cenário de construção naval, estamos conversando com uma a uma, identificando as necessidades, colocando claramente escopo, as oportunidades”, disse ele.

“A gente sabe que tem que começar com a capacidade que a indústria consegue atender e isso vai seguindo e aumentando paulatinamente.”

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.