Siga nossas redes

Perfis de empresas

De loja de DVD a maior streaming do mundo: conheça a história da Netflix

Quem fundou a plataforma, por que foi criada e como se tornou um fenômeno na indústria do entretenimento?

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 9 minutos

Slogan“See what’s next” (Assista o quanto quiser, quando quiser)
Fundação29/08/1997
FundadoresReed Hastings e Marc Randolph
País de origemEstados Unidos
Tipo de empresaCapital aberto – listada na NASDAQ como Netflix, Inc. (NFLX)
AtividadePlataforma de streaming de vídeo
SedeLos Gatos, Califórnia, EUA

Quando o assunto é indústria do entretenimento, poucas trajetórias são tão marcantes quanto a história da Netflix (NFLX34). O que começou como uma modesta loja online de aluguel de DVDs culminou, ao longo dos anos 2000, em uma força revolucionária na indústria do entretenimento doméstico. 

Ao longo das duas últimas décadas, a Netflix não apenas se adaptou às mudanças no cenário audiovisual, como também as liderou, moldando a maneira como milhões de pessoas no mundo consomem conteúdo. 

Que tal conhecer os bastidores da história do maior serviço de streaming do mundo? A seguir, descubra o percurso que levou a Netflix a um fenômeno global na indústria do entretenimento.

Caso prefira, confira o conteúdo abaixo em áudio:

Logotipo da Netflix em controle remoto 20/01/2022 REUTERS/Dado Ruvic/

Por que a Netflix foi criada?  

Fundada em 1997, a Netflix surgiu como uma resposta a uma frustração comum de amantes do cinema: as limitações e inconveniências das locadoras de vídeo tradicionais.

O incômodo de enfrentar longas filas, devolver filmes em prazos rigorosos e lidar com títulos indisponíveis se tornou um fator motivador para os criadores, que buscavam soluções para otimizar essa demanda.

A visão audaciosa por trás da Netflix era proporcionar uma experiência de aluguel de DVDs sem as amarras físicas das locadoras. Ao permitir que os clientes alugassem filmes online e os recebessem pelo correio, por exemplo, a empresa inovou na forma como as pessoas consumiam entretenimento em casa. 

Essa visão inicial foi a semente de uma revolução que transformaria completamente o cenário da mídia doméstica. 

Quem são seus criadores? 

A Netflix não seria mais do que uma ideia se não fosse pelos dois visionários que a conceberam: Reed Hastings e Marc Randolph. Hastings, formado em matemática, trouxe consigo a experiência valiosa da sua primeira empresa, a Pure Software. Já Randolph, com experiência em marketing e startups, complementou a visão empreendedora.

Unidos por uma insatisfação compartilhada com as locadoras tradicionais, os dois empreendedores canalizaram energia e paixão para criar uma solução para aliviar as dores dos consumidores e redefinir o cenário do entretenimento doméstico.

Significado por trás do nome 

O termo “Netflix” é uma fusão de duas palavras: “net”, derivada de internet, e “flix”, uma abreviação informal para “flicks” (filmes, em inglês). A escolha do nome não foi só uma jogada de marketing inteligente, mas uma declaração de propósito.

Desde sua fundação, a Netflix tinha uma visão audaciosa de proporcionar acesso fácil e instantâneo a uma vasta biblioteca de filmes e programas de TV, diretamente através da internet. Ao incorporar a palavra “net” em seu nome, a empresa enfatizou seu compromisso com a revolução digital que estava por vir. 

Logo da Netflix 15/09/2022 REUTERS/Mario Anzuoni

Lançamento da Netflix no Brasil 

A Netflix foi lançada no Brasil em 5 de setembro de 2011. Esse marco representou a expansão da plataforma para a América Latina, incluindo não apenas o Brasil, mas também outros países, como México, Argentina, Colômbia, Venezuela e outros. 

Com esse movimento estratégico, a Netflix estendeu sua presença global, introduzindo seu serviço de streaming em uma região com uma base significativa de consumidores ávidos por conteúdo digital sob demanda. Desde então, a Netflix solidificou sua posição como uma das principais plataformas de streaming no mercado brasileiro.

Quem são os donos atualmente

A Netflix é uma empresa de capital aberto (NASDAQ: NFLX), e seus proprietários incluem uma base diversificada de acionistas. Reed Hastings, um dos fundadores, serviu como CEO até 2020, quando foi sucedido por Ted Sarandos. O modelo de propriedade atual da Netflix é composto por acionistas que negociam suas ações no mercado de ações.

Dos correios ao streaming 

A Netflix começou sua jornada como uma revolucionária loja online de aluguel de DVDs, introduzindo uma maneira inovadora de consumir entretenimento sem sair de casa. Na virada do milênio, sua abordagem envolvia enviar DVDs por correio diretamente para os lares dos assinantes, eliminando a necessidade de se deslocar até uma locadora.

Assim, durante os primeiros anos, os clientes faziam suas seleções em um site fácil de usar, recebiam os DVDs escolhidos em envelopes pelo correio e, ao assistirem, podiam devolvê-los na mesma embalagem. Esse modelo de negócios permitiu que os assinantes assistissem a uma ampla variedade de filmes e programas de TV sem sair de casa.

Entretanto, a verdadeira revolução estava apenas começando. Em 2007, a Netflix lançou seu serviço de streaming, marcando um ponto de viragem crucial na indústria do entretenimento. Agora, os assinantes podiam transmitir conteúdo diretamente para seus dispositivos, eliminando a necessidade de esperar pelos DVDs pelo correio.

O ano de 2011 marcou um divisor de águas na história, com a companhia deixando para trás o modelo de aluguel de DVDs para se tornar uma plataforma de streaming exclusiva. Essa transição solidificou a Netflix como líder na transformação digital do entretenimento doméstico.

Cinematch e algoritmos 

A Netflix vai muito além de uma plataforma de entretenimento: hoje, trata-se de um ecossistema alimentado por algoritmos que, ao longo dos anos, redefiniram a forma como consumimos conteúdo. Essa transformação começou com o Cinematch, um algoritmo inovador que se tornou um dos alicerces da experiência personalizada da companhia.

Introduzido nos primórdios da empresa, o Cinematch foi projetado para analisar os hábitos de visualização dos usuários e, com base nessas preferências, recomendar filmes e programas personalizados. 

À medida que a empresa evoluiu para o universo do streaming, os algoritmos assumiram um papel ainda mais proeminente. A capacidade de entender os gostos individuais dos usuários e oferecer recomendações precisas tornou-se um diferencial competitivo crucial.

O uso de algoritmo simplificou a seleção de conteúdo e pavimentou o caminho para a personalização em larga escala, um conceito que mais tarde se tornaria central para o sucesso da Netflix e de outros streamings. 

Recusa da Blockbuster e oferta de ações públicas 

Na trajetória ascendente da Netflix, uma virada notável ocorreu quando a Blockbuster, até então uma gigante do aluguel de vídeos físicos, tomou uma decisão que, em retrospecto, se revelaria crucial para o destino de ambas as empresas.

No início dos anos 2000, a Netflix propôs uma parceria, oferecendo-se para ser a plataforma online da companhia. A proposta foi recusada pela Blockbuster, que subestimou a ascensão iminente do streaming e a preferência crescente do público por experiências digitais. 

Essa recusa, que pode ter sido considerada uma jogada conservadora na época, se tornou um ponto de inflexão que delineou o caminho divergente das duas empresas. Enquanto a Blockbuster enfrentava desafios com seu modelo de negócios tradicional, a Netflix avançava audaciosamente para o futuro. 

Em 2002, a empresa de Reed Hastings deu outro passo significativo ao abrir seu capital, tornando-se uma empresa de capital aberto. A oferta pública de ações injetou um capital vital na expansão da Netflix e a colocou sob os holofotes do mercado financeiro.

Logotipo da Netflix em controle remoto. 18/1/2017. REUTERS/Mike Blake

Outras mudanças na plataforma ao longo do tempo 

A trajetória da Netflix é uma narrativa para lá de dinâmica, marcada por sua origem inovadora e uma capacidade constante de adaptação às demandas em constante evolução de seus assinantes. Ao longo dos anos, a plataforma liderou a revolução do streaming, implementando mudanças estratégicas para melhor atender às expectativas do público. 

Assinaturas segmentadas

Uma das inovações propostas pela Netflix foi a adoção de uma abordagem personalizada para suas assinaturas. Ao introduzir planos segmentados, a plataforma permitiu que os assinantes escolhessem a opção que melhor se alinha com suas necessidades individuais. 

Isso inclui planos diferenciados em termos de qualidade de transmissão, número de dispositivos conectados simultaneamente e preço. Essa flexibilidade não só atende à diversidade de orçamentos, mas também reflete a compreensão da Netflix de que cada assinante é único.

Compartilhamento de senha 

O compartilhamento de senhas sempre foi uma prática comum, mas a Netflix recentemente anunciou uma mudança em sua política em relação a essa prática. Em um esforço para combater o compartilhamento de senhas fora do círculo familiar, a plataforma introduziu medidas para restringir o acesso a contas compartilhadas. 

De acordo com a plataforma, a decisão visa garantir equidade e sustentabilidade, incentivando os usuários a assinarem seus próprios planos para acessar um conteúdo exclusivo. Apesar de não ter sido bem aceita pelo público, a estratégia apresentou resultados financeiros positivos e têm sido exemplo para outros streamings.

Confira:

Veja também

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.