Siga nossas redes

Cafeína

5 perguntas a fazer antes de escolher uma oferta de ações

Publicado

em

Muitos dos novos investidores na hora em que se deparam com uma nova oferta pública de ações, mais conhecida pelas três letras IPO, não sabem muitas vezes como avaliar se essa é uma boa oportunidade de investimento ou não.

Antes de analisar os riscos e o que deve ser levado em consideração antes de investir em um, saiba o que é e como fazer para investir. IPO é a sigla em inglês para “Initial Public Offering”, ou “Oferta Pública Inicial” em português. Como o próprio nome diz, este é o momento quando uma empresa vende suas ações para o público pela primeira vez. Com isso, ela se torna, então, uma companhia de capital aberto com papéis negociados no pregão da bolsa de valores. O principal motivo da abertura de capital de uma empresa é captar recursos. Porém, este processo, assim como qualquer outro, possui vantagens e desvantagens.

Muito se pergunta se vale ou não a pena investir em um IPO, já que muitos investidores ficam animados com a possibilidade de comprar ações por um preço baixo e ver os preços subirem de forma rápida e substancial. Quem está pensando em comprar ações lançadas em um IPO precisa, em primeiro lugar, avaliar o tipo de investimento que pretende fazer. Os seus objetivos estão focados no longo prazo ou no curto prazo? É bom tentar analisar se o IPO seria uma oportunidade de garantir  os papéis de uma companhia para mantê-los por bastante tempo, ou se serão para uma  venda imediata.

Porém, como todo investimento, existe também algumas desvantagens. Como a ação nunca foi negociada publicamente, existe um desconhecimento em relação à volatilidade e a demanda. Os preços das ações não são previsíveis: tanto pode acontecer de o valor das ações dispararem no dia da abertura de capital, como despencarem alguns dias depois.

Mas se você quiser participar de uma oferta inicial de ações, é preciso antes fazer uma conta em uma corretora de valores. Elas é que fazem a intermediação dos negócios na bolsa. Elas também são as responsáveis pela distribuição das ações vendidas durante os IPOs.

Outro ponto relevante que é motivo de muitas perguntas é sobre como fazer a avaliação de uma nova empresa que pretende vender suas ações. Para isso, será necessário consultar os resultados financeiros da companhia. Normalmente, uma empresa que está abrindo capital não tem um longo histórico para ser consultado, justamente porque ela é nova no mercado. Pela regra da CVM, a Comissão de Valores Mobiliários, para fazer uma oferta de ações a empresa tem que fazer declarações dos últimos 3 anos de balanço auditado. Ou seja, é um período curto para compreender como uma empresa se comporta nos mais diversos cenários econômicos, além de não ter um histórico de valorização das ações.

Vale ressaltar que todo IPO tem uma assimetria de informação. Quem quer investir em um, tem maior dificuldade em precificar uma ação. Mas os pontos a serem levados em consideração são os mesmos que em qualquer outro investimento feito em ações, como quais as perspectivas em relação ao mercado que a empresa está inserida; qual a força dos seus concorrentes; quais as ameaças tecnológicas; as barreiras de entrada; qual o perfil de gestão do grupo, entre outras coisas.

Leia mais:

Apesar de desistências, número de IPOs em 2020 já é o maior em 13 anos

Já pensou em investir em um IPO?

Compre ações através da melhor plataforma do mercado: Invista pela Easynvest!

Anúncio Patrocinado BDR BDR

O InvestNews é um canal de conteúdo multiplataforma que oferece a cobertura diária de notícias e análises sobre economia, investimentos, finanças, mercado financeiro, educação financeira, projeções, política monetária e econômica. Tudo o que mexe com o seu dinheiro você encontra aqui, com uma linguagem simples e descomplicada sobre o mundo da economia e dos investimentos.