Siga nossas redes

SO$ Finanças

Como investir em ativos que seguem o IGP-M?

Especialista tira dúvida sobre investimentos; envie sua pergunta.

Publicado

em

Tempo médio de leitura: 3 minutos

Pergunta de Carlos Rodrigues: “Como investir em ativos que seguem o IGP-M?”

Casas para aluguel (Foto: Agência Brasil)

Resposta de Ariel Fernandes *: “Antes de mais nada, vamos entender um pouco sobre quem é o IGP-M e qual seu impacto na economia. O índice IGP-M foi criado no final dos anos 1940 para medir o movimento dos preços de forma geral. Por isso, ele tem o objetivo de ser mais abrangente que outros índices do mercado. Seu cálculo é baseado em diversos indicadores, como:

  1. IPA-M — Índice de Preços do Atacado – Mercado.
  2. IPC-M — Índice de Preços do Consumidor – Mercado.
  3. INCC-M — Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado.

Na prática, acaba funcionando como um indicador macroeconômico. É possível ter uma noção do estado atual da economia brasileira e da inflação por meio dele.

Outra de suas funções é servir como um indexador de contratos (aluguel, tarifas públicas, seguros, entre outros.). Conforme vimos ele influencia diretamente as finanças do brasileiro, isso porque está relacionado a gastos do dia a dia, como:

  • Educação: Mensalidade de escolas e universidades.
  • Imóveis: Aluguéis de imóveis comerciais e residenciais.
  • Energia: Tarifa de energia elétrica.
  • Seguros: Algumas modalidades de seguro.
  • Saúde: Determinados planos de saúde.

Por fim, esse indicador também causa uma interferência significativa nos investimentos, investimentos, porque ele se associa a várias aplicações. 

Precisamos deixar claro que não há como investir no índice IGP-M, porque ele é um indicador econômico e não uma aplicação financeira. Antes de 2006 podíamos investir no IGP-M pelas NTN-C, eram títulos distribuídos pelo Tesouro, porém foram substituídos pelas NTN-B: saiu o indexador IGP-M para entrar o IPCA, a inflação oficial. 

Para concluirmos, os investimentos que rendem de acordo com o IGP-M seguem a variação dessa taxa em sua rentabilidade, por exemplo: aluguel. Como dissemos, o IGP-M passou a ser considerado mais um indexador de reajustes do que realmente um ativo de investimento, que após 2006 foi substituído pela NTN-B, indexado pelo IPCA, inflação oficial do Brasil.”  

* Ariel Fernandes é especialista em investimentos

* As informações neste artigo são de inteira responsabilidade do autor e não do InvestNews e das instituições com as quais ele possui ligação. Envie sua pergunta para [email protected]

Veja também

Este conteúdo é de cunho jornalístico e informativo e não deve ser considerado como oferta, recomendação ou orientação de compra ou venda de ativos.

ANÚNCIO PATROCINADO Confira

Abra sua conta! É Grátis

Já comecei o meu cadastro e quero continuar.