Siga nossas redes

Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (EMAE3)

EMAE PN
63,00
Reais (BRL - R$)
0,98% Variação (Dia)
61,00 Mínimo (Dia)
63,00 Máximo (Dia)
Fechamento Anterior: 62,39
Abertura: 62,99

A EMAE – Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A., uma das principais empresas de geração de energia elétrica no Brasil, tem suas raízes profundas na história do país. Fundada originalmente em 1899 como The São Paulo Railway, Light and Power Company Limited, em Toronto, Canadá, a empresa foi autorizada a operar no Brasil pelo Presidente Campos Salles.

História da Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (EMAE3)

Em 1901, a Usina de Parnaíba, a primeira hidroelétrica da Light no Brasil e a maior do país na época, entrou em operação com 2 MW de capacidade, sendo posteriormente ampliada para 16 MW em 1912. No mesmo ano, uma usina termoelétrica a vapor começou a funcionar em São Paulo.

A necessidade de regularizar a vazão do rio Tietê levou à construção do reservatório Guarapiranga em 1908. Uma forte estiagem entre 1924 e 1925 impulsionou a expansão do parque gerador, incluindo a construção da Usina Hidroelétrica de Rasgão em tempo recorde.

O “Projeto da Serra”, estudado desde 1923, culminou na operação da Usina de Cubatão (Henry Borden) em 1926 e na aquisição da Usina de Porto Góes em 1927. A década de 1930 viu uma série de obras para aumentar a capacidade de geração da Usina Henry Borden, que atingiu 880 MW em 1956.

A inauguração da Usina Termoelétrica Piratininga em 1954 e sua expansão em 1960 adicionaram uma fonte energética complementar ao sistema predominantemente hidráulico. A empresa foi nacionalizada em 1956 e reestruturada sob a Brascan Limited. Em 1979, a Eletrobras adquiriu o controle acionário da LIGHT, e em 1981, o Governo do Estado de São Paulo constituiu a Eletropaulo.

A Lei Estadual de 1996 levou à cisão parcial da Eletropaulo e à criação da EMAE, que assumiu as operações de geração de energia elétrica. Em 2008, a Usina Termoelétrica Piratininga foi arrendada para a BSE, subsidiária da Petrobras.

Hoje, a EMAE opera um sistema hidráulico e gerador de energia na Região Metropolitana de São Paulo, Baixada Santista e Médio Tietê, integrando geração de energia, controle de cheias e fornecimento de água bruta. A empresa também expandiu seu parque gerador com a construção da Pequena Central Hidroelétrica (PCH) Pirapora, que entrou em operação em 2015.

Quem são os acionistas da Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (EMAE3)

A Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (EMAE3) é uma companhia de capital aberto com ações negociadas na B3 sem segmento de governança corporativa, com 60,06% de free float e sem tag along. A EMAE possui os seguintes acionistas majoritários:

  • Eletrobras, com 64,82% das ações preferenciais da empresa.
  • Companhia do Metropolitano de São Paulo 2,39% das ações ordinárias da empresa e 0,95% das ações preferenciais.
  • Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo 97,61 0,23% das ações preferenciais da empresa.

A Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (EMAE3) paga dividendos?

Sim, a Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A. (EMAE3) realiza distribuição de dividendos atualmente. Ela vem distribuindo todos os anos desde 2016. A maior distribuição foi em 2021, a R$ 7,34, e a menor em 2016, a R$ 0,09.

Dados atualizados em agosto de 2023.