Siga nossas redes

Economia

‘Água não é mercadoria’: críticas a Marco do Saneamento esquentam o Twitter

Projeto que já passou pela Câmara prevê a privatização dos servidos de água e esgoto no País.

Publicado

em

Sabesp

Os debates envolvendo o marco do saneamento, programado para ser votado nesta quarta-feira (24), no Senado, têm provocado uma forte manifestação contrária ao projeto nas redes sociais. No período da tarde desta quarta, o assunto #aguanaoemercadoria era o tema mais comentado no Twitter no Brasil.

O projeto para o novo marco do saneamento, que já passou pela Câmara, prevê a privatização dos servidos de saneamento no País. O texto transfere para a Agência Nacional de Águas (ANA) o papel de estabelecer normas de referência para a regulação dos serviços.

Segundo o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) privatizar o saneamento é ir na contramão do mundo. “A maioria das cidades que adotou o modelo voltou atrás e reestatizou o sistema, como Paris e Buenos Aires. Fizeram isso porque as tarifas aumentaram muito e a quantidade de famílias atendidas não foi ampliada”, escreveu.

Segundo o deputado, a privatização aumenta o preço dos serviços e exclui os mais pobres. “Na Inglaterra, a tarifa subiu 46% em 9 anos. Milhares de famílias sofreram cortes por não conseguirem pagar. Agora imagina isso no Brasil”, acrescentou.

Na mesma direção, o deputado federal Helder Salomão (PT/ES) criticou o projeto. “Água é um direito, não é mercadoria! Não à privatização da água”, escreveu.

Investimentos

O projeto do marco do saneamento é bastante aguardado pelo mercado. Alguns especialistas apontam que ele teria a capacidade de elevar significativamente os investimentos no setor e colaborar para a democratização dos serviços.

Diferentemente de setores como o elétrico, a regulação do saneamento hoje é feita por agentes subnacionais (municípios, regionais ou estaduais). Diante disso, investidores criticam a falta de segurança jurídica e clareza nas regras para poder investir.

A estimativa do governo federal é incentivar a entrada do capital privado com a mudança. O próprio fundo Pátria, que tem investido fortemente em infraestrutura, sinalizou interesse no setor.

*Com Estadão Conteúdo

Investimento com rentabilidade acima da média em Renda Fixa? Invista em Debêntures. invista já.

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!