Siga nossas redes

Economia

Brasil liderou perda de milionários em 2020

Na contramão, o mundo ganhou 5 milhões deles; EUA lidera ranking da riqueza.

Publicado

em

por

Katherine Rivas

O Brasil foi o país que mais perdeu milionários em 2020, na contramão do mundo que ganhou 5 milhões deles, aponta o relatório Global Wealth Report 2021 do banco Credit Suisse.

Em 2020, a pandemia e a crise deixaram 108 mil brasileiros menos ricos. Segundo a pesquisa, até o final do ano passado 207 mil adultos brasileiros tinham um patrimônio inferior a US$ 1 milhão.

Na segunda posição dos que mais empobreceram está a Índia, o país registrou uma perda de 66 mil milionários em 2020. Até o final do ano passado, o número de indianos com patrimônio inferior a US$ 1 milhão era de 698 mil.

Na terceira posição tem outro país emergente, a Rússia que perdeu 44 mil milionários em 2020.

Na contramão, os países que mais enriqueceram foram: Estados Unidos, Alemanha e Austrália.

Os Estados Unidos ganharam 1,730 milhão de novos milionários em 2020. Na Alemanha, 633 mil adultos passaram a integrar o grupo com patrimônio acima de US$ 1 milhão e na Austrália foram 392 mil novos milionários até o final do ano passado.

Ainda entre os países que ganharam mais milionários na crise estão: Japão, França, Reino Unido, China, Canadá, Holanda e Itália. Cerca de um terço dos novos milionários vieram dos Estados Unidos.

Segundo o Credit Suisse, a riqueza global das famílias teve um crescimento de US$ 28,7 trilhões em 2020. No final do ano passado, esta riqueza totalizou US$ 418,3 trilhões.

A riqueza por adulto aumentou 6% e chegou a um novo recorde de US$ 79.952.

De acordo com o banco, o patrimônio dos ricos foi inflado pela ação de governos e bancos centrais que injetaram recursos na economia ajudando o mercado financeiro a recuperar as perdas do final de junho.

Desta forma, o preço das ações atingiu recordes no final de 2020. O valor dos imóveis também contribuiu com o aumento de taxas, ampliando as riquezas das famílias no mundo.

E a depreciação do dólar americano foi favorável para estes ganhos, contudo no Brasil ocorreu o efeito contrário pela desvalorização do real frente ao dólar.

Desigualdade

Em 2020, apenas 56 milhões de pessoas tinham um patrimônio superior a US$ 1 milhão. Estes representavam 1,1% dos adultos do mundo.

Na base da pirâmide da riqueza, 55% da população adulta (2,9 bilhões de pessoas) tinha um patrimônio inferior a US$ 10 mil em 2020.

Enquanto, 32,8% dos adultos (1,715 bilhão de pessoas) fechou o ano passado com um patrimônio entre US$ 10 mil e US$ 100 mil. Este grupo se triplicou desde 2000, quando 507 milhões de pessoas estavam neste patamar.

O Credit Suisse acredita que, apesar do impacto da pandemia, o mundo deve apresentar um crescimento robusto do Produto Interno Bruto (PIB) nos próximos anos. Em consequência, a riqueza global também deve experimentar um crescimento de 39% até 2026.

Os países de renda baixa e média serão responsáveis por 42% do aumento desta riqueza global.

Veja também: Quem são os 11 novos bilionários brasileiros na lista da Forbes em 2021

Ganhe dinheiro com as variações cambiais enquanto seu patrimônio fica protegido. Invista em Dólar!

Anúncio Patrocinado Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem! Invista em Ações com TAXA ZERO de corretagem!